Campeonato Brasileiro

Copa do Brasil

WWE

Postagens Recentes

Palmeiras joga para o gasto mas vence mais uma no Brasileirão

10:04:00 Adicionar Comentários

O jogo entre Palmeiras x Atlético Goianiense, foi muito ruim tecnicamente. Um dos piores embates do campeonato até agora. Tivemos 35 minutos de... nada. Os visitantes vieram para jogar nos contragolpes, e marcar muito forte o Palmeiras. Palmeiras que não tinha a mesma criatividade e ofensividade de partidas anteriores, muito em função da fraca saída de bola com Jean, laterais travados mesmo se tornando alas, aliado ao fato de que Alejandro Guerra estava bem marcado e isolado na criação de jogadas. Tchê Tchê até voltou a jogar bem, mas a equipe não seguia o mesmo rítimo do camisa 8.

A apatia era tanta, que aos 36 minutos, Everaldo perdeu uma chance de ouro para a equipe visitante. O centroavante ganhou de Edu Dracena pelo alto e após tentativa de desarme de carrinho do beque na lateral, invadiu a área sozinho e na saída de Prass, finalizou para fora.

O Verdão respondeu aos 42', em escanteio cobrado por Jean, que Mina cabeceou, mas a zaga bloqueou a bola, quando rumava ao gol. Porém quando Cuca já habia mandado aquecer com mais intensidade: Dudu, Raphael Veiga, Hyoran e Erik, o verdão finalmente tirou o zero do placar. Nos acréscimos, Guerra passou para Róger Guedes na ponta direita, que chegou todo atrapalhadoao fundo e cruzou na área. A bola desviou no zagueiro rival e sobrou para Borja, que estufou as redes (ALELUIA).

Veio o segundo tempo, e o Palestra mostrou uma outra postura, diante de um adversário que ao tentar sair mais para o jogo, oferecia espaços. aos 16 minutos, Guerra fez bela jogada, driblou o adversário com um toque de letra, e deixou Borja na cara do gol. O colombiano nem precisou ajeitar e bateu de pé direito na saída de Felipe, mas mandou em cima do goleiro e desperdiçou uma grande oportunidade. Aos 35', Róger Guedes recebeu bom passe de Guerra pela direita e cruzou. Dudu, que havia entrado há dez minutos antes, no lugar do apagado Keno, antecipou a marcação e bateu de perna esquerda. Mesmo sozinho na pequena área, mandou por cima do gol a chance de sacramentar a vitória alviverde.

Um minuto depois, quem ficou muito próximo do gol, foi a equipe goiana. Junior Viçosa veio driblando todo mundo, invadiu a área e chutou rasteiro, porém Fernando Prass mostrou reflexo, saltou no canto esquerdo e defendeu.

Em seguida, o Palmeiras quase houve um gol de placa no Allianz Parque.  Yerry Mina lançou para Guerra no costado da zaga. Já dentro da área, o venezuelano mostrou categoria, dominou e tentou encobrir o goleiro, que fez grande defesa e impediu a pintura.

Saldo geral: Partida fraca num todo, sendo que tecnicamente muitos estiveram abaixo do esperado, e até mesmo com o gol, Borja teve atuação discreta. Valeu pelo gol, e pelos três pontos. Porém a torcida saiu do estádio com a sensação de que a equipe poderia desempenhar muito mais em campo. Comemorar o resultado hoje, que deixa o Porco na sétima posição (provisoriamente até o final da rodada), mas sem deixar de pensar na pedreira de dominho, às 16:00 horas:
Ponte
Preta em
Campinas. Papo para ser abordado amanhã.


FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 1 X 0 ATLÉTICO-GO

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo-SP

Data: 21 de junho de 2017, quarta-feira

Horário: 21 horas (de Brasília)

Arbitragem: Antonio Dib Moraes de Sousa
Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios e Fabio Pereira

Público: 29.014 torcedores
Renda: R$ 1.590.701,88
Cartões amarelos: Yerry Mina e Guerra (PAL); Silva e André Castro (ATL)

GOLS:
PALMEIRAS: Miguel Borja, aos 46 minutos do primeiro tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Yerry Mina, Edu Dracena e Egídio; Jean e Tchê Tchê (Luan); Róger Guedes, Guerra e Keno (Dudu); Borja (Raphael Veiga)
Técnico: Cuca

ATLÉTICO-GO: Felipe; André Castro, Eduardo Gabriel, Roger Carvalho e Bruno Pacheco; Silva e Marcão Silva; Andrigo (Diego Rosa), Luiz Fernando e Breno Lopes (Walterson); Everaldo (Junior Viçosa)
Técnico: Doriva












Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press









por: Leonardo Bueno

Pré-Jogo de Palmeiras x Atlético-GO

11:01:00 Adicionar Comentários

Palmeiras e Atlético Goianiense se enfrentarão pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Em busca da ascensão definitiva no torneio, o verdão buscará fazer valer sua força no Allianz Parque, e buscar mais três pontos na tabela.

