Uma estrela não tão solitária

18:14:00
          Apesar da derrota, o Paysandu superou as expectativas para a estréia na série B. Tendo montado o time em pouco tempo — cinco novos contratados entraram em campo para compor o time titular—, a falta de entrosamento e de preparo físico de alguns atletas, somado a uma partida difícil contra um dos favoritos do campeonato e vice campeão carioca, impossibilitou um melhor resultado para a equipe bicolor.
No primeiro tempo o Papão foi melhor em campo; impôs seu ritmo de jogo, fez jogadas de perigo e desperdiçou diversas oportunidades de abrir o placar. Entretanto, no segundo tempo o Fogão voltou melhor, restando aos bicolores jogar no contra-ataque. O erro da partida foi cometido pela musa da arbitragem e aspirante ao quadro da Fifa, que anulou um gol legal de Leandro Cearense (entrou bem na segunda etapa e agradou a torcida). O lance influenciou diretamente no resultado da partida —injusto segundo os torcedores do bicola, que soltaram declarações como "garfaram meu Paysandu" e "vai subir na marra".

A torcida, como sempre, mostrou que os visitantes não tem espaço em Belém, mas pelo visto os organizadores da partida não perceberam. Depois do show na "Ruas de fogo", a Fiel Bicolor ficou "espremida" no lado B, enquanto sobrava espaço no lado destinado inteiramente aos torcedores do Botafogo. A Banda Alma Celeste ainda fez uma faixa em apoio aos professores "Papão 100% educação". O público foi de 18.356 pagantes (19.722 presentes), sendo 7.435 sócios torcedores e uma renda de R$565.085,00. Um dos melhores públicos da rodada (entre série A e B).


Destaques segundo os torcedores: Gualberto, Thiago Martins (a dupla de zaga foi muito elogiada) e Leandro Cearense. Piores em campo segundo os torcedores: João Lucas (falhou no gol) e Souza.
Fernando Torres/Paysandu

Apaixonadamente Paysandu

Compartilhe isto

Posts Relacionados