DE VOLTA A 2011

18:57:00
Fase de mata-mata da Libertadores. O Cruzeiro ganha a primeira partida fora de casa e leva a vantagem para definir a classificação no Mineirão, favoritismo da Raposa. Porém, em casa, o time perde de forma inexplicável e é eliminado da competição.
Aconteceu em 2011, aconteceu em 2015.

Cruzeiro não ganha nenhuma das 4 primeiras partidas do Campeonato Brasileiro, inclusive perdendo para o Figueirense.
Aconteceu em 2011, aconteceu em 2015.

Diretor de futebol incompetente, venda de jogadores importantes, falta de peças no elenco.
Aconteceu em 2011, aconteceu em 2015 de maneira ainda pior, pois esse ano nem uma pessoa específica foi designada para ser diretor de futebol do Cruzeiro.
Pelo menos em 2011 tínhamos um futebol que encantava a todos. O Cruzeiro, primeiro lugar geral da fase de grupos na Libertadores, era o “Barcelona das Américas” e até o jogo da eliminação tinha toda a confiança da torcida. Esse ano, o time jogou bem contra o Tupi (no campeonato mineiro, jogando com o time reserva) e contra São Paulo (jogo da volta) e River Plate (jogo da ida) na Copa Libertadores. O plantel cruzeirense se desfez no final de 2014 e início de 2015, as peças de reposição não foram contratadas pela diretoria e o time não engrenou até hoje - já estamos no sexto mês do ano! Marcelo Oliveira também parece irritado com a falta de postura da direção, insiste em um esquema que não vai funcionar devido à falta de jogadores para as posições específicas, principalmente o meia que ele já chegou a cobrar publicamente da diretoria. A defesa vai mal, o meio de campo inexiste e nosso ataque é desorganizado.

Direção e treinador estavam blindados pela maioria da torcida devido ao trabalho de sucesso nos anos de 2013 e 2014, porém a ficha caiu, para alguns, depois da eliminação na Libertadores e derrota para o Figueirense. Campeonato Brasileiro tem todo ano, não é porque fomos campeões nacionais na temporada anterior que estamos com a vida ganha na competição esse ano. O time só somou 1 ponto em 12 disputados, resultado pior que em 2011, que conseguimos 2 pontos em 12 disputados - se naquele ano só escapamos do rebaixamento na última rodada, o que esperar desse ano?

É certo que precisamos de uma reformulação, que se dará da forma mais difícil, pois terá que começar de cima. Gilvan tem que se despir de sua arrogância, ao afirmar que ele próprio faria o papel de diretor de futebol, assessorado por Benecy Queiroz e Valdir Barbosa, e contratar alguém competente para cuidar do futebol do Cruzeiro. Ele conseguiu mostrar-se incompetente para tal função, já que nos 6 meses em que ficou incumbido de gerenciar o futebol do clube, saímos prematuramente do campeonato mineiro, mal nos classificamos na Libertadores (sendo eliminados de forma vexatória depois) e ainda não conseguimos uma vitória no Brasileirão.

Os jogadores contratados não se encaixam na filosofia adotada pelo treinador, a maioria é fraca tecnicamente e nem de longe podem ser chamados de substitutos dos que foram embora. O time atual é mais fraco que o time reserva do Cruzeiro em 2014.

Portanto, para não protagonizar um vexame nacional, a ordem no Cruzeiro é contratar. Como está tudo errado no time, não sei qual seria a prioridade: um diretor de futebol, jogadores de qualidade e até mesmo um novo técnico, já que Marcelo Oliveira parece sem vontade de fazer esse time jogar bem. Enquanto isso, sofreremos, no meio da semana já tem uma nova rodada do Brasileirão, enfrentaremos o Flamengo e no sábado temos mais um clássico. O tempo é curto, as rodadas estão passando e o Cruzeiro não pode se dar ao luxo de perder mais pontos. 2011 bate à nossa porta.

Compartilhe isto

Posts Relacionados