Se os visitantes que estão na zona de rebaixamento na décima nona posição, e em um momento ruim, buscarão ao menos um empate diante de um cenário adverso, o Palmeiras irá com o que melhor tem em seu elenco, para pressionar o rival, e aumentar um pouco mais a tranquilidade pelos lados do Palestra, além da busca pelo gol 150 do novo Allianz Parque. Pois
Palmeiras marcou um total de 148 gols em 80 partidas no local.

Com o retorno de Dudu (afastado após duas semanas, por lesão), e que jogará ao menos 15 minutos no segundo tempo, e ausências como Felipe Melo e Thiago Santos, Cuca deverá armar uma equipe com a mesma ofensividade que se viu em Salvador, quando venceu o Bahia por 4x2. Guerra e Keno que apresentaram dores musculares após a última partida, se recuperaram e iniciarão a partida na equipe titular. Jean deverá ser o primeiro volante na equipe, e terá Tchê Tchê como seu companheiro de 'volância'. Além disso, Willian está suspenso devido ao acúmulo de três cartões amarelos, e será substituído por Miguel Borja. Borja o qual terá uma de suas últimas chances de provar que pode ser titular, e desempenhar o futebol que todos esperamos dele. Pois sabemos que mesmo Cuca fazendo um 'tratamento' especial para o camisa 9, não tem muita paciência caso uma peça não funcione em sua engrenagem. E convenhamos que a partida de logo mais, é propícia para Borja. Se ele não for bem contra o Atlético-GO, irá bem contra quem? Torceremos para que Borja e toda a equipe, façam uma atuação segura, e consolidem a segunda vitória seguida no Brasileirão. Algo que ainda não ocorreu com a equipe no certame.

Ficha técnica de Palmeiras x Atlético-GO

PALMEIRAS:
Fernando Prass, Mayke, Mina, Edu Dracena e Egídio; Jean, Tchê Tchê e Guerra; Róger Guedes, Keno e Borja.
Técnico: Cuca

Suspenso: Willian
Pendurados: Róger Guedes, Juninho e Michel Bastos
Desfalques: Felipe Melo, Thiago Santos (machucados); Arouca, Moisés, Thiago Martins (tratamento após cirurgias)

ATLÉTICO-GO:
Felipe; André Castro, Eduardo Bauermann, Roger Carvalho e Bruno Pacheco; Silva, Marcão, Andrigo, Luiz Fernando e Breno Lopes; Everaldo.

Suspensos: Ninguém

Pendurado: Andrigo
Desfalques: Igor (machucado); Jorginho (desgaste); Walter (barrado)

Técnico: Doriva

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data e horário: 21 de junho de 2017, quarta, às 21h

Árbitro: Antonio Dib Moraes de Sousa (CBF-PI)
Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (CBF-SE) e Fabio Pereira (CBF-TO)
Onde assistir: Premiere, webradioverdao.com.br e twitter: @Palmeiras_VQTTV

Parcial de ingressos: 25 mil ingressos vendidos


















Foto: JALES VALQUER/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO













por: Leonardo Bueno

WWE Money In The Bank: Ficou devendo

14:13:00 Adicionar Comentários
Olá fãs de Wrestling pelo mundo, ontem a WWE realizou mais um PPV em St. Louis, o Money In The Bank e haviam várias expectativas nos combates porém, infelizmente, não foram concretizadas e os fãs saíram decepcionados e iremos ver o porque disso.

Fonte: WWE
No KickOff a primeira luta foi entre os Hype Bros que venceram The Colóns, Zack Ryder fez seu retorno após um longo tempo machucado.

Fonte: WWE Network
O show principal começou com uma luta histórica. A primeira Money In The Bank match feminina, 5 superstars buscam retirar uma maleta em cima do ringue a vencedora terá uma oportunidade pelo título em qualquer momento que desejar.
O combate ia bem legal até James Ellsworth subir as escadas, retirar a maleta e dar para Carmella que saiu como vencedora do combate.

