Pós-Jogo - Atlético MG x Ponte Preta: As desventuras de uma noite ESTRANHA

01:01:00


Saudações massa alvinegra,

Algo a se comentar sobre hoje? Alguém entendeu o que de fato aconteceu em campo? Eu não faço a mínima ideia. Me abstenho de falar de qualidade técnica em um confronto que foi decidido pela MÁ QUALIDADE do espetáculo. Convenhamos: Essa pode ter sido uma das piores apresentações do Galo na temporada até aqui, mas afinal, tem culpados nessa história? Não e vou explicar o porque mais a frente, mas vamos á análise do jogo:

O jogo começou com o Galo mal distribuído em campo, extremamente verticalizado e orientado MAIS UMA VEZ a ter uma postura técnica e tática incompatíveis com as características do time (só frisar um detalhe: É a TERCEIRA VEZ que volto a falar de decisões equivocadas do Marcelo do ponto de vista de leitura de jogo e amplitude tática, ou seja, de ver o jogo e alinhar a equipe em campo). Foi um jogo em que o Galo se manteve o tempo inteiro com a posse de bola, chegando a ter 72% de posse ao 38 minutos do 1º tempo, mas completamente torto, com suas linhas mal alinhadas, descompactado, moroso, lento na saída de bola e na sua recomposição, as peças do meio campo não funcionaram porque a postura foi equivocada. A sensação é que, se houvessem mais 90 minutos de partida, o Galo trocaria passes sem profundidade, objetividade, sem intensidade e sem dinamismo sem sequer incomodar a meta do Aranha, que por sinal, pouco trabalhou nesta noite. Mesmo digo para o Uilson, que acabou substituindo emergencialmente o nosso santo alvinegro, que sentiu dores na musculatura lombar, não reuniu condições de jogo. 

Um 1º tempo em que se poderia analisar se a equipe queria de fato dar á Copa do Brasil o seu devido trato, jogando com mais ímpeto e sendo mais dinâmico em campo. Além da má apresentação, as escolhas equivocadas acabaram tornando o jogo chato e angustiante. Do lado da Ponte Preta, a macaca não fez nada além do que estava no script: armada no 4-5-1, com duas linhas de 4 atuando recuadas, atrás da linha da bola, tendo um volante como um líbero, buscando desafogar as saídas da equipe aproveitando as lacunas deixadas pelo EXCESSO de avanços dos nossos laterais (que precisam entender que marcar é preciso). Aos 37 minutos, desatenção na bola parada no momento da saída dos defensores e Roger aproveitou a sobra pra abrir o placar, um brinde para a Ponte Preta que até então tinha mais sucesso em sua proposta de jogo.

Veio a 2ª etapa e mais do mesmo: A Ponte Preta fiel em sua proposta, de acordo com suas limitações e o Galo aceitando de forma passiva e morosa a postura adversária. Ficou mais agressivo de fato com a entrada de Maicosuel, que denovo eu reforço ao leitor, não pode sair desse time. Ele é a válvula de escape, o dínamo do Galo, é o jogador que dita o ritmo do Galo em campo, flutua com facilidade, velocidade e com muita qualidade pela linha de meias e faz jogadas agudas da direita para o centro. Em uma jogada individual, fazendo essa diagonal com muita explosão, Maicosuel encontrou Robinho, que com tranquilidade, bateu no canto direito de Aranha e igualou o marcador. A partir do gol, a partida ganhou um pouco mais de intensidade (UFA!!), mas terminou da mesma forma que começou: TEDIOSA

Um começo medíocre de Copa do Brasil, essa é a síntese que se faz da primeira partida das oitavas de final, mas não há nada a se temer em termos de disputa, o confronto está aberto e dia 21 de setembro, no jogo da volta, teremos o resultado dos 180 minutos (Eu espero que os 90 de Campinas não sejam tão tediosos quanto os primeiros 90 minutos de BH). Resultado bom para a Ponte Preta, que pode avançar com critério de gol qualificado, podendo empatar 0x0 ou 1x1 ou avançando por vitória simples. Resta ao Galo o empate por 2 ou mais gols de diferença ou vitória simples.


