Pós Jogo: Atlético MG x Internacional: Grande vitória, GRANDES reflexões.

21:59:00


Saudações massa alvinegra, todo mundo terminando o domingo feliz e contente com a vitória do Galão, não é?! Eu to um pouco preocupado. Vou explicar o porque durante a postagem.

Vamos lá,

Um confronto com todos os ingredientes de uma decisão. De um lado, o Galo, pressionado por mais uma rodada bem sucedida dos líderes e precisando somar pontos para se manter vivo na disputa; de um outro, o Inter, pressionado por uma rodada mal sucedida dos times que estão acima, com derrotas de adversários diretos. Uma derrota significaria muita coisa, pelo lado positivo ou negativo para cada equipe. Todos os ingredientes para um jogo difícil e bom de se ver. Foi o que aconteceu.

O jogo começou muito movimentado, com o Inter num 4-2-3-1, deslocando dois pontas para cobertura de setores e pressionando a saída de bola, avançando suas linhas para tentar dificultar a saída de bola do Galo. O Galo, por sua vez, alternou seu esquema tático, nessa vez, no 4-3-3, com uma linha composta por Fred, Clayton e Robinho, com Clayton flutuando pelo setor e Robinho buscando o jogo e recompondo a 1ª linha. Aos poucos, o Galo foi tomando conta e trabalhando a posse pelo meio, com Cazares funcionando bem nesse setor. O Inter estava mais bem organizado e propunha melhor seu jogo, mas aos 14, numa recuperação de 2ª bola pela esquerda, Robinho limpou a marcação e lançou no 2º pau para Fred arrematar para o gol, no rebote do goleiro Danilo Fernandes: 1x0 Galo. A partir daí, o Galo passou a dominar o jogo com muita qualidade, acuando o Inter, pois subiu suas linhas e passou a trabalhar a posse de bola no campo do adversário. Após erro individual da defesa do Inter, Clayton aproveitou muito bem, limpou o adversário e bateu seco no canto do goleiro Danilo, ampliando o placar: 2x0 Galo. O Inter se perdeu na partida por uns instantes, e o Galo passou a povoar o campo do adversário, mas em mais um erro CRASSO da defesa alvinegra, NUMA JOGADA DE LATERAL, a bola chega em Ferrareis, que bate forte no canto do goleiro Victor: 2x1. Por coincidência, a 3ª vez que o Galo sofre um gol iniciado numa cobrança de lateral nos últimos 6, 7 jogos. Com o gol providencial, o colorado voltou ao jogo e ganhou confiança, subindo suas linhas de marcação e voltando a propor seu jogo, impondo muitas dificuldades a péssima linha defensiva do Galo, equilibrando as ações.

A 2ª etapa foi um misto de surpresa e horror. A sensação é de que o Inter entrou determinado a mudar seu paradigma no campeonato, enquanto o Atlético deu a dolorosa impressão de que ainda ficou no vestiário se acertando. Os 35 minutos da etapa complementar se resumiram em uma chuva de oportunidades criadas pelo Inter, que voltou melhor organizado, preenchendo melhor os espaços, anulando as jogadas pelas laterais do Galo e explorando velocidade, principalmente de Valdívia e Ferrareis, que incomodaram muito a defesa atleticana. O Galo passou os 35 minutos tentando se encontrar e acordar, pois entrou absolutamente DESLIGADO em campo. O que mais assustou esse que vos escreve, é a absoluta falta de intensidade e eficiência na recomposição de meio campo. Não vou incutir a responsabilidade apenas á um jogador, mas da mesma forma que Pratto e Fred talvez não possam jogar juntos, Junior Urso e Rafael Carioca sofrem do MESMO PROBLEMA. Foram 35 minutos de sufoco colorado e seguidos erros de passes na intermediária e erros de posicionamento defensivo, principalmente quando o Inter partia para os contragolpes, muitas vezes pegando a defesa no mano-a-mano. Esse comportamento da defesa alvinegra vem se repetindo há VÁRIOS JOGOS e vem nos colocando em risco em momentos em que a equipe precisa se reestruturar. Não fossem São Victor e a dupla de zaga, a sorte teria sido diferente. 