Fonte: WWE Network
Tivemos um combate de duplas onde The Usos "derrotararm" The New Day, após quase perderem o combate os Usos simplesmente abandonaram a luta e perderam por count-out e pelas regras continuaram como os campeões de duplas.

Fonte: WWE Network
Naomi derrotou Lana e se manteve como campeã femina do SmackDown, Carmella até ensaiou usar sua maleta para ganhar o título mas decidiu que não era o momento. 

Fomte: WWE Network
Maria e Mike Bennetts fizeram sua estreia durante o PPV promentendo mostrar a força do amor ao SmackDown. Maria já foi lutadora da WWE e seu marido Mike estavam na TNA.

Fonte: WWE Network
Jinder Mahal continua como campeão da WWE após derrotar Randy Orton na sua cidade natal com seus pais e lendas na primeira fila, The Maharaja continua firme e surpreendendo como campeão.

Fonte: WWE Network
Breezango derrotou The Ascencion em uma luta de duplas.

No evento principal da noite, tivemos outra Money In The Bank Match onde o vencedor poderá desafiar o WWE Champion em qualquer hora e qualquer lugar, uma luta muito boa, vários spots e no final a vitória foi de Baron Corbin que poderá desafiar Jinder Mahal a qualquer momento.

Fonte: WWE Network
Um PPV que poderia ser muito melhor, esse foi o sentimento dos fãs após o final do PPV, muita controvérsia principalmente na vitória de Carmella porém na terça-feira os gerentes Daniel Bryan e Shane McMahon irão fazer algo a respeito. Os outros combates foram nada além do esperado e um clima de extrema frustração ficou após o show. 

O próximo PPV que irá acontecer será do RAW e será o Great Balls of Fire, você acompanha tudo aqui no VQTTV, siga a gente no Twitter pra ficar por dentro das novidades.

Por Yago Oliveira - Equipe WWE VQTTV

Palmeiras triunfa e goleia o Bahia

11:03:00 Adicionar Comentários

O Palmeiras venceu o Bahia, em um dos melhores jogos do Campeonato Brasileiro até aqui. Se tecnicamente não foi um primor, a peleja foi muito bem disputada. O Palmeiras claramente volta a utilizar sua marcação alta, pressionando o adversário em seu campo de defesa, e tentando sufocá-lo. O problema é que haviam falhas nos encaixes dessa marcação, que permitiram através de lançamentos longos - algumas vezes com muito perigo - a equipe baiana chegar com perigo a meta de Fernando Prass, que quando exigido, fez um excelente trabalho.

O jogo poderia ter sido 5-4, 6-5, enfim, merecia um score alto, devido a quantidade de chances criadas. Se no primeiro tempo houve empate por 1x1, o Palmeiras acabou merecendo vencer por 3-1 no segundo tempo. Pois o Verdão foi mais eficiente nas finalizações, e fez por merecer o placar, que precisávamos muito. Um resultado que não fosse a vitória, poderia colocar a crise na porta da Academia De Futebol, e ficar por um fio de ser efetivada. Ainda bem que ela não veio. Ufa!

No primeiro tempo, a equipe alviverde teve um pênalti duvidoso, convertido por Róger Guedes. Já os baianos empatar após uma blitz dentro da área de Fernando Prass, que após duas defesas sensacionais, viu o meia Vinícius empatar a partida.

No segundo tempo, o jogo seguiu franco. Com gols de Keno e Jun... Mina, o Palmeiras abriu 1x3, e dava a impressão que havia liquidado a fatura, após um golaço de Keno e um gol via Cucabol, com Mina marcando um gol que era praticamente de Juninho. Mas em cima da linha de gol, o colombiano utilizou seu pé 46 e efetivou o gol. Mas instantes após o terceiro gol, Juninho falhou de forma grotesca, e João Paulo meio que aos trancos e barrancos diminuiu o marcador, dando esperanças ao tricolor da boa terra. Mas no apagar das luzes, em um contragolpe que Erik quase estragou, William Bigode - que não havia feito praticamente nada durante o jogo - marcou outro golaço em um giro após embaixadinha, e sacramentou a boa vitória do agora décimo segundo colocado Palmeiras.

