Bola Cheia e Bola Murcha - 2015

Murillo Ferreira 19:35:00


Fonte: Globoesporte.com
Todos sabem que 2015 não foi um ano bom para o São Paulo. Uma temporada bastante conturbada com problemas dentro e fora de campo. Não conquistamos títulos, pagamos muitos micos em clássicos, tivemos quatro técnicos diferentes (contando com o interino Milton Cruz), crise financeira, escândalos políticos que geraram a renuncia do Presidente Carlos Miguel Aidar e ainda vimos as despedidas de dois ídolos da torcida: Rogério Ceni e Luís Fabiano. As coisas só não foram piores, pois conquistamos a vaga na Libertadores de 2016.

Bola Cheia:

Thiago Mendes: Foi a principal contratação do São Paulo em 2015 e, talvez, o principal jogador da equipe. Vindo do Goiás, começou o ano sendo improvisado tanto no meio de campo atuando pelos lados, como na lateral-direita. Com as saídas de Souza e Denílson no meio do ano, voltou a atuar na sua posição de origem (volante) e voou em campo. Foi o motor do time, lembrando os bons tempos de Mineiro, desarmando bastante e dando uma boa saída de bola para a equipe. 

Breno: O zagueiro voltou a jogar depois de três anos preso na Alemanha por incendiar a própria casa. Reestreou com a camisa Tricolor no empate no primeiro turno com o Corinthians, pelo placar de 1 a 1. Chegou a marcar um gol no jogo contra o Avaí, mas as constantes lesões atrapalharam sua sequência. Apesar disso se mostrou muito seguro e eficaz. Se estiver bem fisicamente, certamente será um dos melhores do elenco em 2016.

Sócio-Torcedor: Este ano o Tricolor fez uma reformulação em seus planos de Sócio-Torcedor e obteve bons resultados se compararmos com o desempenho desestimulante do time em campo. Antes de lançar os novos planos o clube tinha cerca de 47 mil sócios (segundo site futebolmelhor.com.br), hoje, o quadro possui um pouco mais de 80 mil, simbolizando um aumento de 70%. O clube ainda está longe de alcançar números aceitáveis se compararmos com a grandeza de sua torcida, mas com o ano fraco que tivemos, é algo a se destacar.

Bola Murcha:

Calos Miguel Aidar: Só o fato de ter renunciado a presidência do São Paulo em menos de dois anos de mandato traduz o quão ruim foi o ano envolvendo Aidar. Contratou mal e vendeu muitos jogadores sem a devida reposição. Causou mal-estar com o técnico Osorio prometendo um projeto e dando-lhe outro. Entretanto, foi quando o caso de Iago Maidana tomou forma que as coisas foram ficando mais claras, sendo acusado de corrupção.

Lucão: Até hoje eu tento entender o excesso de prestigio que ele tem com a comissão técnica. Um dos quatro jogadores campeões da Copa do Brasil sub-17 em 2013 que foram promovidos para o time principal (junto com Auro, Boschilia e Ewandro). De lá para cá ele coleciona desastres e oportunidades, sendo destes quatro, o que mais teve chances de mostrar seu futebol. Foi o zagueiro que mais atuou em 2015 pelo Tricolor com 47 partidas, e quase sempre, comprometendo. Uma das mais marcantes foi a derrota pesada para o Corinthians por 6 a 1.

Doriva: O treinador assumiu o comando do time em uma situação bastante complicada e logo após a saída do colombiano Osorio. Sua escolha já foi bastante questionada por causa do seu pequeno  currículo e inexperiência pra comandar um clube grande que está mergulhado em uma grande crise. O treinador comandou a equipe em apenas sete jogos e tendo um aproveitamento de 33%. Foi demitido faltando poucas rodadas para acabar o Brasileirão.


Compartilhe isto

Posts Relacionados