Grêmio nervoso, resultado previsto

16:27:00

Fluminense segura pressão e Grêmio é eliminado da Copa do Brasil após empatar em casa.



    Em um jogo decisivo, disputando vaga para as semifinais da Copa do Brasil, o Grêmio levava vantagem diante do Fluminense como sendo o favorito da partida. Sem a participação do Pedro Geromel e do Maicon, dois jogadores de peso no elenco, o Grêmio perdeu as suas duas características principais: a criação rápida e o contra-ataque efetivo. Desde então, o técnico Roger Machado precisou reinventar o time para suprir a perda desses titulares. Contando com o esquema tático 4-2-3-1, o Grêmio começou marcando bem, possuindo a posse de bola, mas não conseguiu se encontrar no jogo.
    Logo no primeiro minuto, o juiz começou querendo mostrar serviço e amarelou o volante Walace. Aparentemente, o Grêmio não cedia espaços defensivamente e o Fluminense estava jogando bastante recuado. Uma grande chance surgiu com o zagueiro Erazo, que acertou o travessão em um lance cruzado chutado por Galhardo. Porém, nesse lance, o bandeirinha estava maluco e marcou impedimento. Foi um jogo com muitas faltas, cartões amarelos e, principalmente, lances impedidos.
Foto: Lucas Uebel | Grêmio FBPA (Esportes Terra)
    Luan, Douglas, Giuliano e Pedro Rocha, os que poderiam fazer a diferença, se encontravam apagados. O único que ao menos fez alguma coisa foi Giuliano, o que deu para ver após este fazer um grande cruzamento para Luan, que não alcançou a bola e perdeu uma grande chance de abrir o placar. Mais uma chance surgiu a seguir de mais um ótimo cruzamento do Giuliano para o Douglas, que, por um fio, não conseguiu cabecear. Escanteio e uma boa chance para o Grêmio que não foi aproveitada, com um chute do Walace ao lado do gol. O tricolor gaúcho se mostrava cada vez mais tenso, e jogava contra dois adversários: o Fluminense e o nervosismo.
      Aos 39 minutos do primeiro tempo, o que não poderia acontecer, aconteceu. Marcos Jr. cruzou, Erazo e Thyere deixaram Fred livre para cabecear e o Fluminense abrir o placar. Fim do primeiro tempo. O Grêmio teve, sim, mais iniciativa durante essa primeira etapa, mas estava afobado. Possuía mais a posse de bola, mais postura defensiva, não deu contra-ataque mas não encontrou espaços para atacar. Fluminense se aproveitou e fez o gol.
Foto:Fernando Gomes | Agência RBS (Zero Hora)
    Antes de dar início ao segundo tempo, Roger tirou o Walace, que já estava amarelado, e colocou um jogador de referência na área, Bobô. Ainda assim, o time tinha muito a ser corrigido pelo Roger. Antes do gol, já mostrava sinais de esgotamento e tensão. Com uma marcação forte do tricolor carioca, o Grêmio tentava achar espaços para jogar. O Fluminense ainda teve a chance de ampliar o placar, se não fosse uma grande defesa do Grohe para evitar o gol deles. Após o milagre do Grohe, veio o milagre do Diego Cavalieri: Erazo cabeceou no ângulo e Cavalieri conseguiu pegar. Uma muralha no Grêmio e outra muralha no Fluminense.
     Para acelerar o time, Fernandinho entrou no lugar do Douglas aos 14 minutos do segundo tempo, dando uma levantada na equipe. Roger apostou a sua última tentativa em Maxi Rodríguez, um jogador que abre o jogo, que corre bastante e que teria fôlego para ajudar o Grêmio, no lugar do Pedro Rocha, que não estava rendendo nada. O gol da esperança veio com Bobô, que mandou um chute espetacular no canto após a assistência do Giuliano. Foi o seu primeiro gol na Arena e na Copa do Brasil. Consequentemente, após o gol do empate, o Grêmio ganhou vida e os papéis inverteram. Dessa vez, o desafio era outro: jogar contra o Fluminense e contra o relógio.
Foto: Lucas Uebel | Grêmio FBPA (Esportes Terra)
    Definitivamente, Fernandinho e Maxi mudaram o comportamento da equipe e as oportunidades começaram a surgir. Grêmio teve chances de gols com ambos jogadores, mas Cavalieri estava inspirado e defendia todas. O Fluminense trabalhou muito a bola na frente da área e era notável que o Grêmio ainda se mantinha nervoso no jogo, mesmo sendo superior nos minutos finais. 
 
     Com a postura que começou diante do Fluminense, o tricolor gaúcho não entrou para ganhar. O resultado condisse com a atuação do Grêmio em campo. O time se atrapalhou demais e perdeu muitas bolas que favoreceram ao adversário. Ser eliminado sem perder dá, sim, uma sensação de injustiça, ainda mais se analisado da metade ao final do segundo tempo, onde o Grêmio conseguiu jogar melhor, não perdeu e foi eliminado. Agora nos resta o planejamento. Com ordem na casa, o futebol aparecerá em campo.
Foto: Félix Zucco | Agência RBS (Zero Hora)
Ficha técnica: 

Local: Arena do Grêmio
Data: 30 de setembro de 2015 
Horário: 22:00 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Márcio Eustáquio Santiago

Gols:
Fluminense - Fred, aos 39 minutos do primeiro tempo.
Grêmio - Bobô, aos 29 minutos do segundo tempo.

Equipes:
Grêmio: Marcelo Grohe; Galhardo, Rafael Thyere, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace (Bobô, intervalo), Edinho, Giuliano e Douglas (Fernandinho, 14'/2ºT); Luan e Pedro Rocha (Maxi Rodríguez, 23'/2ºT). Técnico: Roger Machado 
Fluminense: Diego Cavalieri; Jean (Higor Leite, 30'/2ºT), Gum, Marlon e Léo; Pierre, Cícero, Gérson (Douglas, 36'/2ºT) e Gustavo Scarpa; Marcos Júnior (Osvaldo, 16'/2ºT) e Fred. Técnico: Eduardo Baptista 


Fonte: Esportes Terra

                                                                                                                              @JGuimaraes97 

Compartilhe isto

Posts Relacionados

1 comentários:

Write comentários