CURIOSIDADES DO TRICOLOR: Estrelas do escudo são-paulino

13:18:00
Em suas duas fundações - a primeira em 25 de janeiro de 1930  e a segunda em 16 de dezembro de 1935 -, o clube que (de forma resumida) acabou fechando por estar sem dinheiro, ainda não possuir estádio próprio e várias disputas internas, acabou continuando com algo que permaneceram imutáveis na reabertura: suas cores e escudo (o famoso "coração de 5 pontas" vermelho, branco e preto e nem por decreto alguém pode mudar isso - está prevista no estatuto essa imutabilidade -).

As imagens mostram o escudo são-paulino e como foi mudando ao longo dos tempos em relação às estrelas, mas sem perder a identidade dos tempos da sua fundação.



http://www.footbup.com.br/noticias/historias-e-evolucoes-dos-escudos-dos-clubes-paulistas/849/

Verdade que não há um "padrão estelar" para que os times resolvam colocar estrelas em seus escudos e uniformes ou simplesmente não usá-las - caso da Itália, por exemplo, que a cada 10 campeonatos italianos, seu time ganha uma estrela -, mas você, tricolor, já se perguntou o porquê do uniforme do seu vitorioso time ter 5 estrelas, sendo duas amarelas (ou douradas, caso prefiram) e três vermelhas?

As douradas referem-se a Adhemar Ferreira da Silva, praticante de salto triplo (leia um pouco sobre ele na nossa coluna Atletas Olímpicos), campeão olímpico e recordista mundial em Helsinque (FIN) em 1952, campeão pan-americano e recordista mundial nos Jogos Pan-Americanos da Cidade do México (MEX) em 1955.

As três vermelhas, sim, pertencem ao futebol: referem-se ao tricampeonato (sim, tri) mundial de clubes (afinal, mesmo antes do atual formato, a FIFA - Federação Internacional de Futebol - já reconhecia exibindo seu logotipo nas taças) conquistados em 1992 sobre o Barcelona (ESP), do então jogador Pep Guardiola, em 1993, a vítima foi o Milan (ITA), com a base da seleção italiana que seria vice na Copa de 94 e o Liverpool (ING), em 2005, fortíssimo campeão europeu e que era o favorito a ficar com o título.

Rumo à vitória, São Paulo!



Compartilhe isto

Bacharel em Direito, acompanha futebol desde sempre e dá seus pitacos quando é e quando não é chamado. Ama o S.P.F.C. incondicionalmente e despreza os rivais, a menos que estejam em boa fase, nesse caso, os odeia.

Posts Relacionados