Mas a exemplo da ultima partida, Marcelo Oliveira mais uma vez mostrou uma boa visão do jogo, alternou Cazares e Datolo. Cazares não fez uma boa partida, essa é a verdade, pois ainda ressente de uma falta de ritmo. Já Fred, foi uma opção do treinador. Não discuto convicção de técnicos, mas essa se mostrou eficiente. Mas vamos lá massa, em que time do Brasil você vê uma troca de peças de TAMANHA qualidade? Privilégio nosso, não é?! A questão é que Pratto e Datolo entraram muito bem na partida. Datolo centralizou muito bem as ações de meio campo, voltando a dar ao Galo a posse de bola e um trabalho eficiente na transição de meio campo, enquanto Pratto deu uma alternativa interessante na frente, fazendo o Galo passar a atuar sem a referência, mas com um homem partindo de trás. O jogo equilibrou e o Galo chegou ao 3º gol: lindo trabalho ofensivo pela esquerda, Robinho conduziu a bola com muita qualidade, tabelando com Datolo e encontrando Pratto, que infiltrou na defesa colorada, fazendo um golaço, batendo alto, no canto do goleiro Danilo Fernandes. Esse gol voltou a colocar o Galo em situação confortável em campo e no placar. A partir daí, o Galo foi superior, mantendo a posse, mas o Inter tinha ímpeto, talvez o que não teve ao longo do campeonato, deixando o jogo mais franco. Contando com a inteligência e com o relógio, o Galo segurou a posse até o apito final do árbitro: 3x1 suado, sofrido. COM RESSALVAS.

Nota positiva sobre hoje: O mosaico espetacular feito pelas organizadas atleticanas, com uma mensagem, que pra mim, serve como um grito de guerra daqui pra frente: TODOS POR UM IDEAL. Que essa mensagem nos siga daqui para sempre. É o que falta para caminharmos para frente.

Nota negativa sobre hoje: Rafael Carioca está suspenso para o próximo jogo, que será contra a Ponte Preta, em Campinas, no sábado, as 16:30. 

Vamos para o homem em campo:


CLAYTON - ATLÉTICO MG
Fonte: Bruno Cantini / Atlético MG

Esse talvez seja, na minha opinião, o mais merecido "prêmio de melhor em campo" que já dei desde quando orgulhosamente ingressei essa equipe. Lembro que logo quando entrei, fiz um post falando exatamente sobre Clayton. Por sinal, foi um dos mais acessados que tivemos nessa temporada. Clayton chegou com o status de solução, enquanto ainda era um garoto, uma joia a ser lapidada. É evidente que possui um grande futebol e vai dar alegrias a massa e aos clubes que vier a jogar no futuro, podendo até chegar a seleção, mas enquanto isso, vai crescendo num ambiente cercado por gênios como Robinho, Cazares e cia. Não só por hoje, mas principalmente, pelas ultimas partidas que fez, com muita qualidade na recomposição defensiva, cobrindo o setor direito, auxiliando a lateral, participando das jogadas ofensivas, criando e aproveitando oportunidades, causando dor de cabeça no adversário, mostrando aquele futebol que encantou o país e fez o Galo apostar alto no seu talento. Fez um gol merecido, com muito talento e sua vaga como titular também é muito merecida, pelo que vem produzindo e pelo o que produziu hoje. Parabéns, Clayton. Eu acredito em você, bruxo.

Quem não foi bem:

Ainda quero chegar lá, mas vou deixar pra conclusão. Meu voto é para a linha defensiva E para o Marcelo Oliveira, responsável pela sua organização. Apesar das boas alterações, fica essa pulga atrás da orelha em relação á defesa.

Concluindo:

Uma vitória de bom tamanho e na hora certa, é assim que posso definir o que o Galo conquistou nessa data, mas deixei a crítica para o final. Vamos á algumas considerações;

1- Quem entende de automóvel ou gosta, vai identificar na hora a comparação, mas o Galo no campeonato, no momento ofensivo, é um Bugatti, é algo avassalador. Na defesa, é um Corsa seminovo, um Fiat Uno em desuso, rende mal, obriga o condutor á exaustão. Quer uma justificativa? Olhe o rendimento no campeonato: Temos o melhor ataque do campeonato, empatados em gols com o Palmeiras, mas temos uma das 5 PIORES DEFESAS do campeonato, tomando mais gols... QUE O SANTA CRUZ, 19º colocado do campeonato. Isso precisa ser revisto.

