O que esperar quando não se espera nada

09:59:00
O ano de 2015 vai chegando ao fim e com ele praticamente todas as expectativas e esperanças da Nação em ver o Flamengo ser vitorioso. Afinal, neste ano o time não disputou nenhum título, sofreu eliminações frustrantes e tecnicamente deixou muito a desejar.

A instabilidade vista em campo - apesar de não ter levantado nenhuma taça, o time alternou bons momentos que o permitem ainda sonhar com Libertadores - é reflexo dos vários problemas na montagem de elenco e da comissão técnica. O time se formou no decorrer do Campeonato Brasileiro, com a chegada de peças importantes, como Alan Patrick, Ederson, Emerson Sheik e Guerrero. Sem falar no excesso de trocas no comando do elenco: foram três técnicos (Luxemburgo, Cristóvão Borges e Oswaldo de Oliveira) em um ano.

Guerrero sofreu com deficiência técnica dos companheiros | Foto: Reprodução


Ainda assim, alguns fatores podem ser considerados alentos à Nação. A boa safra de jovens vindos da base começa a aparecer no time principal. Jorge é o principal exemplo: supriu uma carência antiga na lateral esquerda e hoje é um dos principais jogadores do time. Além dele, outras promessas mostraram seu talento, ou se firmaram na opinião da diretoria e da torcida, como o goleiro César, o volante Jajá, os meias Matheus Sávio e Thiago Santos, e o centroavante Douglas Baggio.

Diante todo esse panorama, a desconfiança paira no torcedor rubro-negro. Se por um lado o time instável e ainda abalado pelo caso do "Bonde da Stella" não entusiasma nem mesmo o mais fanático flamenguista, do outro, a aparição de jovens da base e a possibilidade de que o próximo ano será melhor, dão ares românticos e esperançosos. Mas, o que esperar quando não se espera mais nada?

Foto: Jorge Rodrigues

De fato ainda há uma pequena chance de que classifiquemos para a Libertadores da América 2016. E é por ser pequena que nos apegamos a chance e esquecemos os números. É o prazer de vencer o improvável. São quatro jogos em que torcida e time apreendem-se em um só foco. A hora de deixar de lado o ano ruim e pensar em fazer um próspero ano novo. E ele começa agora. Na partida contra um concorrente direto pela vaga. O Santos, que, por sua vez, faz um ano cheio de bons frutos. Mas o Flamengo engrandece nas decisões, e agora até os rachões de treino serão tratados como a grande final. É o que se espera.

Compartilhe isto

Posts Relacionados