Noite dos iluminados em Santiago

15:15:00
Jogadores comemoram gol de Emerson (Foto: Martin Dernetti/ Getty Images)
Na noite de quarta-feira (21), o Flamengo retornou a Santiago após cinco anos e enfrentou o Palestino pela partida de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Para essa partida, Zé Ricardo optou por um time misto e foi a campo com: Muralha, Rodinei, Juan, Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Cuéllar, Alan Patrick e Mancuello; Fernandinho e Guerrero.

A partida pode ser dividida em três personagens. Ambos podem ser apelidados como "iluminados" na partida de ontem:

Zé Ricardo

Zé vem mostrando sua grande capacidade no comando do Mengão (Foto: Claudio Reyes/ Getty Images)
O Mais Querido começou a partida em um 4-4-2, com Fernandinho na esquerda. O atacante foi o melhor do primeiro tempo, infernizando o lado direito da defesa chilena. Se o lado esquerdo do atacante funcionava, o direito não: Rodinei avançava, mas a ausência de um ponta fez com que Cuéllar não se sentisse à vontade para avançar, deixando o lado travado.

Na segunda etapa, a equipe voltou com marcação mais adiantada, por orientação do treinador rubro-negro, mas a partida da equipe seguia não correspondendo. Vendo isso, Alan Patrick chegou para Zé e pediu para que o treinador o invertesse com Fernandinho, e Zé entendeu o pedido e assim o fez. O time prontamente melhorou e passou a assustar mais, principalmente com Guerrero que acertou o travessão.

Aos 30', Zé chamou Emerson Sheik. Em áudio vazado na TV, ele disse para o atacante "jogar atrás do Paolo", para se aproximar do atacante que passou boa parte do jogo isolado. Aos 33', veio uma jogada que Zé Ricardo tanto planejou e treinou, e ele foi recompensado: Cirino, que também entrou no segundo tempo, avançou e cruzou, Guerrero disputou e a bola sobrou para Sheik marcar o gol da vitória. Fla 1 a 0. Mais uma vez, Zé provou que além de competente, é iluminado.

Emerson Sheik

Emerson entrou e decidiu a partida em Santiago (Foto: Claudio Reyes/ Getty Images)
Aos 30' do segundo tempo, Emerson Sheik voltou a entrar em campo nos minutos finais da partida, que se encaminhava para um 0 a 0. Como em uma premonição, Sheik havia comentado com jornalistas no hotel, que entraria na partida e marcaria um gol. Dito e feito: Após jogada de Cirino e briga de Guerrero, Sheik chutou com a categoria que tem e marcou o gol da vitória rubro-negra, vitória essa que deixa o Mengão muito próximo da vaga para as quartas de final da Sul-Americana.

Sheik, por onde passou, ficou conhecido por ser "papa-títulos". No Flamengo, participou discretamente do título brasileiro e foi campeão do Estadual em 2009. Além de ser ganhador de títulos, Emerson é "iluminado" e costuma marcar gols decisivos (anotou em jogo decisivo de Brasileiro e Libertadores, no Fluminense e no Corinthians). Após o jogo, o atacante deu uma longa entrevista, onde admitiu que estava sete quilos acima do peso e que batalhou silenciosamente e sozinho, treinando em separado do grupo, para voltar ao time. Em forma, Sheik pode ajudar na caminhada das duas competições.

Alex Muralha


Muralha mostrou porque foi chamado por Tite (Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)
O nome da vitória foi Alex Muralha. O goleiro, recém-convocado por Tite para a Seleção Brasileira, fez defesas espetaculares, na maioria em chutes de fora da área e garantiu o triunfo do Mais Querido no Monumental David Arellano. 

A defesa mais difícil, e espetacular, veio aos 46' da segunda etapa: o argentino Banegas recebeu dentro da área, ia marcar o gol de empate, mas Muralha cresceu para cima do atacante e como um grande goleiro de seleção, fez uma defesa milagrosa, fantástica e todos os adjetivos possíveis, salvando a equipe.

Notas dos jogadores


Alex Muralha- 9 
Rodinei- 7 
Juan- 8
Rafael Vaz- 8,5
Jorge- 7
Márcio Araújo- 7
Gustavo Cuéllar- 6,5
Alan Patrick- 7,5
Federico Mancuello- 7
Fernandinho- 8,5
Paolo Guerrero- 7,5
Marcelo Cirino- 7
Emerson Sheik- 8
Chiquinho- S/N
Zé Ricardo- 9

Compartilhe isto

Posts Relacionados