Agora o Palestra enfrentará na próxima quarta-feira às 21 horas, o Atlético-GO no Allianz Parque. Já o Bahia, visitará o Itaquera FC, na Arena Odebrecht em São Paulo, na quinta-feira.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 2 X 4 PALMEIRAS

Local: Estádio Octávio Mangabeira/ Arena Itaipava Fonte Nova, em Salvador

Data: Domingo, 18 de junho de 2017
Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (FIFA)
Assistentes: Bruno Boschilia (FIFA) e Victor Hugo Imazu dos Santos

Público total: 33.621 pessoas
Renda: R$ 1.052.472,00

Cartões amarelos: Régis Souza (BAHIA); Keno, Juninho e Willian (PALMEIRAS)

GOLS:
BAHIA: Vinicius, aos 44 minutos do primeiro tempo; João Paulo, aos 39 da etapa final
PALMEIRAS: Róger Guedes, aos 17 minutos da primeira etapa; Keno, aos três, Yerry Mina, aos 37, e Willian, aos 47 minutos do segundo tempo

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Rodrigo Becão e Matheus Reis (Armero); Juninho (João Paulo) e Renê Júnior; Vinícius (Gustavo Ferrareis), Zé Rafael e Mendoza; Edigar Junio (Sim, é Junio mesmo)
Técnico: Jorginho

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke (Tchê Tchê), Yerry Mina, Juninho e Egídio; Thiago Santos (Luan) e Jean; Róger Guedes, Guerra e Keno (Erik); Willian
Técnico: Cuca













Foto: Futura Press










por: Leonardo Bueno

Pré-Jogo de Bahia x Palmeiras

22:34:00 Adicionar Comentários

Se por um lado o Bahia está em um bom momento na temporada ( Campeão da Copa Do Nordeste + top 6 do Brasileirão), o Palmeiras oscila em 2017. Verdão decepciona sim, e sabe que terá um oponente muito difícil neste domingo 18/06. Em 2014, o Palestra venceu o tricolor da boa terra por 1x0, gol de Mazinho - Que faaaaase -. Se quiser o Verde de Palestra Itália retomar o caminho das vitórias como visitante - já que nas últimas seis partidas como visitante sofreu cinco derrotas e um empate- terá que superar o bom time do Bahia, que diante de seu torcedor apaixonado, fará de tudo para seguir na parte de cima da tabela.

Para o embate na Arena Itaipava Fonte Nova, Mina e Borja que estavam com a seleção colombiana em amistosos/Data FIFA, retornam ao plantel alviverde. Possívelmente serão utilizados na peleja, e poderão sim colaborar com o Mestre Cuca. E o que esperamos? Um jogo competitivo do Palmeiras, e que o triunfo palestrino ocorra. Para aliviar jogadores, comissão técnica, diretores e jogadores. Pois estar na parte de baixo da tabela incomoda muito um elenco campeão. E convenhamos, para a grandeza do Palmeiras, estar beirando zona de rebaixamento é algo desagradabilíssimo e incompatível para com o clube.

Ficha Técnica de Bahia x Palmeiras:

Data/Horário: 18/6/2017, às 16h
Local: Fonte Nova, Salvador (SP)
Onde assistir: Globo, Premiere e www.webradioverdao.com.br

Árbitro: Rodolpho Toski Marques - PR (FIFA)
Auxiliares: Bruno Boschilia - PR (FIFA) e Victor Hugo Imazu dos Santos - PR (CBF)

BAHIA: Jean, Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Renê Júnior e Feijão; Zé Rafael, Gustavo Ferrareis e Mendoza; Edigar Junio.
Técnico: Jorginho.

Desfalques: Allione e Matheus Sales (pertencem ao Palmeiras); Edson (suspenso).
Dúvida: Régis, recém-recuperado de lesão.
Pendurado: Renê Júnior.


Palmeiras: Fernando Prass; Mayke, Mina, Juninho e Egídio; Thiago Santos, Tchê Tchê/Jean; Róger Guedes, Guerra, Willian; Borja

Desfalques: Dudu, Felipe Melo, Moisés, Arouca e Thiago Martins (em recuperação), Zé Roberto e Edu Dracena (poupados), e Bruno Henrique (não regularizado).
Pendurados: Willian, Felipe Melo, Michel Bastos e Thiago Santos.









por: Leonardo Bueno

O dia em que a América se tornou palmeirense

15:31:00 Adicionar Comentários

Dia 16 de junho é o dia da até agora, maior alegria da história mais que centenária da Sociedade Esportiva Palmeiras. Hoje completam-se 18 anos - maioridade - do nosso título da Copa Libertadores. Nesta mesma data, mas em 1999, foi encerrado um ciclo vitorioso do Verdão no torneio continental daquele ano, com uma épica conquista que jamais escapará da retina do torcedor palmeirense, que viu ou pela televisão, ou ouviu pelo rádio, ou até mesmo para quem nem era nascido na época/ nasceu pouco antes do título, que pôde e pode acompanhar o título através do Youtube. Mas por aqui, diante deste humilde blogueiro num site malemolente, tentaremos relembrar a estupenda conquista da América.

