02 de Julho de 2008 - Nunca esqueceremos de vocês

15:10:00

Foto: Globoesporte.com

Fernando Henrique, Gabriel, Thiago Silva, Luiz Alberto, Junior César, Ygor, Arouca, Darío Conca, Thiago Neves, Cícero, Washington. Que time sensacional, o Dôdo ainda era reserva, sempre entrava pra decidir.

É... ontem fez 8 anos, não parece, a dor continua aqui, a cicatriz está fechada, mas toda vez que me falam sobre aquele fatídico dia, ela supura um pouco, todos os sentimentos retornam e eu sinto vontade de desaparecer, mas penso mais um pouco e lembro como eu era feliz.

Aquela campanha foi simplesmente sensacional, jogamos como eu nunca tinha visto o Fluminense jogar e tudo iria acabar no dia 2 de Julho de 2008, uma pena, aquele jogo nunca acabou para qualquer torcedor do time das Laranjeiras. Ainda vive dentro de nós todas as vezes que citam o nome do time adversário, ao qual me recuso a mencionar.

Eu estava em solo carioca, quando vi a derrota por 4 a 2 no jogo de ida, isso não me fez duvidar nem por um segundo de que seríamos campeões da America, enfrentei fila para o segundo jogo, por causa de esquema de cambistas, não consegui meu ingresso, talvez uma peripécia divina.

Assisti a grande final em um bar na região oceânica de Niterói, eram 7 torcedores do Fluminense e no mínimo uns 50 torcedores do Flamengo que cantaram e muito quando tomamos o primeiro gol aos 5 minutos do primeiro tempo, naquele momento, me forcei a ser otimista, já tínhamos enfrentado desafios piores e Washington nos tinha salvo aos 46 do segundo tempo com um gol memorável contra o São Paulo, naquele momento nada mais era impossível, óbvio que ainda dava.

Falar sobre o jogo é duro, você provavelmente se lembra do que aconteceu, Thiago Neves recebeu um dom divino de fazer tricolores felizes e naquele dia ele utilizou grande parte dele. Foram 3 gols, e aos 11 do segundo tempo o placar agregado já estava empatado, 3 a 1 para o tricolor carioca.

Aquela campanha foi uma ODE ao bom futebol, quando desejo falar de um time grande que era a antítese do futebol moderno mesmo não desejando ser, me refiro a este. A superação virou marca registrada do Fluminense, era como se quiséssemos nos colocar em situações complicadas desnecessariamente apenas para ter que lutar contra todas as probabilidades.

Assistir aos jogos era como ver um espetáculo, você não sabe o que virá no fim, mas tem quase certeza de que acabaria com vitória tricolor.

O que me deixou realizado foi poder comemorar cada um daqueles gols no meio de tantos flamenguistas, a cada gol de Thiago Neves, os 7 bravos tricolores entoavam cânticos antigos e canções proibidas em comemoração, os flamenguistas ouviram tudo o que tínhamos a dizer e dissemos: O FLUMINENSE TEM MUITO MAIS CORAÇÃO DO QUE TODOS VOCÊS.

Foram mais 35 minutos para acabar o segundo tempo e mais 30 minutos de prorrogação, e se o jogo continuasse até hoje, Guerrón ainda estaria correndo como se nada tivesse acontecido.

Sabemos o que se deu, perdemos aquela final, mas a campanha ainda vive em nossos corações. Todo tricolor está preso àquela final não porque perdemos, está preso porque nada nos fazia mais feliz do que ver aquele time jogar. Tivemos muitas alegrias nos anos que se seguiram, mas ainda desejamos ver o Fluminense amedrontar tanto os adversários como fazíamos.

Para todos os tricolores o que posso dizer é que compartilhamos do mesmo sentimento e que possamos ter boas lembranças do dia mais triste de nossa história.


Por: Daniel Pasini

Compartilhe isto

Posts Relacionados