Nota positiva sobre hoje: Nenhuma, CAMbada. Sinceramente.


Nota negativa de hoje: 1 - O público DECEPCIONANTE na partida de hoje por diversos motivos pelos quais não vou abordar aqui. Deixo com vocês esse debate.

2 - O fantasma do DM volta a nos assombrar novamente. Previsível que a equipe, que fora mal preparada fisicamente no início da temporada fosse sofrer mais alguns picos de lesões (Uma pré temporada bem feita faz TODA a diferença). 

Victor: Vetado no aquecimento com dores na lombar, será avaliado na sequencia da semana. Duvida para o confronto de domingo;

Marcos Rocha: Sentiu um desconforto no músculo adutor da coxa. Também será reavaliado e também pode ser dúvida para domingo;

Rafael Carioca: Teve uma entorse forte no tornozelo durante uma disputa de bola pelo alto. Pelo aspecto da lesão, pra mim (minha opinião) está vetado pra domingo e deve ficar de molho por um tempo.


Vamos para o homem em campo:

MAICOSUEL

Tá meio complicado eleger um melhor em campo em uma partida estranha como essa, mas Maicosuel hoje se tornou uma peça chave desse time, ditando o ritmo de jogo do Galo, com muito dinamismo, proficiência e flutuando com intensidade pela linha de meias. Marcelo, por favor, não tire Maicosuel do time. Não faz essa cagada. Obrigado.



Quem não foi bem:

Marcelo Oliveira hoje merece o bola murcha desta noite pela morosidade na escalação, por mais uma vez apresentar falta de visão tática e ter decisões equivocadas na leitura do jogo e na escalação, mais uma vez buscando apresentar em campo uma postura tática que NÃO SE ENCAIXA NO PERFIL TÉCNICO E TÁTICO DO GALO.


Concluindo:

Uma partida ruim, é o que vimos hoje. Mas analisando fora desse contexto, é plausível que o Atlético possa priorizar o campeonato brasileiro, devido a importância do confronto de domingo, afinal, temos o Tricolor Gaúcho, o Imortal, o Grêmio, em seus domínios. O time é vice líder do campeonato, há uma pressão e uma mobilização geral em torno do brasileirão, para buscar uma conquista que não nos é empossada desde 1971 (45 anos de fila!!), mas sobre hoje, não há nada a se elogiar e imagino que nem criticar, não espero que o Galo volte a apresentar esse futebol moroso nos confrontos a seguir. Vida que segue, massa, sem terra arrasada, sem colheita perdida, é hora de semear confiança e seguir acreditando pra colher alegrias no final da temporada.


Ps: Hoje ficamos sem a palavra final dos jogadores por uma "noobice" da pessoa que vos fala.


Scouts do jogo:

GALO: Uilson; Marcos Rocha (Carlos César), Léo Silva, Ronaldo, Douglas Santos; Leandro Donizete, Rafael Carioca; Otero (Maicosuel), Robinho, Carlos (Clayton); Lucas Pratto.

Técnico: Marcelo Oliveira

PONTE PRETAAranha; Nino Paraíba, Douglas Grohli, Fábio Ferreira, Reinaldo; Jõao Vitor, Maycon (Abuda), Thiago Galhardo (Matheus Jesus), Rhayner; Roger,  Clayson (Wellington Paulista).

Técnico: Eduardo Baptista

Gols: Roger (PONTE PRETA); Robinho (GALO)

Cartões: Amarelo -->  Douglas Grohli, Maycon, João Vitor, Rhayner, Reinaldo, Thiago Galhardo (PONTE PRETA); Clayton, Lucas Pratto (GALO)
              
              Vermelho --> Douglas Grohli

PÚBLICO E RENDA:
15.493 pagantes
Renda: R$ 413.910,00



#UNIDOSSOMOSFORTES #EUACREDITO #AQUIÉGALO #NÃOÉMILAGREÉATLETICOMINEIRO #VAIPRACIMADELESGALO 


Me sigam lá no Twitter, galera: @lsilveiralg 
Equipe Atlético-MG: Twitter | Facebook


Compartilhe isto

Posts Relacionados