O time que nunca perdeu

11:35:00
Desde que começou a ser disputado o Campeonato Brasileiro, vários clubes tiveram o privilégio de levantar a taça de campeão. Mas apenas um pode se vangloriar de ter conquistado um título sem uma derrota sequer. Há 36 anos, em uma tarde ensolarada, o Internacional dava um grande presente de Natal à sua torcida. No dia 23 de dezembro de 1979, com a vitória por 2 a 1 sobre o Vasco no Beira-Rio, o Internacional fechou uma campanha perfeita no Brasileirão daquele ano, ganhando o torneio de forma invicta. Em 23 partidas, o Colorado venceu 16 jogos e empatou sete.

(foto:imortaisdofutebol.com)


O time treinado por Ênio Andrade reunia habilidade e força. Experiência e juventude. Na ponta direita, estava Valdomiro, perto de completar 34 anos, que defendeu o Brasil na Copa do Mundo de 74. Na zaga, despontava o jovem Mauro Galvão, 18 anos completados quatro dias antes da decisão. E sobrava técnica nos pés de Falcão, Batista, Mário Sérgio e Jair.


A campanha invicta foi repleta de grandes desafios. O Inter teve que superar tradicionais equipes do futebol nacional. Na terceira fase, teve o Cruzeiro no seu grupo, reeditando a final de 1975. O jogo, disputado no Mineirão, foi vencido por 3 a 2 pelo Colorado, com gols de Valdomiro, Falcão e Zezinho (contra). Já nas semifinais, o Inter encarou Palmeiras, e mais uma vez mostrou força fora de casa, ao vencer no Morumbi por 3 a 2, com gols de Falcão (2) e Jair. Na partida de volta, no Beira-Rio, o empate em 1 a 1 garantiu a vaga na grande final.


A decisão do título colocou frente a frente Inter e Vasco da Gama. O primeiro duelo foi no dia 20 de dezembro de 1979, no Maracanã. O reserva Chico Spina atuou no lugar de Valdomiro e teve participação decisiva na capital carioca: marcou dois golaços e assegurou boa vantagem para a partida de volta.

(foto:globoesporte.com)



Três dias depois, o Beira-Rio – assim como fora nas finais de 75 e 76 – lotou para mais uma partida antológica. Com muita gana de dominar o Brasil mais uma vez, o Inter foi para cima da equipe de São Januário. Jair e Falcão fizeram 2 a 0, um gol em cada etapa. Wilsinho descontou para os cariocas, mas o placar servia para o Colorado ser campeão brasileiro.

A terceira estrela estava posta, brilhante e orgulhosa, no peito de todos os colorados.

Jessé Lincke

Compartilhe isto

Posts Relacionados