Pós-jogo - São Paulo x Atlético MG: Uma grande vitória de dois tempos distintos.

23:07:00


Saudações, massa alvinegra.

Mais uma grande vitória, na casa de um adversário difícil de ser batido em seus domínios. Não era qualquer jogo, principalmente se tratando do encontro dos outrora, adversários de quartas de final da Copa Libertadores. Um jogo que continha todos os ingredientes pra ser o melhor da rodada: Despedida de "El Patón" Bauza, que a partir de agora será treinador da seleção Argentina de futebol, com duas estreias: Buffarini e Chaves (dois ótimos jogadores). Pelo lado do Galo, a manutenção do que vem dando certo: Um esqueleto tático perfeito para explorar o melhor da característica de seus jogadores.

O São Paulo foi escalado de maneira ofensiva, no 4-4-2 tradicional, buscando explorar a qualidade de seus pontas, Michel Bastos e Kelvin, já o Galo, escalado no 4-2-3-1 ofensivo e 4-5-1 defensivo, com Pratto, Robinho e Maicosuel fazendo a recomposição da linha de meias, com movimentação dos volantes, principalmente de Rafael Carioca, que auxilia também na criação, conduzindo a saída de bola do Galo. O jogo começou elétrico e de forma inusitada para o Galo, com um golaço de Chaves, aproveitando a desatenção da defesa no combate á 2ª bola  (se foi falha ou não de posicionamento do Victor, há muito o que se discutir). O que se esperava do Galo a partir daquele momento era inteligência tática, postura e controle de posse de bola, e foi exatamente o que aconteceu. Após o gol, o Galo se tornou o senhor da partida, não sentindo o gol e se impondo em campo, com muita compactação, saída em velocidade, boa transição pelo meio campo, com mais uma grande partida de Maicosuel, assumindo muitas vezes o papel de maestro em campo, e foi dele o 1º gol do Galo: Uma maravilhosa jogada pela esquerda, com outra figura excepcional, Fabio Santos, conduzindo com muita qualidade, fazendo linda triangulação com Robinho e Rafael Carioca, tocando para Fred, que mais uma vez, com imensa qualidade, fez a virada e enxergou Maicosuel, penetrando na defesa são-paulina e batendo cruzado. 

O gol deu ao Galo ainda mais propriedade ao Galo para mandar em campo, fazendo o 2º em mais uma ótima antecipação, dessa vez de Lucas Pratto, triangulando pelo meio com Maicosuel, recebendo a bola de frente, tirando o volante Hudson da jogada e batendo colocado, no ângulo esquerdo de Dênis, fazendo um golaço. Merecido gol e ótima atuação do Urso alvinegro. O 1º tempo foi de domínio total do Galo, com poucas chegadas do São Paulo, que dependia de lances individuais de Kelvin e Michel Bastos, que pouco agrediam nossa meta. Ao final do 1º tempo, erro de arbitragem: gol mal anulado pelo péssimo Leandro Vuaden e seus péssimos companheiros de arbitragem, que não sei como ainda apitam, pela quantidade de erros que cometem em jogos importantes. Maicon dava no mínimo de 40 a 50cm de condição a Fred, tirando o brilho de uma otima traingulação de Robinho, Fábio Santos e Maicosuel pela esquerda e cruzamento na medida para Fred fazer o gol. Esse gol anulado de forma incorreta nos custou uma noite no G4.

Sigamos para o 2º tempo e ai vocês entenderão o título da postagem: Um segundo tempo distinto, completamento diferente do que nos acostumamos a acompanhar, com o Galo recuado, acuado em seu campo de defesa, retendo muito pouco a posse de bola e perdendo velocidade e compactação. Esse erro se deu principalmente pela análise errada do Marcelo Oliveira em apostar num São Paulo muito aberto e nos erros da equipe paulista, que pouco aconteceram. Bauza arrumou sua equipe, mantendo o poder de marcação e passando a agredir o Galo, avançando sua marcação e comprometendo a saída de bola alvinegra. Com isso, Marcelo tentou corrigir apostando em Luan e mais um volante para melhorar essa saída e reter mais a posse. Lucas Cândido entrou mal na partida, não deu o resultado que o técnico esperava e o Galo passou a sofrer pressão do São Paulo durante 30 minutos. 

Mas ai apareceu aquele que foi o melhor em campo: São Victor do Horto, nosso herói e nosso libertador alvinegro. Muita coisa ainda será discutida em relação ao gol sofrido, mas essa grande vitória se deve ao brilhante 2º tempo de Victor, fazendo pelo menos 4 fantásticas defesas, com altissimo grau de dificuldade. O momento de Victor foi dando confiança ao sistema defensivo, que se compactou, mas não tínhamos saída e transição de meio campo, pois a bola só ficava nos pés do time paulista. Aos 37 minutos da etapa complementar, tivemos a estreia de Rômulo Otero, discreta, nada contribuiu, muito devido á postura do Galo na 2ª etapa. Só nos restou nos segurarmos na defesa e manter a bola no ataque para garantir mais uma vitória que nos coloca cada vez mais firmes na disputa pelo título.

