Pós-Jogo - Grêmio x Atlético MG: Qual sabor tem esse empate?

19:34:00



Saudações, massa alvinegra, bão ou não !?

Um empate que divide muitos. Muitas opiniões divergentes, variadas conclusões, mas o fato é: O Galo conquista um empate com sabor de vitória. Num contexto geral, analisando o que foi a partida, foi um brinde, mas projetando atuações dentro do campeonato, é uma aula de como uma equipe não deve abdicar do seu DNA.

Diante de todos os acontecimentos, de uma sequencia de lesões, de diversas duvidas e possibilidades, a ideia do Galo era mostrar a mesma imponência que mostrou contra o Palmeiras, fora de casa, mas dentro de campo, na prática, foi completamente diferente. Galo foi a campo disposto taticamente no 4-4-2, atuando em faixas específicas de campo, com duas linhas de 4 praticamente plantadas da intermediária para o seu campo de defesa, atras da linha da bola, com Lucas Pratto mais avançado, buscando com Fred aproveitar erros e espaços da defesa do tricolor gaúcho para explorar contragolpes. O Grêmio, em contrapartida, atuava em casa e precisava da vitória para permanecer vivo na briga pelo título, apostou em um 4-3-3, com uma linha de meias avançados justamente no espaço da intermediária do Galo, com Luan flutuando pelas pontas e Douglas centralizando as jogadas, buscando explorar a bola longa.

Desde o minuto inicial até o final do 1º tempo, o Grêmio era senhor da partida. Aproveitava os enormes espaços cedidos pelo Galo, principalmente pelo meio, para pressionar. Avançava suas linhas e pressionava o Galo, o empurrando para o seu campo de defesa. O que eu venho SEMPRE chamando a atenção: O GALO NÃO SABE ATUAR DA FORMA QUE FOI ESCALADO. Enquanto o Grêmio aproveitava o espaço pra criar a vontade (foram 17 finalizações só no 1º tempo!), mesmo não sendo efetivo, o Galo não conseguia sequer reter a posse. Era um time absolutamente lento na transição, os volantes fizeram uma partida ruim, logo eles, que fariam as funções mais importantes na partida: impedir a transição de meio de campo gremista e dar velocidade á saída de bola atleticana. Não fizeram nem uma coisa, nem outra. O Galo se dispôs a aproveitar erros gremistas para trabalhar a bola em velocidade nos contragolpes, mas Maicosuel estava fora de sua posição usual, o time ressentiu a partida inteira de uma articulação pelo meio, as linhas excessivamente recuadas e jogadores distantes, não compactavam o jogo, impondo nenhuma dificuldade ao setor de criação do Grêmio. Brilhou a estrela do nosso goleiro de ouro, Uilson, que mais uma vez mostrou muita personalidade. Parabéns, Uilson.

Se esperava que fosse feita uma mudança de postura tática no Galo, que o time passasse a valorizar a posse e ter uma melhor transição para tirar o ímpeto do Grêmio, mas não foi assim. O Grêmio continuou abusando dos erros na frente e criando chances perigosas e o Galo, errando excessivamente os passes, com as linhas de 4 atras da bola, esperando a evolução do Grêmio e dando espaço ao tricolor gaúcho para criar. Assim surgiu o 1º gol da partida, feito pelo EXCELENTE Luan (melhor jogador da seleção olímpica, medalhista de ouro, porém, injustiçado na convocação da seleção principal). Jogada trabalhada pela direita, condução de bola e chute cruzado, a bola ainda desviou no Léo Silva e encobriu o goleiro Uilson. 1x0 para o Grêmio. 

Quem disse que a tônica da partida mudaria? Não... continuou com o Grêmio trabalhando com muita tranquilidade a posse pelo meio e criando (e desperdiçando) chances e o Galo com suas linhas de 4 presas na intermediária. Até que a luz da consciência bateu sobre a ilustre careca do nosso comandante Marcelo Oliveira, que desfez o erro da alteração do intervalo, tirando Fred para a entrada de Robinho. A entrada de Robinho acabou com a letargia do meio campo, e a entrada de Otero no lugar do Fábio Santos, deslocando Maicosuel para direita melhorou muito o aproveitamento da equipe, que nos ultimos 5 minutos chegou ao gol de empate num contrataque extraordinário orquestrado pelo nosso pedalada da massa, Robinho, artilheiro do campeonato, triangulando pela esquerda com Maicosuel, encontrando Douglas Santos, que com um cruzamento rasteiro perfeito, encontrou Robinho cara a cara, que não desperdiçou: 1x1. Alias, que temporada faz o Robinho, me lembrando muito o que Diego Tardelli fez quando chegou, contrariando críticas, estatísticas, demonstrando sempre aquele futebol envolvente, irreverente, de imensa qualidade. diferenciado.

Após o gol de empate, apesar da superioridade tricolor, o Galo passou a chegar com mais perigo, tendo uma ótima oportunidade desperdiçada por Lucas Pratto, batendo no canto, tirando lasca do travessão. E nessa apoteose de emoções, com frustração pelo lado gremista e alívio e felicidade pelo lado atleticano, termina mais um jogo: 1x1 foi o placar final.



Nota positiva sobre hoje: Rafael Carioca atuou toda a partida, demonstrando estar recuperado e pronto para realizar seu sonho de figurar na seleção principal, que já viaja para Quito hoje e inicia na segunda feira a preparação para os duelos contra Equador e Venezuela. 