A tragetória do Verdão na Libertadores não foi fácil, desde a primeira fase. O Palmeiras caiu em um grupo considerado como  'grupo da morte' (Grupo 3). Ele era formado por: Cerro Porteño (Paraguai), Corinthians e Olímpia (Paraguai). O Porco garantiu sua classificação em 2º lugar no grupo, e nas oitavas-de-finais, enfrentou o então atual campeão da Libertadores, o Vasco Da Gama.

Eliminamos o Vasco, após empate em casa por 1x1, e uma vitória convincente por 4x2 em pleno estádio de São Januário. Na sequência, reencontramos o arquerival maior na fase quartas-de-final. O Palmeiras eliminou o time do Parque São Jorge na disputa por pênaltis, depois de 2 resultados iguais, 2x0. Naquele momento, começou o surgimento de um santo: São Marcos.

Já na semifinal, o Palestra enfrentou o forte River Plate da Argentina, onde conseguiu uma virada maravilhosa, e conseguir a classificação para a decisão do certâme. Com uma derrota por 1x0 na ida, no estádio Monumental De Nuñes, e vitória em casa por 3x0 na volta.

A decisão contra o América De Cali (Colômbia) era na teoria mais fácil, diante de tantas pedreiras enfrentadas e superadas. No primeiro jogo, derrota na Colômbia, por 1x0. Mas acabara o Palmeiras vencendo em casa por 2x1 na partida de volta, e a decisão do torneio mais importante do continente sulamericano, foi decidida nas cobranças de pênalti.

Nas cobranças de penalidade máxima, o que já era um sofrimento para o torcedor palmeirense, foi uma tortura imensurável, até o atacante Zapata bater o último pênalti pra fora. O Palestra Itália explodiu em verde e branco, O continente era pintado de verde e branco sob as bandeiras brasileira e italiana, mostrando ao universo que a  América era do Palmeiras. E quem foram os conquistadores da taça continental? Na ordem numeral de inscrição no torneio, eles estão aqui, todos sob a batuta de Luis Felipe Scolari:

• 1 Velloso
• 2 Arce
• 3 Júnior Baiano
• 4 Cléber
• 5 Roque Júnior
• 6 Júnior
• 7 Paulo Nunes
• 8 César Sampaio
• 9 Oséas
• 10 Alex
• 11 Zinho
• 12 Marcos
• 13 Neném
• 14 Rivarola
• 15 Tiago Silva
• 16 Rogério
• 17 Evair
• 18 Jackson
• 19 Pedro
• 20 Juliano
• 21 Rubens Júnior
• 22 Sérgio
• 23 Agnaldo
• 24 Euller
• 25 Galeano
• 26 Edmílson

Confira a campanha do Palmeiras campeão da Libertadores de 1999:

1ª Fase
27/02/1999 - Palmeiras 1 x 0 Corinthians - Estádio do Morumbi - São Paulo
03/03/1999 - Cerro Porteño (PAR) 2 x 5 Palmeiras - Estádio Defensores del Chaco - Assunção (PAR)
05/03/1999 - Olímpia (PAR) 4 x 2 Palmeiras - Estádio Defensores del Chaco -Assunção (PAR)
12/03/1999 - Palmeiras 1 x 1 Olímpia (PAR) - Palestra Itália - São Paulo
17/03/1999 - Corinthians 2 x 1 Palmeiras - Estádio do Morumbi - São Paulo
07/04/1999 - Palmeiras 2 x 1 Cerro Porteño (PAR) - Palestra Itália - São Paulo
Oitavas de Final

14/04/1999 - Palmeiras 1 x 1 Vasco da Gama - Palestra Itália - São Paulo
21/04/1999 - Vasco da Gama 2 x 4 Palmeiras - Estádio São Januário - Rio de Janeiro

Quartas de Final
05/05/1999 - Palmeiras 2 x 0 - Corinthians - Estádio do Morumbi - São Paulo
12/05/1999 - Corinthians (2) 2 x 0 (4) Palmeiras - Estádio do Morumbi - São Paulo

Semi Final
19/05/1999 - River Plate (ARG) 1 x 0 Palmeiras - Estádio Defensores Del Chaco - Buenos Aires (ARG)
26/05/1999 - Palmeiras 3 x 0 River Plate (ARG) - Palestra Itália - São Paulo

