E o sonho continua...

22:02:00
Com um ótimo segundo tempo, o Cruzeiro passou por cima do Sport. O placar final... 3x0, mas, poderia ter sido bem mais elástico. Com muita intensidade e velocidade Mano Menezes viu seu time corresponder à festa nas cadeiras do Mineirão. Aliás, mais uma linda festa! Contando ainda, com a presença do atacante Marcelo Moreno no meio do povo, trazendo mais alegria ao torcedor cruzeirense.
Jogadores comemoram junto ao torcedor. Foto: Estadão Conteúdo)
Mano colocou em campo Fábio, Ceará, Manoel, Bruno Rodrigo, Fabrício; Willians, Henrique, Ariel Cabral; Marcos Vinícius, Alisson e Willian. No primeiro tempo, com uma marcação adiantada, o time começou mostrando que o mandante merece respeito. Willian, já conseguiu finalizar no primeiro minuto de jogo. Contudo, não conseguiram manter a intensidade proposta até os 09’. Assim, acabaram recuando e dando espaços para o adversário. Que só aproveitou nos minutos finais da primeira etapa. O Sport conseguiu criar, mas não foi feliz nas finalizações. Com dois times temendo arriscar e priorizando a marcação, o jogo ficou “morno” nos primeiros 45’.

Para a segunda etapa, alguns torcedores esperavam substituições no Cruzeiro. Porém, o técnico voltou do vestiário com o mesmo time. A mudança ficou por conta da postura dos jogadores, ou seja, houve conversa no vestiário quanto a isso. Ponto para o treinador (mesmo não mudando a equipe)!

A intensa velocidade vista no início da partida voltou. E logo nos primeiros minutos, Danilo Fernandes sentiu que o gol celeste estava prestes a chegar. Segundo as novas regras da CBF, aos 12’, pênalti marcado pros mineiros. Para surpresa da maioria, o volante Willians cobrou e muito bem, tirando o goleiro totalmente da jogada. A “porteira estava aberta”, quatro minutos após o pênalti, Willians buscou o cruzamento e o zagueiro Durval desviou para o próprio gol. Antes do terceiro gol, Alisson ainda teve a chance de ampliar o placar. Fez quase tudo certo, ganhou do zagueiro na velocidade, driblou o goleiro, mas finalizou de maneira pífia, por cima do gol.

Após este lance, veio o terceiro gol, aos 21’. Saindo em contra-ataque, o jovem Marcos Vinícius, já contestado por alguns torcedores, saiu do campo de defesa com a bola, ganhou na velocidade de dois defensores, aproveitou a saída do goleiro e marcou um golaço. Mostrou que é preciso ter paciência com os jovens, pois qualidade não falta.  Neste único lance, ele demonstrou autoconfiança- ele poderia ter tocado para Willian ou Fabrício que acompanhavam a jogada, no entanto acreditou na sua própria jogada. Mostrou que usa a velocidade com objetividade e que sabe ser frio para finalizar. Com trabalho e paciência, o garoto pode render bons frutos ao Cruzeiro. Este não foi um lance de sorte, foi de técnica e talento.


Passamos por mais um time que briga pelo G4/ G5, agora estamos a três pontos do quarto colocado. Com uma combinação (difícil) de resultados, o Cruzeiro pode sim chegar às vagas que levam a Libertadores do próximo ano, caso mantenha a invencibilidade conquistada com o trabalho do treinador e vença os próximos três jogos. Estão deixando a gente sonhar, mas caso não venha a concretização do sonho, devemos ter consciência da boa recuperação da equipe, do bom trabalho do Mano Menezes e das boas expectativas de planejamento para 2016. 

Avante Cruzeiro! 

Compartilhe isto

Posts Relacionados