Entrevista com Eduardo Bandeira de Mello

16:59:00
Dando continuidade as entrevistas com os candidatos à presidência do Clube de Regatas do Flamengo, o Vai Que To Te Vendo conversou com o atual presidente e candidato à reeleição Eduardo Bandeira de Mello. Bandeira respondeu sobre esportes olímpicos, polêmicas com a Federação, críticas sobre o último triênio e muito mais.


Confira na íntegra:

1) O Flamengo é referência quando o assunto é esportes olímpicos. A chapa pretende continuar com o investimento feito por gestões anteriores? Quais são as propostas para melhorarmos ainda mais neste quesito que sempre marcou a história do Clube?

Bandeira: Sem dúvidas, para o próximo triênio, o objetivo é alçar definitivamente o Flamengo ao patamar de referência nos Esportes Olímpicos, exercendo sua liderança natural pela capacidade, pelo tamanho e pela tradição. Nossas metas de performance competitiva visam a excelência nas conquistas esportivas e nos tornarmos os maiores formadores de atletas olímpicos do país, com equipes profissionais fortes e competitivas em todas as modalidades que disputarmos. Com a captação financeira através das leis de incentivo ao esporte (IR, ICMS, CBC, Lei Pelé, e o Anjo da Guarda) - somente possíveis através da obtenção e da manutenção das CNDs -, continuaremos com os Esportes Olímpicos no patamar atual de autossustentabilidade, sem precisar recorrer às verbas do futebol, como acontecia antes.

Para os esportes aquáticos, com a reforma do parque aquático e a nova Piscina Myrtha (equipamento semelhante ao usado nas Olimpíadas de Londres), teremos uma infraestrutura excelente, no mesmo padrão da Olímpiada, o que permitirá que a Gávea receba atletas de alto nível, vislumbrando o retorno do protagonismo Rubro-Negro no cenário nacional. Para a Ginástica Artística, com o Claudio Coutinho reformado, teremos um dos centros de treinamento mais modernos e completos do país. O judô, com o novo e moderno dojô, a brilhante tradição que carregamos estará assegurada no próximo triênio – e adiante também.

Em relação ao basquete, o “Orgulho da Nação”, a modalidade passou a ter orçamento próprio de cerca de R$ 10 milhões anuais. Ela foi tratada com todo o carinho e pela diretoria e, sobretudo, pela torcida. Os resultados apareceram na quadra de forma histórica e definitiva: conquistamos três NBBs consecutivos, a Liga das Américas e o Mundial de Clubes da FIBA. A infraestrutura para os atletas foi assegurada com as reformas realizadas no Ginásio Helio Maurício. Projetamos quem com a construção da Arena Multiuso da Gávea, o Basquete terá seu alçapão e as conquistas se seguirão. Nosso  objetivo é que sejamos reconhecidos e admirados como o verdadeiro "centro do basquete brasileiro".

2) Presidente, o Sr. deixou claro que o Flamengo não entrará em nenhum acordo com a Federação Carioca de Futebol. Caso a chapa azul ganhe o pleito, esse posicionamento será mantido? Jogaremos o Campeonato Carioca com qual equipe?

Bandeira: O Flamengo não vai se curvar às arbitrariedades nem aos interesses escusos que, hoje, prevalecem na federação. A decisão de disputar o campeonato com time alternativo é soberana e está mantida. O Flamengo e eu manteremos os processos, contra a Federação e seu presidente, por toda a má conduta e insultos dos últimos anos.
A torcida do Flamengo pode ter certeza: se eles acham que vão nos intimidar, estão muito enganados. Diante da iminência de mais um campeonato deficitário, a única instituição favorecida é a própria Ferj que tem boa parte de seus recursos oriundos popularidade do Flamengo.

3) O que tem de concreto para a finalização do CT do Flamengo? As obras finalmente terminam em 2016?

Bandeira: Vamos utilizar as verbas economizadas mensalmente com a adesão ao Profut para finalizar o módulo profissional no próximo ano. Uma boa noticia foi que o CT entrou no projeto Anjo Rubro Negro em 2015/16. Isso vai contribuir com uma verba importante para conseguirmos avançar o mais rápido possível na execução das obras da parte para a base, que terá outras captações. Dois aspectos importantes nesse tema: depois que concluirmos a parte profissional, a base usará o espaço que, hoje, é aproveitado pelos profissionais. Nosso cronograma para toda área da base – substancialmente maior por conta do número bastante superior de atletas envolvidos – é finalizar até o fim de 2018. Não é promessa: é compromisso.

4) Esse triênio ficou marcado pela austeridade financeira, que foi bastante positiva e elogiada por todos. Recentemente tem saído várias notícias com valores de investimento que o clube pretende usar no futebol. Caso o Sr. seja reeleito, o torcedor do Flamengo pode esperar um time mais competitivo? Haverá mais investimento?

