Quanto maior o salto...

18:38:00
Existe uma máxima no futebol que deve ser levada muito a sério: Não existe mais bobo no futebol! O que o Grêmio protagonizou hoje, nesta linda tarde de domingo depois de uma semana de tragédias e muita chuva, foi um verdadeiro fiasco. Não desvalorizando a Chapecoense, que é um incrível clube de futebol, o tricolor poderia ter saído da arena com  pontos e uma goleada, tamanha foi a bola que jogou em determinada parte do jogo. O salto foi grande, e a queda maior ainda. 

Um primeiro tempo fantástico! Os antigos tempo de "BarceGrêmio" pareciam ter voltado em definitivo. Uma boa apresentação, com bom trabalho de bola e intensidade, fizeram o torcedor acreditar. Uma vitória contra o Santos na quarta embalou o time para mais uma fácil vitória contra um time brigando pra não cair. Esse parecia ser o bobo. Não demorou muito para a atuação virar gol. Douglas acertou um petardo e abriu o placar. A partir daí, a Chape parecia ter acordado pro jogo. Uma bola do Camilo na trave deu um choque de realidade no tricolor, que tratou de ir pra cima. Não demorou muito e o segundo gol saiu. Boa jogada de Luan com Galhardo, que cruzou, para Bobô completar para o gol. Tamanha era a vontade do gol que o centroavante tricolor quebrou o nariz do goleiro Sílvio, que foi substituído. Parecia tudo maravilhoso. Terceiro goleiro, dois gols de vantagem... Só administrar! Mas o futebol não é feito só de 45 minutos...

Fonte: terra.com.br

O segundo tempo foi um show de horrores, com Erazo como principal monstro. A pressão do primeiro tempo logo se tornou em gol. Erazo cometeu um pênalti infantil em Apodi que resultou no gol de Tulio (não o maravilha). Chute forte no meio do gol. O clássico "penalti da certeza". O empate era previsto. A displicência do tricolor não parava o impeto verde branco. Não demoraria muito para Maranhão botar na área e Bruno Grassi afastar mal. Erazo não conseguiu afastar com o perigo e o mesmo Tulio, que, por hora, passava-se a se intitular "Maravilha", fazer o gol de empate. Parecia o fim do mundo. Parecia. Como eu falei, a displicência do Grêmio era gigante. A tentativa desesperada de fazer um gol fez o técnico Roger botar Braian Rodriguez. Foi tanta vontade que o golpe fatal veio no último minuto: Apodi, em uma falha tenebrosa da zaga, decretou o fim de uma tarde tranquila. Virada na Arena após uma vantagem de dois gols. Tão vergonhoso que nem o técnico Roger aguentou até o fim do jogo

O vexame foi bom para o Grêmio. Não em termos de campeonato, já que o Santos diminuiu a vantagem que era de 9 pontos para 6. mas sim para ligar o alerta no Humaitá. Nada está ganhou, muito menos a vaga para a Libertadores. O Vasco, próximo adversário, está em boa crescente e pode assustar muito, principalmente no Rio. O foco deve ser total nos 90 minutos e em quanto mais forem precisos. Férias, somente quando a classificação estiver garantida matematicamente. Contra o vice lanterna, devemos fazer o mesmo que fizemos nesse primeiro tempo. Toque de bola e conclusão das jogadas. Só assim alcançaremos o objetivo, afinal, juntos somos mais fortes!

Compartilhe isto

Grêmio, United, Juventus, Borussia, Arsenal. Analista de futebol com olhos de torcedor. Um jornalista varzeano. Futuro educador físico.

Posts Relacionados