Invasão de fé: a hora da redenção!

15:29:00
Depois do balde água fria em nossas cabeças difícil levantar da cama com alguma vontade de ver um programa esportivo sequer. A manchete? O apagão do gigante. 

Eu acredito que ninguém esperava por uma atuação tão abaixo do nível como foi a do São Paulo nessa noite calorosa de quarta feira, onde o jogo foi apitado por um argentino (sim Argentino!) sendo que na outra chave jogaria o Boca Juniors. 

Imagem: veja.abril.com.br/ Atacante Calleri reage á gol dos colombianos.
O time de Bauza veio de dois desfalques, Ganso e Kelvin assistiram a partida de fora na arquibancada. A escalação foi previsível: Denis, Maicon, Rodrigo Caio, Mena e Bruno, Thiago Mendes, J. Schmidt, Wesley, Michel Bastos e Ytalo, Calleri. 

O jogo parecia ter uma cara de 0x0 sofrido, mas eis que surge a mão argentina e diz "hoy no!", e dale expulsão nele, Maicon. Cá entre nós que o critério utilizado pelo juiz não foi o mesmo, onde minutos antes da expulsão nosso jogador levou um carrinho por trás e sequer o defensor do Atlético Nacional levou um cartão amarelo. Até jogo de corpo em cima do adversário era cartão pro São Paulo, inacreditável.

Imagem: esporte.uol.com.br/ Juiz aplica cartão vermelho em Maicon após lance infantil do defensor.
Uma série de erros levaram á essa derrota, demora por substituições (e uma das substituições um tanto quanto equivocada), má atuação de Ytalo, Mena e Wesley que sentiram a pressão adversária e mal pegaram na bola e claro, influência do juiz.
ACABOU?

90 minutos, 11 jogadores, um propósito, muita raça. De desacreditado para semifinalista eu digo: não acabou. A classificação pode não vir mas que haja vontade, gana, sangue nos olhos, amor e respeito ao peso da camisa que ostenta TRÊS grandes títulos internacionais. Alguém disse que será fácil? Pelo contrário, agora saberemos o porquê de Lugano e Pintado terem voltado ao elenco São Paulino. Alguém disse que será impossível? MUITO pelo contrário, não é a toa que nosso time tem nome de santo, que a moeda cai de pé quando se trata de São Paulo Futebol Clube. 

A frase clichê novamente estampa o nosso ditos "99% de fé enquanto houver 1% de chance", a esperança espairece de nossos torcedores o medo, pois ser São Paulino talvez seja isso... Erguer a bandeira quando o mundo desacredita. Ser São Paulino talvez seja isso, contrariar a razão, os cálculos e toda a semântica pessimista e mostrar o porquê estamos aqui. Ser São Paulino, agora afirmo, é isso, carregar no peito a fé e na camisa o peso, carregar no coração a história e nos cantos a glória, portanto eu digo, EU ACREDITO!   




"Todo mundo dava a gente como carta fora do baralho mas isso aqui é Libertadores né? E aqui tem uma química muito grande nesse estádio com a Libertadores né? Não é atoa que é um time que chegou em tantas finais, tem uma tradição é o clube da fé, e quando se tem fé se chega onde as pessoas não esperam!" 
- Rogério Mucke Ceni. 

E são com as frases de Rogério Ceni que vos deixo com seus pensamentos, há mais motivos para acreditar ou desacreditar? 

Siga-nos no Twitter: SPFC_VQTTV

Compartilhe isto

Posts Relacionados