Bandeira: Teremos um time muito forte. Seguiremos com nossa bandeira de austeridade financeira, até porque aprovamos uma importante emenda no Estatuto do Flamengo que determina esse rigor, mas teremos um aumento de fôlego para investimentos conseguido graças ao esforço que fizemos nesses primeiros três anos. Essa capacidade de investimento nos permitirá investimentos em grandes jogadores, na conclusão do CT e na implementação de outros projetos estruturantes para o departamento. Até aqui, estávamos plantando. Agora, chegou a hora de começar a colher.

5) Nossos sócios-torcedores representam uma minoria absoluta da nossa imensa torcida e temos poucas vantagens dos sócios off-Rio. Existem planos para a melhoria do programa para que possamos aumentar o número de sócios? O que fazer para manter e atrair mais sócios que moram fora do Rio de Janeiro?

Bandeira: Além dos benefícios de descontos e comodidade na compra dos ingressos, estamos trabalhando em três frentes: melhora contínua da qualidade de serviço e atendimento do programa; aumento significativo da nossa rede de descontos e benefícios através do cartão de ST; e a valorização das experiências com o clube. Essas iniciativas focam, principalmente, o off-rio, que pode usufruir de outras vantagens, fidelizando ainda mais os atuais STs e atraindo novos sócios ao programa.
Com um caixa mais robusto a partir de 2016, montaremos um time mais forte, o que pode refletir num maior interesse pelo programa.

6) Sr. Presidente, a sua gestão vem sofrendo duras críticas, principalmente dos opositores, em relação à pasta do futebol. O que fazer para que a partir de 2016 essas críticas diminuam e o futebol seja melhor administrado?

Bandeira: O futebol teve performance aquém da esperada no triênio. Entendemos que, com essa maior capacidade financeira, poderemos avançar na qualificação do elenco.  Em paralelo, estamos avançando em projetos estruturais para o departamento que são essenciais para garantir o melhor desempenho de nossos atletas.
Podemos citar o projeto de integração de todos segmentos da áreas de saúde (Centro de Excelência em Performance), o projeto de análise de desempenho (Central de Inteligência de Mercado), e a sensível melhora da gestão na base, que já vem mostrando resultados em especial na categoria sub-15, que conquistou resultados impressionantes e teve o maior número de convocados para a seleção da categoria.

7) Presidente, o que o Sr. pensa a respeito do tratamento que a torcida do Flamengo recebe fora do RJ? O que deve ser feito para o torcedor se sentir mais seguro, ter acesso a ingressos com mais facilidade? Já que no Maracanã o torcedor visitante tem o mesmo tratamento do torcedor local.

Bandeira: Infelizmente, esse é um trabalho enorme que fazemos individualmente com cada clube, mas que tem resultados ainda modestos. Cada um tem sua operação de jogos como mandante, e infelizmente a torcida rubro-negra enfrenta situações desagradáveis. Estamos atentos e lutando com cada clube sobre essa situação. Em relação ao Maracanã, o consórcio quer fazer o dele o estádio mais amigável e família do pais. Também já conversamos com eles e houve uma significativa melhora mas, enquanto formos inquilinos de um estádio, certas coisas não poderemos fazer do jeito que gostaríamos.

8) Como melhorar o atual acordo com o Maracanã? Existem propostas e alternativas para preços mais acessíveis de ingressos? O Flamengo vai em busca do tão sonhado estádio próprio ou tentará melhores acordos com a concessionária Maracanã?

Bandeira: O Flamengo é o principal interessado no destino do Maracanã depois dos Jogos Olímpicos. Já estamos discutindo alguns cenários, inclusive, com possíveis parceiros. Caso não seja possível rever as condições e efetivamente operar os jogos lá, iremos avançar em planos alternativos para termos o nosso estádio. Em relação a ingressos, o Maracanã de hoje, com os valores fixados a R$50 ou R$60, considerando a meia-entrada e o programa de sócio torcedor, esse valor fica em torno de R$10 a R$12, que entendemos ser um valor bastante acessível. Não podemos esquecer que cerca de 20% do público não paga pelos ingressos, por uma política adotada no estado.

9) Arena McDonald's: Por que a demora para a liberação do alvará de construção da Arena? O que falta para dar início ás obras? Ficará pronta até as Olimpíadas?


Bandeira: Por mais que estejamos profundamente empenhados na aprovação da construção da Arena Multiuso, precisamos respeitar os trâmites legais e administrativos do poder público, que cumprindo com as demandas exigidas da forma mais correta possível. Atualmente, precisamos de mais duas aprovações: do Corpo de Bombeiros e da Secretaria Municipal do Meio Ambiental. Após tais trâmites, poderíamos começar as obras imediatamente. O prazo para a conclusão do empreendimento é de algo próximo de oito a dez meses.


A equipe do Flamengo_VQTTV entrou em contato com todos os candidatos à presidência do Clube de Regatas do Flamengo e espera publicar a entrevista com a Chapa Branca em breve. Se você ainda não conferiu, já postamos a nossa conversa com Wallim Vasconcellos. Cabe reiterar que o blog não tem nenhum tipo de posicionamento político, queremos que vença quem for melhor para o Flamengo.

Saudações Rubro-Negras,

Compartilhe isto

Posts Relacionados