O número 15 segue tendo exclusividade para piadas no estado

20:25:00

Finalmente o pesadelo teve fim, a sequência de 14 jogos sem vitórias e a rodada na zona de rebaixamento agora não passam de uma triste lembrança, e tudo isso foi graças a união do time com a torcida e vice-versa.

Foram necessários 84 longos dias sem ganhar um jogo para que o Internacional entrasse no Z4, o caos estava instaurado no clube, um presidente omisso que desde que assumiu só fez escolhas errôneas, a contratação do técnico que foi o principal responsável pelo maior vexame da história do Inter, e claro, um elenco duvidoso, com jogadores contestados e nervosos em relação ao momento do time.

O jogo contra o Santos mostrou que a torcida do Inter é diferenciada, 34 mil pessoas para apoiar um time que estava na zona de rebaixamento numa quinta-feira a noite, não é para qualquer torcida, não comparem, jamais comparem as torcidas aqui do Rio Grande do Sul, já está provado que só existe uma, e ela veste vermelho e branco.

A torcida colorada deu um verdadeiro show. (Foto/Divulgação: Ricardo Duarte/www.internacional.com.br)

Bom presentimento

 A partida começou diferente, logo com 30 segundos de jogo Paulão foi substituído por Eduardo, depois de bater cabeça (literalmente) com o Ernando. No início da partida o Inter marcou a saída de bola do Santos, o que forçou alguns erros por parte do time paulista e consequentemente boas chances para o Colorado, porém sem aproveitamento.

O pesadelo parecia não ter fim

Depois de um erro grotesco do Geferson, Ricardo Oliveira marca para o Santos aos 27 minutos do primeiro tempo, e a partir daí o jogo virou um filme de terror, parecia que a história iria se repetir, como foi com Fluminense e São Paulo.

Precisamos falar sobre Luis Manuel Seijas

Depois de um passe perfeito de Geferson, Seijas, com sua canhota mortífera, chutou e, com um desvio na defesa do time paulista, igualou o placar no Beira-Rio aos 42 minutos do primeiro tempo e deu esperança para a torcida colorada, cara, como eu amo esse venezuelano.
 
Seijas comemora o gol de empate. (Foto/Divulgação: Ricardo Duarte/www.internacional.com.br)

Tchau, querido

Depois de passar o primeiro tempo inteiro abusando da cera, o meia Lucas Lima foi punido, justamente, com um segundo cartão amarelo e, consequentemente, um vermelho, após demorar a bater um escanteio.

Segundo tempo nervoso

O Inter voltou com Eduardo Henrique no lugar de Anselmo, já que o mesmo estava fazendo hora-extra em campo, depois de cometer uma falta para o que seria o seu segundo cartão amarelo. O colorado estava com sangue nos olhos, buscando a vitória de qualquer maneira, Nico López chutava, porém sem sorte, Valdívia também tentava guardar o seu, mas foi depois que William perdeu um gol imperdível que veio o escanteio salvador.

O AYLON FEDE A GOL

Aos 16 minutos, depois de um bom cabeceio de Valdívia, o goleiro defendeu, a bola subiu e parou no peito de Aylon que, embaixo da trave, só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes, confesso que eu não acreditei naquele gol, a emoção foi mais forte, o Inter virou um jogo pela primeira vez nesse campeonato e se aproximava da tão sonhada vitória.

Eu já disse que amo o Aylon?

O Santos pressionava, e, aos 44 minutos, depois de um escanteio, Copete, que iria marcar para o Santos, foi parado pelo Rio-Grandense Aylon, que salvou o que seria o gol de empate do time paulista e um pesadelo para os colorados.

O jogo acabou e agora?

O juiz apita o fim da partida, o Beira-Rio explode, uma sensação de alivio toma conta não só dos torcedores, mas também dos jogadores, tudo é festa, o Inter sai do Z4 e põe fim a sequência de resultados ruins, e isso tem que ser aproveitado, porém, a luta ainda não acabou.

Tiramos um peso das costas, agora só depende de nós mesmos, o Inter precisa fazer bons resultados para distanciar-se dessa posição e permanecer na elite do futebol brasileiro, e isso só será possível com o apoio de cada torcedor, vá ao estádio, cante, pule, grite, aplauda e principalmente, não vaie, vamos tirar o Inter dessa fase ruim juntos.

O número 15 é propriedade da metade -1 do Rio Grande do Sul, e permanece assim.

Saudações Coloradas

Compartilhe isto

Posts Relacionados