2- Assim como Lucas Pratto e Fred talvez não possam atuar juntos, JUNIOR URSO e RAFAEL CARIOCA também não. Se eu pudesse ter uma conversa de brother pra brother com o Junior, diria ele o seguinte: Repensa a sua posição a partir de agora, vire opção pelo meio campo, trabalhando na articulação de jogadas. Junior Urso é uma ótima ferramenta de apoio, chega muito bem no setor ofensivo, bate muito bem na bola, se apresenta pro jogo, mas cobre mal os setores, marca mal, se posiciona mal, principalmente na recomposição. Não que Rafael Carioca esteja em excelência técnica, esse precisa pedir ao Tite o futebol que ele esqueceu lá na bagagem do dia 7 de setembro, quando voltou ao Galo, mas já está provado que os dois NÃO PODEM ATUAR JUNTOS. 

3- Faço mais uma vez um coro para que a diretoria pense na contratação de um volante de contenção. O Atlético precisa de um cabeça de área pra se organizar no setor defensivo, alguém que trabalhe essa organização e que dê mais segurança, principalmente na saída de bola, aonde o Galo erra em demasia. Leandro Donizete é essa opção, mas ainda é pouco. Galo precisa de alguém que, na falta dessa peça no time titular, entrando pra fazer essa função, peça essa que acaba fazendo MUITA FALTA em campo. Quem sabe o menino Yago, com mais experiência e confiança seja essa peça?! torço muito pra isso.

4- Por fim, o Galo precisa corrigir AGORA seus erros. Já vamos nos aproximando da reta final da temporada, e ao menos que o objetivo não seja chegar ao topo, é necessário que ARRUMEM a casa, pois esses erros podem nos custar caro, principalmente em confrontos contra times como Palmeiras e Flamengo, que não estão na nossa frente por conveniência, é porque estão um passo a frente em questão de organização tática e equilíbrio nos setores.

No mais, destaco mais uma vez a torcida. É um show que só a massa alvinegra sabe proporcionar. Podem banalizar até o "Eu Acredito", mas tem coisas na vida que apenas um fenômeno pode reproduzir. Esse fenômeno é a massa atleticana.

Próximo encontro, Copa do Brasil. Mineirão, quarta feira, as 21:45, contra o Jabuaneiro Juventude. Mudamos a chave para mais um campeonato IMPORTANTE. Que o Galo tenha uma vibração diferente da que teve contra a Ponte. A torcida já mostrou  que está com o time, agora é com vocês, heróis alvinegros.

Fala tu, bruxo R7:
Muita gente apostando mais no Palmeiras e no Flamengo, mas estamos quietinhos, trabalhando. Muita gente achou que o jogo contra o Internacional seria fácil, mas não foi assim. Vencemos e seguimos na briga pelo título.
(Sobre a Copa do Brasil) Muda o chip, mas com o mesmo foco e a mesma vontade de ganhar. Agora a gente enfrenta o Juventude, que se chegou onde chegou é por mérito. A gente tem que respeitar todos os adversários e, dentro de casa, fazer a nossa parte.
Scouts do jogo:
GALO: Victor, Carlos César (Patric), Léo Silva, Gabriel, Fábio Santos; Rafael Carioca, Junior Urso, Cazares (Dátolo); Clayton, Robinho, Fred (Lucas Pratto).
Técnico: Marcelo Oliveira
INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Willian, Paulão, Ernando, Ceará; Fernando Bob, Rodrigo Dourado; Gustavo Ferrareis, Alex (Anderson), Eduardo Sasha (Valdívia); Aylon (Brenner).
Técnico: Celso Roth
Gols: Fred, Clayton, Lucas Pratto (GALO); Gustavo Ferrareis (INTERNACIONAL)
Cartões: Amarelo -->  Clayton, Rafael Carioca (GALO); Fernando Bob, Alex (INTERNACIONAL)
              Vermelho --> Nenhum.



#UNIDOSSOMOSFORTES #TODOSPORUMIDEAL #EUACREDITO #AQUIÉGALO #NÃOÉMILAGREÉATLETICOMINEIRO #VAIPRACIMADELESGALO 

Me sigam lá no Twitter, galera: @lsilveiralg 
Equipe Atlético-MG: Twitter | Facebook

Compartilhe isto

Posts Relacionados