Vamos para o homem em campo:

VICTOR

Victor foi o melhor jogador em campo, principalmente pela segurança e pelo protagonismo do 2º tempo, fazendo pelo menos 4 defesas de altíssimo nível e várias intervenções providenciais que ajudaram o Galo a trazer 3 pontos muito importantes. Muito se discute em relação ao gol que sofreu, mas não há como criticar ou menosprezar a qualidade de um dos maiores, senão, o maior goleiro que já defendeu nossa meta e um verdadeiro herói, líder e grande responsável pelos grandes momentos, grandes vitórias e grandes títulos que conquistamos. Maicosuel também merece destaque pelo excelente 1º tempo, com muita qualidade na movimentação pelo meio, fazendo boa recomposição defensiva e penetrando com muita qualidade e velocidade, dando ótimos passes e se apresentando pro jogo, chamando a responsabilidade. Fábio Santos, em mais uma partida maravilhosa, por pouco não recebe o título simbólico de melhor em campo pela brilhante partida tática e participação efetiva do 1º gol alvinegro.


Quem não foi bem:

Na opinião deste blogueiro que vos fala, Junior Urso rendeu um pouco abaixo dos demais, apesar de ter feito uma grande partida do ponto de vista defensivo, fazendo muito bem a cobertura pelo lado direito, trabalhando bem a posse pelo meio e ajudando nas ações ofensivas no 1º tempo. Já no segundo, caiu muito de produção e errou em coberturas, antecipações e em saídas de bola. No aspecto geral, uma boa atuação.

Concluindo:

Conquistamos uma grande vitória diante de um bom adversário, que também irá figurar na disputa pelo título do campeonato, com uma brilhante atuação no 1º tempo, com o que temos de melhor: Imensa qualidade técnica, organização tática, raça, seriedade e entrega. Porém, no 2º tempo, o time mudou seu esqueleto e sua postura tática, passando a ditar uma proposta de jogo que não sabe fazer e NÃO É característica da nossa equipe: Dar posse ao adversário para explorar seus erros, apostando no contra-ataque. Recuou em demasia, oferecendo campo pro adversário e risco á nossa meta, não aproveitando os erros pois evoluía de forma muito lenta e não trabalhava a bola pelo meio. Mas se não conta com o coletivo, a qualidade individual TEM e DEVE aparecer, com São Victor do Horto fazendo mais uma noite feliz para os atleticanos.

Com a palavra, São Victor do Horto:

""O Atlético tem conseguido recuperar os pontos do início ruim que nós tivemos. Alcançamos o nosso objetivo. O pensamento é jogo a jogo. São quatro vitórias seguidas, duas contra equipes fortes aqui em São Paulo. Conseguimos encontrar o caminho"

Lembrando que os ingressos para a próxima batalha na nossa casa já estão á venda, corra para garantir o seu, pois já estão esgotados alguns setores. Que continuemos com essa sinergia maravilhosa entre torcida-jogadores, esperando sempre um Galo cada vez mais aprimorado e forte, com futebol alegre, com imensa qualidade técnica, tática, com posse de bola, trabalhando bem e vencendo sempre uma batalha a cada jogo para que em dezembro, possamos viver mais um maravilhoso momento de nossa história.

Os Scouts do jogo:

GALO: Victor; Carlos César, Léo Silva, Erazo, Fábio Santos; Rafael Carioca, Junior Urso; Maicosuel (Lucas Cândido), Lucas Pratto, Robinho (Otero); Fred (Luan)

Técnico: Marcelo Oliveira

SÃO PAULO: Dênis; Buffarini, Lugano, Maicon, Mena; Wesley (Luiz Araújo), Thiago Mendes (Pedro), Hudson, Michel Bastos (Daniel); Kelvin, Chávez

Técnico: Edgardo Bauza

Gols: Chávez (São Paulo); Maicosuel, Lucas Pratto (Galo)

Cartões: Amarelo --> Buffarini, Lugano (São Paulo); Maicosuel, Otero (Galo)

PÚBLICO E RENDA
Público pagante: 15.717
Renda: R$ 364.658,00



#UNIDOSSOMOSFORTES #EUACREDITO #AQUIÉGALO #NÃOÉMILAGREÉATLETICOMINEIRO #VAIPRACIMADELESGALO 



Me sigam lá no Twitter, galera: @lsilveiralg 
Equipe Atlético-MG: Twitter | Facebook



Compartilhe isto

Posts Relacionados