Final
19/05/1999 - Deportivo Cali (COL) 1 x 0 Palmeiras - Estádio Olímpico Pascual Guerrero - Cali (COL)
26/05/1999 - Palmeiras (4) 2 x 1 (3) Deportivo Cali (COL) - Palestra Itália - São Paulo






Foto: Reprodução/ Poster da Libertadores - 1999













por: Leonardo Bueno

Análise de  Fla x Pon e Pré-jogo Fla-Flu

Análise de Fla x Pon e Pré-jogo Fla-Flu

13:15:00 Adicionar Comentários
   Depois de quatro jogos sem vencer, a estreia da Ilha do Urubu deu um novo gás e ânimo ao time. Dominando a bola todo o jogo e contando com a habilidade de Vinícius Junior, a Ponte estava compacta na defesa e não tinha sofrido muito perigo. Ai entrou a jogada aérea: Revér, que não tinha deixado sua marca até então, voltou a cabeçar corretamente para abrir o placar aos 47 do 1 tempo. Já no segundo, Vinícius cruzou para Leandro Damião ampliar de cabeça. Darío Conca ainda entrou aos 37 e jogou 10 minutos para finalmente estrear com o manto sagrado.  


   Com a vitória por 2 a 0 , o time carioca deu um bom salto na cabeça e ocupada a décima primeira posição. É essencial uma vitória no Clássico para subir ainda mais no campeonato. O jogo será disputado nesse domingo, 18 de junho, às 16 horas, no estádio Mário Filho ( Maracanã), com transmissão do Premiere para todo o país.
    O time deve ter como base o time que saiu vencedor na quarta, Zé Ricardo terá a volta de Guerrero e Trauco, que estavam na Seleção Peruana. Guerrero é o principal goleador da equipe nessa temporada, com 13 bolas nas redes. Embora Damião tenha deixado sua marca nos dois jogos em que substituiu o camisa 9, sendo um golaço incrível de bicicleta, Paolo, que foi melhor jogador e artilheiro do campeonato carioca, é titular absoluto.

Imagem relacionada

  Conca ficará no banco e entrará no decorrer da partida. Será o seu segundo jogo como jogador do Flamengo, justamento contra o seu ex-time e rival Fluminense. Juan deve voltar ao time titular no lugar de Rafael Vaz. Outras possíveis mudanças são as voltas de Arão e Rômulo no lugar de Cuellar ou Márcio Araujo. 
Provável escalação: Thiago; Pará, Réver, Juan e Trauco ( Renê ; Márcio Araújo ( Rômulo), Cuellar ( Arão) e Diego; Vinicius Jr, Everton e Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

  

  O Fluminense vem de derrotas para o Palmeiras e Grêmio. e vem decaindo na tabela. É o 10 colocado, empatado com o Flamengo. Destaques para Henrique Dourado, artilheiro da competição com 7 gols e Richarlison, que voltou a ficar de bem com a torcida e é presença no Fla-Flu. O time vem levando muitos gols e a defesa é o principal ponto-chave da partida. Uma boa atuação dela pode levar o time à vitória. Time que deve entrar em campo:  Júlio César, Lucas, Reginaldo, Henrique e Léo; Mateus Norton, Wendel, Marcos Calazans e Gustavo Scarpa; Richarlison e Henrique Dourado
Técnico: Abel Braga


Palmeiras esbarra em goleiro e arbitragem, e perde clássico

10:03:00 Adicionar Comentários

Cuca inicioi a partida com o zagueiro Juninho na lateral esquerda, e Zé Roberto como meia/auxiliar de lateral. Tal escalação foi proposta, para evitar jogadas ofensivas no local.
Mas no início, a estratégia não foi perfeitamente executada, já que aos 3' o adversário teve sua primeira grande chance, a qual Fernando Prass defendeu cara a cara. Pouco depois, Tchê Tchê chutou de longe com a bola passando a esquerda, Róger Guedes arriscou da intermediária, e a bola raspou o travessão. Após isso, o jogo seguiu muito truncado e com disputa intensa no meio campo. Tendo 21 faltas no primeiro tempo e três cartões amarelos. (Dois para palmeirenses - Juninho e Tchê Tchê) e um para o adversário: Lucas L...

Tendo como último ato na etapa inicial, o cabeceio de Willian 'Bigode. Discreto na etapa inicial, o camisa 29 acabou cabeceando a bola e obrigou o goleiro adversário a fazer grande defesa.

