Entrevista exclusiva com Cacá Cardoso

10:30:00
Com a proximidade das eleições no clube buscamos entrevistar os candidatos à presidência do clube para que os torcedores possam entender suas propostas e esclarecerem suas dúvidas, recentemente conseguimos uma entrevista com Cacá Cardoso. 
Cacá Cardoso, candidato à presidência do Fluminense. Foto: Fred Huber
1 - Cacá, o Fluminense é mais que um clube de futebol, e alguns esportes olímpicos possuem grande tradição no clube, mas não possuem uma grande visibilidade. Recentemente, o vôlei feminino conquistou espaço na elite brasileira e bateu uma hegemonia de 12 anos do Rio de Janeiro no estadual. Caso eleito, qual seria seu projeto para a manutenção desse esporte e a implementação de outros onde o Flu tem tradição?

"O Fluminense sempre teve uma grande tradição em esportes olímpicos, que precisa ser mantida. A vitória do nosso time de vôlei feminino sobre o Rio de Janeiro na final do Estadual manteve esta trajetória de vitórias. No nosso programa, prevemos um gestão autônoma e independente da área de esportes olímpicos, possibilitando assim o resgate das nossas tradições. Precisamos utilizar de forma eficiente as leis de incentivo fiscal, nas esferas municipal, estadual e federal, ferramenta fundamental para obtermos mais recursos. Junto a isso, vamos atrair investidores específicos para cada modalidade, tornando-as autosuficientes. Outros pontos do nosso programa são a reformas das instalações existentes, aproximando os nossos torcedores dos atletas, e a busca por maior aproximação com as  entidades de gestão do esporte, como as confederações e o COB."

2 - Cacá, recentemente a pauta estádio vem ganhando bastante força dentro do clube, porém é um grande desafio, tendo em vista que grandes clubes do futebol tiveram temporadas apagadas (São Paulo, Palmeiras, Arsenal-ING...) quando construíram seus estádios, pois os gastos do clube passam a ser focados na construção do estádio e o investimento no time tende a ficar em segundo plano. Por mais que o Fluminense busque e consiga um parceiro, em algum momento ele terá que arcar com algo. Qual seria sua medida para conciliar a construção do mesmo
 com a formação de um time que pudesse manter o Fluminense sempre brigando por vagas na Libertadores ou até mesmo por títulos? 
"Quanto ao estádio, não abrimos mão do Maracanã, palco de nossas maiores glórias. É consenso que precisamos de uma casa própria, de menor dimensões. Laranjeiras, nosso berço, pode ser reformada para jogos com menor público. Mas continuamos pensando num estádio próprio. Temos em nossa chapa profissionais com experiência na área e que já estudam áreas para a construção de um novo estádio.
Em relação ao futebol, vamos profissionalizar completamente sua gestão. Teremos uma comissão técnica permanente, com a completa integração de todas as categorias. Precisamos implantar uma "cultura" Fluminense, para formar o homem e, depois, o atleta. O futebol será separado das demais áreas do clube.
Mas o mais importante de tudo é que o nosso futebol terá que voltar a ser protagonista, lutando por título em todas as competições que participe. Não podemos mais ser meros coadjuvantes, com um time sem honrar nossas tradições, como acontece atualmente."

3 - Até recentemente, a Unimed era a principal patrocinadora do clube, numa parceria que rendeu muito sucesso. Com sua saída, o clube tem tido dificuldades para arrumar novos e bons patrocinadores, mesmo tendo uma exportação da marca. Qual seria sua medida para atrair novos parceiros que investissem pesado na marca?


"O modelo de gestão que propomos, o melhor entre os candidatos, será o nosso cartão de visitas para atrair patrocinadores. Temos um grupo de profissionais de
 sucesso em suas áreas, que dedicarão seu tempo a mostrar a credibilidade do nosso projeto. Assim, ao contrário do que ocorre atualmente, conseguiremos patrocinadores que serão nossos sócios neste processo de engrandecimento do Fluminense."
4 - Mantendo a linha da última pergunta, você possui algum acordo com alguma marca já estabelecido para o caso de vencer as eleições?

"Estamos mantendo intensas consultas com empresas nacionais e multinacionais que estão interessadas em investir no nosso clube, desde que o modelo de gestão seja modificado. Credibilidade é a palavra-chave."


5 - Xerém tem rendido ótimos frutos e, infelizmente, convivemos com negociações precoces. Exemplos são Marcelo, Kenedy, Marlon, Gerson, Alan, Maicon... Tendo em vista que, no Brasil, é difícil segurar uma promessa, o Santos faz um ótimo trabalho com as suas. Você adotaria a medida deles ou possui uma própria para segurar as pratas da casa o máximo de tempo possível? Lembrando que a permanência deles pode valorizar o próprio jogador numa futura transferência e até mesmo ter ídolos criados em casa.

"Hoje, Xerém virou uma vitrine para vender jogadores o mais rápido possível. Vamos acabar com isso. Precisamos formar os novos jovens nesta cultura Fluminense antes de mandá-los para outros países como moeda de troca. Não podemos abrir mão do que temos de melhor. Xerém é uma das marcas do nosso clube e vamos criar um modelo próprio para valorizar a nossa prata da casa."
6 - Para encerrar, gostaria de fazer uma pergunta que aflige muitos torcedores. Quando conquistaremos a tão sonhada Libertadores? Acredita que possa ser na sua gestão caso eleito?

"Sim, acredito que conquistaremos a Libertadores em nossa administração. Precisamos ser grandes e pensar grande. Nos últimos anos, o nosso clube passou por um processo de mediocrização, não temos mais a ambição que tínhamos no passado. Isso vai acabar. Voltaremos a ser vencedores, dentro e fora dos campos. O Fluminense será sempre grande."

Gostaríamos de agradecer ao candidato Cacá Cardoso pelo tempo cedido e principalmente ao seu assessor Toninho Nascimento, que foi extremamente generoso e nos recebeu muito bem. Desejamos boa sorte ao candidato nas eleições e 
aos outros candidato deixamos o site aberto para que possam expor suas ideias.
Por: Matheus Siqueira / Vai Que Tô Te Vendo

Compartilhe isto

Posts Relacionados