Uma ausência que será sentida

Elivar Júnio 17:37:00


Fala Nação Celeste! De fato, estamos em um momento pavoroso, muitos até mesmo estão “gritando de dor e preocupação”, afinal, as coisas já estão difíceis, imagina agora sem nosso capitão. Vamos nos unir e torcer para que ele volte bem e o mais rápido possível.

Num domingo, 14 de agosto, o Cruzeiro mandava o jogo no Independência contra o Coritiba, o jogo estava empatado em 1 a 1, num lance o Fábio vai sair do gol para dividir uma bola, lance simples até, e se choca com o jogador do Coxa no chão e cai, sente o joelho. Eu vi naquele momento que alguma coisa estava errada, não só o placar, mas a expressão do nosso Capitão com o atendimento demonstrou alguma coisa além. 6’ minutos depois não conseguiu continuar em campo e foi substituído, entrou o jovem Lucas França, já havia demonstrado confiança no jogo contra o Corinthians cujo Fábio estava suspenso.

Nosso capitão foi submetido à exames e a triste notícia foi passada para os torcedores: rompimento do ligamento do joelho, 8 meses como previsão para voltar. O sempre substituto do Fábio foi o Rafael, nos últimos 5 anos pelo menos nós nem nos preocuparíamos tanto, mas nesse ano é diferente. A ausência do Fábio deverá ser motivo para que possamos encher o estádio e apoiar ainda mais, em nome dele e da volta para parte de cima da tabela do Campeonato Brasileiro.

No momento contamos com Elisson, Lucas França e Rafael, como goleiros reservas no elenco, na teoria Rafael seria o mais cotado embora tenha acabado de voltar de uma cirurgia no dedo da mão. O momento nos faz refletir; sobre ausência técnica do Capitão e Ídolo Fábio não pode entrar em discussão, mas e a liderança em campo? O Cruzeiro deveria contratar alguém? Devemos nos lembrar que ele já não é um garoto, o plano para o futuro da meta do Maior de Minas se torna hoje uma importante pauta. Mais do que nunca o sentimento de medo se dá pelo momento do time, e a segurança que tínhamos nos últimos 10 ou 12 anos sobre goleiro. Sem sombra de dúvidas, o ano de 2016 até agora é uma penumbra. 

Então gostaria que vocês resumissem o ano de 2016 até aqui em duas palavras, em relação ao Maior de Minas, eu usaria apenas uma: medo. O time iniciou o ano com desconfiança dos torcedores pela mudança no comando do time, e também com expectativa, pois algumas contratações estavam sendo feitas, não tão pontuais como gostaríamos, mas estavam chegando novos jogadores;

Mas já no Campeonato Mineiro um “fiasco”, não somente por que perdeu para o América/MG na semifinal, mas por que não chegou à final, fato que era obrigatório pelo o que o time apresentou na reta final do Campeonato Brasileiro de 2015, quando o Mano ainda estava no comando, mas ele foi para China e o interino Deivid foi efetivado, porém o time não deu liga, e ele caiu no final do mês de abril após a eliminação para nas semifinais do Campeonato Mineiro.

Assume Paulo Bento! O time fez algumas boas partidas, ganhou o clássico contra o Atlético/MG, goleou a Ponte Preta fora de casa, mas as derrotas se enfileiraram e a insistência em alguns nomes fez cair o Portuga, que eu até gostava do estilo. Nós já pedíamos o Mano de volta, recém demitido da breve passagem no futebol Chinês, o coro engrossou com o Capitão Fábio participando das críticas à diretoria, então se concretizou, ele voltou! O cara que pode nos salvar, e trazer um pouco alegria novamente. O time já demonstrou equilíbrio no seu comando, a zaga se acertou com Manoel e belas atuações dos reforços Rafael Sóbis, Wanchope o assassino da área, como diria o nosso eterno Sorín e a constância de De Arrascaeta que evoluiu muito nesse ano. Porém os gols ainda não vieram como gostaríamos, a expectativa é grande, e o time provou que pode reagir e ganhar posições. Vamos nos unir, como eu disse no início pois mais que nunca o time precisa da torcida. #ForçaFabio #VamosLaBanda 

Equipe Cruzeiro: Twitter | Facebook
ACOMPANHE A SÉRIE GUERREIROS IMORTAIS 
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK TRIBUNA CELESTE 

Compartilhe isto

Olá querido leitor, estudante, observador, pensador e é claro, um curioso. Vamos tentar (vocês me dirão se conseguirmos), exemplificar a filosofia do dia a dia. Faça-me companhia, que lhe pago uma cerveja depois.

Posts Relacionados