Nota negativa sobre hoje: Nosso capitão Léo Silva está suspenso pelo 3º cartão amarelo recebido na partida de hoje, desfalca o Galo contra o Vitória. Pratto e Otero também se apresentam hoje as suas seleções, Argentina e Venezuela, respectivamente e assim como Rafael Carioca, desfalcam o Galo no próximo embate, contra o Vitória, no Horto, no dia da Independência do Brasil, 7 de Setembro.



Vamos para o homem em campo:


LUAN - GRÊMIO





Hoje, Luan é considerado o melhor meia de articulação atuante em nosso país, não só pela brilhante participação nas olimpíadas, mas pelo o que vem contribuindo para o tricolor gaúcho desde o ano passado, com grandes atuações e gols decisivos. Hoje foi um dínamo da equipe gremista, flutuando pelo setor ofensivo, recompondo com qualidade a linha de meias e trabalhando bem a articulação com Douglas, dando muito volume e intensidade ao Grêmio. Parabéns pela partida e pelo Ouro, Luan.


Quem não foi bem:

Alguns vão entender que é perseguição, outros não. Mas não, não é perseguição, até porque um dos GRANDES RESPONSÁVEIS pelo momento que vive o Galo hoje é Marcelo Oliveira. Hoje o Galo tem uma cara, uma postura tática e técnica eficiente e aproveita o melhor da imensa qualidade de seus jogadores, mas hoje, mais uma vez, Marcelo pecou pela falta de visão tática, em tentar explorar uma qualidade que nosso elenco não tem: Atuar com duas linhas de 4 atrás da intermediária, explorando contragolpes. Não deu e não vai dar certo.

Concluindo:

Como vocês classificam esse ponto? Providencial? Veio na hora certa? Sabor de vitória? Eu creio que todas essas afirmações estão corretas. Mas a forma como a equipe atuou foi errada. É evidente que muito mais do que "não ser a transcrição do DNA" da equipe do Galo, o Galo não sabe atuar dessa forma. Não só pela ausência das peças que poderiam nos dar essas características, mas pela característica daqueles que estão jogando. Não é obrigatório vencer um adversário direto pelo título, ainda mais em sua casa, mas poderia ter apresentado muito mais do que apresentou hoje, ainda mais tendo em vista a partida que fez contra o Palmeiras: Aproveitando o melhor da suas características, marcando forte o adversário, não dando espaços, mas PROPONDO o jogo, retendo a posse, trabalhando melhor a posse de bola, com transição mais veloz e se movimentando mais. Esse 4-4-2 cauteloso, de contragolpes não é o esquema ideal. Há muitas formas de se explorar contragolpes. Que tal as formas que explorou contra o Palmeiras, contra o São Paulo ? Não abdicando da marcação, mas também, não deixando de jogar. Por isso, na visão deste que vos fala, o empate também tem sabor de REFLEXÃO.

Então é isso,  massa alvinegra, um ponto que vai somar para as nossas pretensões no campeonato, afinal, muitos concorrentes diretos vão perder pontos para o Grêmio em seus domínios, agora, é continuar trabalhando e pensando em chegar á liderança

Próximo confronto: Vitória, dia 7 de Setembro, as 19:30, na Arena Independência. Compre seu ingresso, vista seu manto, pois a luta continua.



Fala, comandante Marcelo:

"Tudo o que se passou durante o jogo a gente tem que comemorar mesmo. O empate é muito bom. Durante todo o tempo o Grêmio nos impôs o jogo. O Grêmio não teve grandes chances para marcar. Foram muitas finalizações e cruzamentos. Não foi um grande jogo do Atlético-MG. Não conseguíamos marcar nem jogar. Depois fomos achando espaços, mas tudo isso foi por conta de uma tarde que não estávamos inspirados e pela qualidade do Grêmio. Foi um grande resultado para quem quer chegar"

"Comissão tem que tomar decisões, criar estratégias. Não deu certo em função da nossa má jornada e pela competência do Grêmio. A lição que fica é que temos que marcar um pouco mais. Utilizar mais da qualidade técnica que temos. É acreditar até o final. Além do empate, no finalzinho tivemos a chance de virar o jogo. O empate foi um grande resultado".



Scouts do jogo:

GALO: Uilson; Carlos César, Léo Silva, Ronaldo, Fábio Santos (Otero); Leandro Donizete, Rafael Carioca, Lucas Cândido (Douglas Santos), Maicosuel; Lucas Pratto, Fred (Robinho).

Técnico: Marcelo Oliveira

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Wallace Reis, Kannemann, Marcelo Oliveira; Maicon, Jaílson, Wallace; Douglas (Ramiro), Luan (Guilherme), Miller Bolaños (Henrique Almeida).

Técnico: Roger Machado

Gols: Luan (GRÊMIO); Robinho (GALO)

Cartões: Amarelo -->  Wallace Reis, Kannemann, Wallace, Miller Bolaños (GRÊMIO); Léo Silva, Rafael Carioca, Lucas Cândido, Fred (GALO)
              
              Vermelho --> Nenhum.


PÚBLICO E RENDA:
30.631 pagantes (32.963 presentes)
Renda: R$ 1.111.535,00




#UNIDOSSOMOSFORTES #EUACREDITO #AQUIÉGALO #NÃOÉMILAGREÉATLETICOMINEIRO #VAIPRACIMADELESGALO 


Me sigam lá no Twitter, galera: @lsilveiralg 
Equipe Atlético-MG: Twitter | Facebook

Compartilhe isto

Posts Relacionados