Futebol bonito? Ou analistas chamarão por Titebol?

07:13:00
Foto: Marco Galvão/Foto Arena

Você pode estar se perguntando, porque a lá Cuca se a seleção é dirigida pelo técnico Tite? A resposta está realmente na cara do novo time do técnico Tite. Muito diferente de todos os times já montados pelo treinador, times que se preocupavam em destruir, marcar 1 gol e segurar o adversário. Sempre com times limitados ao extremo com um futebol de matar a torcida do coração, com placares apertados e jogos nervosos.

É sabido que Tite estudou muito, se reciclou, mas mesmo assim, quando voltou ao Corinthians, fez o mesmo trabalho de antes, sim, com mais experiência, mas com a mesma visão retranqueira de antes, nunca foi técnico de colocar o time o tempo todo querendo o gol, procurando espremer o adversário. E aliás, são poucos os técnicos que tem essa capacidade de manter um time 100% focado no objetivo de atacar. Pedimos por muito tempo a renovação dos nossos técnicos, falando que estava na hora de apostar em novos nomes. Todos queremos técnicos corajosos, que apreciam o futebol arte, bonito, pro ataque, mas ainda não encontramos um novo nome que tenha mantido um bom trabalho, e com essa mentalidade. Ainda estamos no momento do futebol de marcação forte, mais preocupado em destruir do que construir, ainda vemos mais times violentos na hora de desmarcar o adversário, do que marcadores clássicos, com qualidade.

Os tempos estão mudando, aos poucos, mas já é um bom sinal, podemos dizer o velho jargão, "estamos vendo uma luz no fim do túnel" . Ainda mais depois do avanço tático do novo técnico da seleção brasileira. Sim, hoje Tite tem a sua disposição os melhores jogadores brasileiros do planeta, quem ele entender estar em melhor momento,vai, ou deveria chamar. Sabemos que as coisas não são bem assim, mas vamos acreditar até nessa mudança. Na época que o Tite se transformou no melhor técnico do Brasil, comandando um time sem jogadores de expressão, a maioria havia saído de clubes menores, e justiça seja feita, Tite conseguiu transformar um elenco meia boca em um elenco campeão, mas repito, sempre jogando na base da retranca.

Talvez com a possibilidade de contar com jogadores infinitamente melhores, Tite possa agora mostrar o que não podia com um time tão limitado, mas vejo hoje nossa seleção com mais cara do Cuca. A seleção brasileira tem todas as características dos times do Cuca, usa da forte marcação para quebrar o emocional do adversário provocando o recuo e o erro do time, usa do toque curto e rápido para atacar. Presa muito a objetividade. Até o esquema tático é igual ao usado pelo Cuca. Calma, não estou aqui menosprezando o trabalho do Tite, só estou mostrando que mudanças boas acontecem, mesmo em técnicos com a marca da retranca. Parabéns Tite, por ter a humildade, ou a percepção que era hora de mudar um esquema infartante e chato, para um esquema, que agora sim podemos chamar de, esquema tático, muito diferente e mais bonito do que o velho esquema do empatite.

Mas cuidado, alguns jornalistas ficarão descontentes com o bonito futebol da selação e vão começar a chamar de Titebol.

Forte Abraço.

Claudio Ricci


Compartilhe isto

Posts Relacionados