Aos senhores dirigentes...

10:45:00
Fonte: Jornal O Tempo.
Queremos reforços. Precisamos de reforços!  Mas não de dois, três como noticiam a imprensa e aqueles que fazem parte do dia-a-dia do Cruzeiro. Precisamos de uma reformulação geral.  O elenco é fraco, é frágil, é desqualificado em várias posições. E que os jogadores não se sintam ofendidos, mas me acostumaram com um nível técnico melhor.

Talvez, talvez, a culpa seja minha. Por querer que tais jogadores rendam mais do que a qualidade (ou falta dela) permita. Se bem que, que culpa tenho eu de acreditar nos visionários e bem entendedores de futebol que são nossos dirigentes? Não foi assim que ganharam a confiança do torcedor? Não foi com boas análises de desempenhos que nos apresentaram tais jogadores? Então, na verdade não tenho culpa alguma. Posso apenas me considerar iludida. E no momento, bem frustrada.

Óbvio que a reformulação não ocorrerá toda agora. Mas já pode (e deve) começar a ser bem planejada. O que quero dizer é que, as contratações que provavelmente chegarão na próxima janela, devem ser pensadas já visando outras contratações em 2017. Um planejamento a longo prazo! As peças que chegarão já devem ser vistas como encaixadas em um esquema junto de outros jogadores onde as características se completam. E com esse time titular, esse elenco, não vejo para projeto para longo prazo. São apenas jogadores para compor elenco, alguns deles. Outros vão servir como buscas de soluções para negociações fracassadas. E repito, a culpa não é deles! Apenas ofereceram seus produtos, o comprador que se permitiu iludir.

Caros dirigentes, a torcida em sã consciência, sabe que a intenção de vocês não é falhar nos planejamentos. Não é irritar o torcedor, não é deixar o Cruzeiro na situação em que se encontra na tabela do Campeonato Brasileiro, fora das finas do Mineiro, no cenário crítico do futebol. Contudo, o que estão fazendo ou deixando de fazer para que a situação tenha chegado a esse ponto? Onde falharam? Já assumiram as responsabilidades?

Será que vocês mesmos acreditam no que querem nos convencer? Nesse planejamento fajuto que estão nos apresentando? Duvido!  

Apesar de quererem nos fazer de palhaços, não somos. Não engolimos qualquer coisa. Ainda mais se essa “coisa”, está visivelmente prejudicando o Cruzeiro. Queremos mudanças! De postura, principalmente. Se não assumirem seus próprios erros, não terão moral para cobrar comissão técnica e jogadores, por exemplo. Muito menos, jogar a responsabilidade para o torcedor. Que se encontra decepcionado com vocês, profundamente decepcionado.

Fomos tolos em acreditar nas palavras que nos disseram no final de 2015? Será que ainda lembram do que disseram?

Creio que vocês nem se quer imaginam o quão triste é ver o Cruzeiro nesta situação. O que vocês devem saber é dos prejuízos financeiros que estão tendo, da imagem que está se desgastando perante o mercado, algo em torno disso. Pois, para vocês o Cruzeiro é antes de tudo uma empresa, não é? Já para nós, o Cruzeiro é tudo! Amor, paixão, gratidão, orgulho.... Os milhões que vocês lidam recaem nos nossos sentimentos. E no momento, nossos sentimentos giram em torno do medo, do desespero, da incerteza e da desconfiança em relação as suas ações, diretoria.

Não quero aqui apontar culpados únicos. Quero é que vocês se apeguem a culpa. Não são os únicos, mas talvez sejam os maiores culpados da situação em que estamos. Vocês planejaram mal, se é que planejaram. Vocês devem então, antes de tentar nos dar justificativas lastimáveis ou de procurar e fazer a torcida acreditar em culpados externos- a imprensa mineira- assumir os próprios erros. Só assumindo os erros que serão capazes de pensar em soluções, em boas soluções.

Chega de omissão. Podem continuar com o trabalho sigiloso, sabemos que no mercado do futebol, sigilo é primordial em negociações. Contudo, fazer um trabalho em sigilo não é condição para que se tornem omissos perante o torcedor. Não apareçam só para tentar apontar culpados ou para nos jogar meia dúzia de palavras vazias. Estão mexendo com mais de 8 milhões de apaixonados e não de bobos.

Não é porque batemos palmas naquela final mineira, em 2013, contra o Atlético-MG, onde demonstramos que nosso apoio é incondicional, que vamos aceitar erros sem questionar. Apesar de uma parte do torcedor teimar em não pensar assim, apoio incondicional não é sinônimo de isenção de críticas. E caso ocorra as mesmas, o amor pelo Cruzeiro não diminui em momento algum. Não se esqueçam, somos conhecidos como uma torcida exigente. Não como tolos cegos de amor. Não nos subestimem!

Aos outros culpados, jogadores, que vocês cobrem. Raça não é a solução para tudo, não é suficiente para trazer sempre as vitórias. Porém, demonstra que estão ao menos tentando. E não me venham dizer que raça e vontade não estão faltando. Se não tivessem, não teríamos discursos de “falta de motivação”.

Motivação maior que está em um grande clube, fazendo o que gosta, recebendo em dia, vestido uma camisa que grandes craques já vestiram? O que mais querem para motivar? Caso alguns jogadores estejam realmente insatisfeitos e isso esteja afetando o psicológico... Bom, a estrutura do Clube é invejada por sua modernidade. Psicólogos não devem faltar na Toca. Caso falte, ajeitem essa falha.

Fica aqui então, meu desabafo por todos os jogos pífios que vêm amedrontando o torcedor celeste. Fiquem cientes que a torcida não aplaude o momento. Mesmo que não falte apoio - que fique claro, ao Cruzeiro, não a vocês - seja vindo das cadeiras do Mineirão, seja vindo em demonstrações por redes sociais, seja assistindo ao jogo no sofá de casa ou ouvindo pelo rádio.


Diretoria, nos respeite. Respeitem o Cruzeiro Esporte Clube. Respeitem nossas estrelas. Respeitem nossa história. Horem o clube que representam. Se destaquem também pela grandeza e não pelo sentimento de decepção que estão gerando no torcedor.  É o que deseja uma nação que nunca abandonará o Maior de Minas!

Compartilhe isto

Posts Relacionados