Veio o segundo tempo, e o Palmeiras teve novamente chance de marcar gol. Aos 3', Róger Guedes aproveitou vacilo na saída de bola rival, e chutou em gol. Vanderlei defendeu, porém houve precipitação de Guedes. Se ele desse o passe, a probabilidade de gol seria maior. Seguindo a peleja, aos 7' o gol do rival saiu. ELE FOI IRREGULAR, porque Kayke - o autor do gol- fez duas faltas em Edu Dracena (puxou e deu toque com o pé direito, no calcanhar direito). Na sequência, o Santos teve dois cabeceioa muito perigosos, que Prass evitou com duas grandes defesas. O jogo melhorou um pouco em sua qualidade, mas seguia meio arrastado. Aos 13' o Palmeiras chegou com perigo, após jogada de Tchê Tchê. Em uma pressão maior do Verdão, Róger Guedes
arriscou na entrada da grande área e Vanderlei defendeu. No lance seguinte, Juninho cabeceou/recuou para o goleiro. Ambos os lances ocorreram aos 20'.

Com 31' Keno cruzou, a bola foi desviada e Jean finalizou com desvio em Willian. Vanderlei defendeu no puro reflexo, e evitou o empate Palmeirense. Os mandantes passaram a jogar nos contra ataques, e deram campo para o Palestra jogar, apesar do  Palmeiras sem ter tanta criação e apostar muito na velocidade nas pontas, que nem sempre dava resultado.

Com 37' Raphael Veiga entrou na vaga de Thiago Santos, e o Palmeiras que já tinha mais posse de bola, passou a ter mais um meia em campo - devido a falta de atacantes no banco de reservas - e visando tentar encurralar o Santos.Houve mais uma e última chance aos 45', com uma finalização de primeira de Raphael Veiga, o goleiro adversário fez uma nova defesa que evitou o gol de empate. Na sequência, bola alçada na área e outrq penalidade não assinalada. Lucas Veríssimo puxou/empurrou Edu Dracena e cometeu outro pênalti. Dracena estava em posição irregular. Arbitragem não assinalou nem impedimento, tampouco a penalidade.

Mas as questões que devemos cobrar são: Cuca esperar sofrer gol para jogar? E o que acontece com Tchê Tchê? Deveremos torcer para sanarmos tais situações, para una evolução pontual no campo e bola/pontuação. Porém, perder 4/7 partidas é muita coisa para quem almeja no mínimo um G6, mesmo que a equipe tenha atuado de uma forma maia consistente no segundo tempo. A fase é para se pontuar, independente se jogar bem ou não, ou se a arbitragem interferir ou não. Temos que desempenhar um futebol que nos conceda a vitória contra todas as adversidades. Fomos prejudicados sim, e temos todo direito de reclamar sobre. Todavia não é a desculpa maior para a injusta derrota no clássico. Incompetência ofensiva não se computaria na soma? Se o goleiro rival se destaca, é porque a equipe não foi capaz de marcar ao menos um gol. Resultado poderia ser outro, se não fosse o goleiro Vanderlei. Mas se paga o preço por não concluirmos as chances criadas em ao menos um mísero gol, e termos DUAS PENALIDADES MÁXIMAS não assinaladas em nosso favor.

Com o resultado, o Palmeiras fica no décimo quinto posto com sete pontos, e passa a focar na partida de domingo, diante do Bahia, na Arena Itaipava Fonte Nova.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)

Data: 14 de junho de 2017, quarta-feira

Horário: 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

Público: 10.143
Renda: R$ 406.970,00

Cartões amarelos: SANTOS: Lucas Lima. PALMEIRAS: Juninho, Tchê Tchê.

Gols:
SANTOS: Kayke, aos 7min do 2ºtempo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima (Vladimir Hernández); Copete (Fábian Noguera), Bruno Henrique e Kayke (Leandro Donizete).
Técnico: Levir Culpi

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Antônio Carlos e Juninho; Tchê Tchê (Jean), Thiago Santos (Raphael Veiga), Zé Roberto (Keno) e Guerra; Róger Guedes e Willian.
Técnico: Cuca





Foto: Djalma Vassão/ Gazeta Press



















Por: Leonardo Bueno

2016 parece ter parte 2, ele segue rondando o colorado. Isso precisa acabar.

2016 parece ter parte 2, ele segue rondando o colorado. Isso precisa acabar.

