CURIOSIDADES DO TRICOLOR: novo estatuto vem aí!

14:53:00
Quando dizem que o São Paulo (time e clube) parou no tempo, não é brincadeira de rival: se a referência é o time, precisa reformular elenco, seja contratando ou demitindo jogadores ou até mesmo investindo na base tricolor, que é excelente, mas nem sempre aproveitada como deveria; se fala sobre o técnico (caso do agora contestado Ricardo Gomes e de tantos outros que passaram e ainda vão passar pelo time, em algum momento, a diretoria vai se decidir pela troca, mas quando o problema é interno, nem sempre a troca de um membro, por mais competente que seja, irá resolver: afinal, certas coisas, são mais difíceis de serem mudadas: estão descritas no ESTATUTO do 
clube.
Carlos Augusto de Barros e Silva Leco São Paulo (Foto: Marcelo Prado)
Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, apoia reforma estatutária (Foto: Marcelo Prado)
Três coisas estão intimamente ligadas para que o São Paulo tenha um novo estatuto ainda nesse 2016: - vale ressaltar que o projeto foi entregue a uma comissão avaliadora e até dezembro, deverá ser apresentado o estatuto definitivo -.
Vinicius Pinotti, diretor de marketing do São Paulo (Foto: Reprodução SporTV)
Vinicius Pinotti é diretor de marketing e não recebe remuneração (Foto: Reprodução SporTV)
  1.    O estatuto tricolor tem quase 80 anos - sim, isso mesmo: o estatuto são-paulino é de 1937 e poucas mudanças nele foram feitas.

  2.  A reforma do Código Civil: ocorrida em 2002, mas vigente desde 2003, em um dos artigos determina que clubes e associações devem ter estatutos elaborados com participação dos associados - como o estatuto tricolor é de 1937, obedecia ao Código Civil vigente, de 1916, que não previa participação de associados.

  3.  A ação judicial movida em 2004 pelo conselheiro Francisco de Assis Vasconcellos - "pensam sempre no bem do clube" - que teve sucesso em todos os tribunais e está atualmente no STF (Supremo Tribunal Federal) e não cabe mais recurso: a ação dele diz que como o estatuto do São Paulo não obedeceu ao Código Civil vigente (sofreu algumas alterações sem a participação dos associados, tendo em vista a data de quando foi elaborado), todas as contratações e atos praticados pelo clube de 2004 para cá, seriam NULAS, incluindo patrocinadores, jogadores, técnicos, parcerias...

    Em agosto desse ano, em assembleia realizada no Morumbi, 865 associados votaram "sim" pelo novo estatuto, contra 564 pelo "não". A vitória esmagadora deu início a várias sugestões de associados, reuniões com outros clubes, inclusive rivais sobre qual deveria ser o novo modelo e encerra de uma vez por todas, a favor do clube, a ação movida pelo conselheiro tricolor.

    Alguns dos pontos a serem considerados: presidente será remunerado, diretoria profissional, separação entre futebol e clube social, assim como nova data para as eleições que serão em dezembro (não tinha sentido nenhum serem em abril, não acham?).

    Twitter: @ManoelRocha4

Compartilhe isto

Bacharel em Direito, acompanha futebol desde sempre e dá seus pitacos quando é e quando não é chamado. Ama o S.P.F.C. incondicionalmente e despreza os rivais, a menos que estejam em boa fase, nesse caso, os odeia.

Posts Relacionados