Empate gigantesco e cheirinho aumentando

20:00:00
Grupo comemora bastante o gol de Alan Patrick. (Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)
Na noite dessa quarta-feira (15), o Flamengo foi até o Allianz Parque enfrentar o Palmeiras em duelo direto pela liderança do Brasileirão. Após decisão "única" do STJD, ficamos sem torcida nessa importante partida (o que não impediu a presença de rubro-negros 'camuflados' nos meio dos palmeirenses). Para esse jogo, Zé Ricardo não fez mistério e escalou quase o mesmo time que derrotou o Vitória: Muralha, Pará, Réver, Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Arão e Diego; Éverton, Gabriel e Leandro Damião.

A partida começou com o Mais Querido sufocando o adversário, a ponto de não deixar os donos da casa passarem do meio-campo, porém o goleiro Jailson não trabalhou. Depois, o Palmeiras se encontrou e o jogo passou a ficar mais agitado e nervoso: erros de passes, propiciavam contra-ataques dos dois lados e, por só ter sua torcida, a cada falta marcada a reclamação em cima do fraco árbitro goiano André Luiz de Freitas Castro ia aumentando. 

E o juiz fez uma vítima: após levar um primeiro amarelo duvidoso em uma falta, Márcio Araújo cometeu uma falta de jogo em Gabriel, volante alviverde, recebeu a segunda advertência e foi expulso. Para surpresa de todos, incluindo deste que vos escreve, Zé tirou Diego para colocar o colombiano Cuéllar. Uma alteração que, após a partida, se mostrou bastante acertada (o próprio Diego disse isso na zona mista). Mas o primeiro tempo acabou em 0 a 0, graças a Alex Muralha que fez um milagre em chute de Gabriel Jesus após vacilo de Réver.

Depois do intervalo, o que se viu foi um banho tático de Zé Ricardo em Cuca: o Fla voltou todo recuado esperando por uma bola, e chamando o Palmeiras que, até os quinze minutos, não conseguiu passar pela barreira rubro-negra. Aos 17', Zé tirou Gabriel e colocou Alan Patrick. No primeiro toque do meia na bola, 20'' depois, o Mengão abriu o placar: após cobrança de lateral, Arão tocou para Éverton que achou Alan completamente livre para abrir o placar e colocar a equipe na liderança, momentaneamente, Fla 1 a 0.

Após o gol, os comandados de Zé Ricardo voltaram a se defender e jogarem por mais uma bola, para matar o jogo. E se tivesse um pouco mais de capricho, essa bola teria vindo, especialmente em um contra-ataque puxado por Éverton em que Alan Patrick não tocou para Damião, livre. Por outro lado, os comandados de Cuca não tentavam chegar ao gol de Muralha sem ser por bolas alçadas na área, quase todas sem sucesso, o que mostrava a força do esquema montado por Zé para jogar com um homem a menos, fora de casa.

Estava claro que só o talento individual podia evitar uma derrota dos donos da casa e, infelizmente, foi isso que aconteceu: aos 38', Moisés cobrou o lateral para área, Vaz afastou e Gabriel Jesus bateu no único lugar possível para escapar de Muralha e empatar a partida, 1 a 1. Mesmo após sofrer o empate, o Flamengo não se abateu e continuou bem postado, só levando um susto em chute de Moisés, que Muralha fez linda defesa. 

Fim de papo no Allianz, sem torcida e com 10 jogadores por uma hora, o resultado foi gigantesco de um grupo unido e fechado em um único objetivo: se sagrar campeão em 2016. Na próxima rodada, o Mais Querido receberá o Figueira no Pacaembu lotado, enquanto o Palmeiras irá até Itaquera enfrentar o Corinthians. Chance enorme do Urubu-Rei terminar a 26ª rodada na liderança do Campeonato.

Notas dos jogadores:

Alex Muralha- 7,5
Pará- 8
Réver- 8
Rafael Vaz- 8
Jorge- 7
Márcio Araújo- 2
Willian Arão- 6,5
Diego- 6,5
Éverton- 7
Gabriel- 6,5
Leandro Damião- 7,5
Gustavo Cuéllar- 5
Alan Patrick- 8
Marcelo Cirino- 5
Zé Ricardo- 9

Compartilhe isto

Posts Relacionados