19:58:00 Adicionar Comentários
Nico, autor do gol após jogada executada por Carlos, D'Alessandro e Uendel. Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Urgentemente o Internacional necessita estudar a forma pratica de corrigir as falhas principalmente na bola aérea defensiva, pra ontem. O gol sofrido contra o América-MG mostra nitidamente o maior do Inter, que infelizmente não é de hoje, nem de ontem. São 13 gols sofridos desta maneira, parece “pouco”, mas não é nada pouco. Nos 6 jogos, levou gols em quase todas as partidas, exceto na estreia diante do Londrina. A porcentagem que o Inter toma gol, é quase equivalente a seu escape de finalizações ao gol adversário, não que vai atacar e consequentemente chutar a gol (uma parte dela “acertando”), se diz igualar a mesma que sofre. Em 35 jogos na temporada: São 33 gols sofridos em 2017, média de 0,9 por jogo.

Na temporada, apenas em oito partidas os vermelhos não tomaram gols. Complicado, a brecha maior parece ser a mesma desde o ano passado, a bola área defensiva, jogadores parecem ter medo de tocar a cabeça nela e de olho aberto Fica aqui a questão: Por que diabos os jogadores costumam fechar os olhos quando vão cabecear? Abre olho, p****. Camarão que dorme a onda leva. A empatite precisa acabar.

Edenílson foi bem na lateral fazendo o feijão com arroz, sobre tudo o que eu gostaria é de vê-lo na volância, Fabinho se perde muito fácil. Com D'Ale suspenso, pode ser a chance de Juan/Alex Santana. Brenner quem sabe também surgindo no ataque, com a lesão de Pottker logo no inicio. E até Roberson, correspondia quando chamado e foi acima de Sasha, Carlos e Cirino.

Sobre Guto: Desde sua estreia teve resultados regulares, é bem visível quando a equipe age conforme sua maneira tática de comandar. E jogadores exaltam bastante sua insistência em corrigir os erros, aos corneteiros, o recado é simples: Guto está trabalhando, quem não está a compreender ou querendo executar como é pedida é a defesa. Querer a saída dele chega a soar infantil. Guto é menos teimoso que o antecessor e faz a leitura do jogo ideal. No mais, vamos a diante.

Próxima partida é contra o Santa Cruz, no Arrudão em Recife ás 16h30 de sábado.

VOLTAREMOS!

Lugano e a importância da sua renovação para o São Paulo

12:17:00 Adicionar Comentários
Lugano concede entrevista coletiva no São Paulo
Lugano concede entrevista coletiva no São Paulo Fonte: Gazeta Press

Todos sabem que Leco vendo a saída de ídolos em 2015 - Rogério Ceni se aposentou, Pato e Luís Fabiano deixaram o clube - e a falta de títulos para garantir a reeleição no "mandato-tampão" que possuía, Leco precisou de meios para conseguir permanecer no cargo: um deles, obviamente foi a contratação do ídolo Lugano, no início de 2016.

Também não é novidade que o Lugano que chegou é muito diferente daquele que saiu para o Fenerbahce (TUR) em 2006 e que tinha ganhado tudo e virado ídolo por aqui, evidente: afinal, a própria idade do jogador (fará 37 anos) e a condição física já não permitem a comparação.

Lugano é ídolo no São Paulo e ama muito o clube: sabia que não poderia jogar todos os jogos e em 2017, jogou apenas 8 jogos - mas em todos os que entrou, foi capitão do time comandado por Rogério Ceni, sendo que a melhora do sistema defensivo, que antes era tão criticado, ocorreu quando o uruguaio esteve em campo, não se machuca nem nos treinos e tem ajudado demais o elenco fora de campo com sua experiência como jogador e claro, o tempo que possui de clube também -.

Nenhum consciente torcedor são-paulino quer que a diretoria ofereça um contrato de 5 anos para Lugano, longe disso, até porque o próprio camisa 5 não teria condições: a campanha #RenovaLugano é para que a diretoria renove por mais 6 meses com o jogador e dê a chance de uma despedida digna. A experiência dele passada a todo o elenco - sejam os novatos ou os mais velhos - somada a um bom desempenho em campo e planejamento feito para o ano todo, obviamente, resultarão em conquistas num futuro próximo e por que não uma boa classificação nesse Brasileirão? Chega de ser equipe em formação há 9 anos e de ser coadjuvante: o São Paulo precisa voltar a ser grande!!!

Rumo à vitória, São Paulo!
#RenovaLugano


Twitter: @ManoelRocha4  @Soberano

Fórmula 1

Entrevistas

Coluna do Ricci