Máfia dos resultados: Mais um câncer atinge a saúde do futebol brasileiro

20:34:00
O atual momento que o futebol brasileiro têm passado é cada vez mais critico. Tão critico quanto o caso da americana Mazie Piccolo.

Em março de 2009, a jornalista Siri Carpenter relatou em uma das suas colunas no jornal americano 'New York Times', o caso da americana de 84 anos, que residia na pequena comunidade de Rosadale, Maryland (EUA) e que sofria com uma série de problemas de saúde. Piccolo tinha uma doença cardíaca que diminuía seu fôlego e causava inchaço nas pernas. Além disso, Mazie tinha um ritmo de batimentos cardíacos fora do normal que aumentava o risco de derrame e como se não bastasse, a americana também sofria de Artrite nas pernas. 

O atual cenário do nosso futebol é tão critico que pode ser comparado ao quadro de saúde da americana Mazie. A descoberta da 'Máfia dos resultados', nada mais é que o surgimento de mais um câncer que assola o futebol nacional. 

Na última semana veio á tona relatórios que revelam supostas manipulações de resultados no futebol brasileiro. Entre quarta (6) e quinta-feira(7), a Policia Civil do Rio de Janeiro realizou prisões em solo carioca, cearense e paulista. 

A operação "game over" tem como objetivo investigar e combater a manipulação de resultados no futebol brasileiro. Algumas empresas especializadas em rastrear possíveis manipulações no esporte, após utilizarem grampos telefônicos, chegaram á conclusão que quadrilhas de origem asiática e especializada em fraudar resultados esportivos, estariam atuando no Brasil. 

Os relatórios que embasam as denúncias contra os suspeitos detidos durante a semana passada, indicam que alguns jogos tiveram uma espécie de movimentação suspeita com oscilações entre as apostas. Segundo o relatório apresentado á imprensa, essas oscilações apontam indícios forte de fraude. 

As maiores evidências de manipulação foram encontradas nas partidas: 

Botafogo 4 x 0 Quissamã e Vasco 3 x 1 Quissamã (Campeonato Carioca 2013), Rio Preto 4 x 0 Barueri (Paulista Série A3 2016), Audax 3 x 0 Duque de Caxias (Copa Rio 2015), Sorocaba 0 x 9 Santo André (Paulista sub-20 2015) e Rio Preto 1 x 2 Flamengo (Final Campeonato brasileiro de futebol feminino 2016)

A principio, as investigações estão centralizadas em partidas do campeonato Paulista, Carioca e Cearense. No entanto, uma fonte ligada á investigação, garante que a cada dia surgem mais indícios e que os demais campeonatos estaduais também podem estar no radar dos apostadores. 

No Brasil, das 27 federações, a única que faz um trabalho de prevenção efetivo é a Federação Paulista de Futebol (FPF). No início do ano, a atual gestão encabeçada pelo presidente Reinaldo Carneiro Basto, contratou a Sport Radar, empresa que também trabalha para a Uefa, Concacaf, AFC, além de atuar em outros esportes. 

A situação é crítica no país. Devido as competições de baixa visibilidade, aos jogadores com salários baixos e aos árbitros não profissionalizados, o cenário é perfeito para a operação dos grupos organizados. Além disso, não há nenhuma fiscalização preventiva realizada pelas entidades que regem o futebol brasileiro.
(Reprodução/globoesporte.com)
Graças á anos e anos de corrupção, hoje, o Brasil vive um momento delicado tanto na politica quanto no esporte. Para piorar, além dos problemas com a corrupção, estamos num país que está vivendo uma crise econômica sem precedentes em sua história.

No entanto, alguns casos comprovam que mesmo passando por crises severas, o futebol consegue crescer acima de outros setores. Podemos tomar como exemplo a crise que os EUA passou entre 2008 e 2010, mesmo com uma situação politica e econômica delicada, as franquias e os esportes americanos conseguiram sobressair. Há oito anos, a Espanha também por problemas financeiros e mesmo assim, os dois maiores time do país, Real Madrid e Barcelona conseguiriam se blindar, gerar recursos e "sobreviver" á crise. 

Por isso, acho que já passou da ora das pessoas começarem a entender que o problema do futebol brasileiro, não é apenas a qualidade do técnico que está a frente da seleção ou dos jogadores que representam o seu clube. O problema do nosso futebol vai muito além, está na raiz. E assim como na politica, eles só serão minimizados se houver uma reforma geral, em todos os eixos. Junte os problemas de corrupção esportiva com as atitude inconsequente de dirigentes que fazem os clubes aumentarem suas dívidas cada vez mais e você vai ver que a saúde do nosso futebol está debilitada. O estado é crítico e a princípio, sem previsão de melhora á curto prazo.

Siga-nos no Twitter: @SantosVQTTV

Compartilhe isto

Posts Relacionados