Vamos conversar, massa alvinegra? Algumas considerações e um adendo.

19:25:00
Fonte: Bruno Cantini / Atlético MG


Saudações, CAMbada (já roubei o bordão @contato_almeida kkk), como vão vocês?

Antes de começar a falar sobre, eu tenho que chamar a atenção de alguns torcedores sobre DM, preparo físico do Galo e afins e no final, fazer um adendo, um chamado a torcida, espero que vocês leiam até o final e espalhem esse texto pra chegar ao máximo possível de atleticanos.

Sei que não era momento de se abordar esse assunto, eu gostaria de falar sobre isso ao fim da temporada. Acho que uma indagação como essa poderia trazer algum marketing negativo que o clube não precisaria nesse momento. Mas raciocinando sobre isso, cheguei a conclusão que o Marketing negativo é não abordar o assunto. Sobre mérito ou demérito, apontar responsáveis ou terceiros, isso eu não farei simplesmente porque é impossível apontar culpados se não temos o acompanhamento dos casos, assim como um médico legista que não acompanha o corpo não tem conhecimento da causa mortis, ou um médico que não fez a anamnese (metodologia de diagnóstico, pra quem não sabe) não é capaz de receitar nenhum medicamento ou aconselhar o paciente. Fiz essa primeira analogia pra chamar a atenção de você, meu caro irmão de sangue alvinegro, a não sair por ai inquirindo, caçando bruxas sem ter nenhuma evidência. Isso é desonesto. Somos todos homens e mulheres crescidos e de boa criação, assim imagino. 

Então vamos lá:

O que seria normal em relação á numero de lesões?  Não vou trazer números de especialistas, mas segundo quem milita pera área da medicina esportiva, um esporte de alto rendimento, em que há contato físico intenso igual ao futebol, se espera que os atletas, caso não estejam em plena forma (fisicamente e fisiologicamente falando), tenham um padrão determinado de lesões. Esse número não é uma média, não é uma constante. Como sempre dizem e eu concordo, o futebol não é uma receita de bolo, pois até mesmo aquele jogador que tem uma genética privilegiada está a mercê de uma sequencia de lesões.


Aviso: lá vem uma penca de exemplos de acompanhamento de fisiologia muscular, se quiser pular essa parte, fique a vontade...

Um exemplo, é num exame de biocinética, aquele famoso exame de esforço que o atleta faz no início da temporada. Ele pode ser identificado, com a junção de exames de imagem ou biópsia, como maior portador de Fibras Brancas (Fibras de alta contração, oxidativas e glicolíticas - fibras que oxidam e degradam reservas de ATP, a forma de energia de degradação da glicose), ou de Fibras Vermelhas (Fibras de media-baixa contração, oxidativas, que geralmente estão relacionadas á degradação lenta da reserva de ATP, que por sua vez, estão relacionadas á resistência muscular). Esse é um dos passos para se analisar riscos de lesões.

Outro, é o famoso exame sérico (do sangue) de Creatinoquinase, o famoso CK. Todo mundo se pergunta o que é isso, pois bem, vou explicar: CK é uma enzima proteolítica (que cataliza a degradação de uma proteína importante dos músculos chamada CREATINA, para o processo de produção de glicose a partir de proteínas, que chamamos na bioquímica celular de TRANSAMINAÇÃO e DESAMINAÇÃO). Esse consumo de proteínas para obtenção de energia acontece porque nossa reserva de ATP inicial é consumida quando realizamos atividades físicas. Um atleta de alto desempenho como um jogador de futebol, consome essa reserva e a reserva de glicose que tem em seu corpo. Quando nosso organismo não tem de onde tirar mais energia, é ai que vem a terceira reserva, que é a muscular. Essa enzima, a CK fica circulante no sangue e de acordo com a quantidade, pode indicar uma possibilidade de fadiga muscular, estresse ou até mesmo, o rompimento desses músculos consumidos. Lembrando que, para que as fibras sejam repostas, é necessário um repouso mínimo de 24 a 72 horas para que a taxa de CK esteja normal no sangue.

Em tese, pessoas, esses sãos os exames de detecção básicas de lesões que qualquer clube de alto rendimento tem a disposição.


Agora, quem não teve paciência pra explicação científica, por favor, acompanhe a partir daqui


Bom, senhores, é fato que o alto número de lesões vem prejudicando o desempenho do Atlético na temporada. Uma coisa que venho tentando conscientizar muitos amigos atleticanos insatisfeitos (que estão no direito de estarem insatisfeitos) e até mesmo, os cornetas de profissão que não se cansam de reclamar de tudo e de todos, é de que a culpa pelo número de lesões não é do Marcelo Oliveira, que tampouco teve todos os jogadores a sua disposição por 5 ou 6 rodadas seguidas, que tem dificuldade desde o início do campeonato de escalar um 11 ideal; A culpa não é somente do Departamento Médico, que apenas faz o diagnóstico e intervenção cirúrgica se for o caso; A culpa não pode ser só do Departamento de fisiologia, que intervém e acondiciona os jogadores, ou até mesmo da comissão técnica, que trabalha com o jogadores em campo á exaustão. O que quero dizer, é que a culpa não pode ser de um só, quando nós estamos tratando de um time.

O alvo (ou a moda) no momento, é criticar OSTENSIVAMENTE o DM e o DF do Galo. Ai você escolhe a critica desvairada que lhe assombra mais: Incompetentes, vagabundos, irresponsáveis... Essa turma da corneta atleticana... 

Vamos ser sinceros aqui turma, primeira coisa, NÃO SE PODE APONTAR UM CULPADO diretamente, se não vemos nada do que se passa dentro desses setores. Antes que alguém peça ou discuta se o clube tem que repassar esses dados para os torcedores, NÃO, não tem. Primeiro, porque são dados que leigos não vão interpretar com exatidão, portanto, uma informação que interessa a poucos, afinal de contas, todos os milhões de atleticanos espalhados pelo mundo não são fisiologistas, médicos, biomédicos, fisioterapeutas, correto!? Segundo, que isso alimentaria uma série de situações que, se usadas por mentes mal intencionadas DA IMPRENSA ou dentro da própria torcida, pode gerar uma situação ruim, de uma crise, ou de qualquer coisa que atrapalhe o dia a dia do clube. 

Portanto, aqueles que não estão compartilhando do dia a dia dos setores clínicos e médicos do Atlético e criticam até de forma irresponsável esses profissionais ou pedem a cabeça deles numa bandeja, sinto muito amigos, não vai rolar. O Galo não vai demitir esses funcionários que, querendo ou não, incorporam a equipe de médicos e clínicos da SELEÇÃO BRASILEIRA. O Dr. Rodrigo Lasmar, por exemplo, é referência em medicina esportiva NO PAÍS INTEIRO, é chefe do Departamento Médico do Galo e da seleção brasileira, trabalhando com nomes como Dr. José Luiz Runco, outra referência da medicina esportiva até em nível Sul Americano. Será que o presidente Daniel Nepomuceno vai se desfazer de um profissional desse porque uma parte da torcida quer? Acho que não. 

Outra coisa, torcedor NÃO TEM O PODER DE DEMITIR OU CONTRATAR NINGUÉM. O papel do torcedor se reserva á criticas construtivas quando puder e TORCER. Esse é o papel do torcedor do Galo, que sejamos sinceros, TÁ UM FIASCO. O torcedor atleticano, até em grande número, isso que me preocupa, passa mais tempo no twitter reclamando do DM do Galo do que na fila, comprando ingresso pra um jogo importante como o de quinta.

Sim, o excesso de lesões é preocupante. Não posso, como uma pessoa que tenha conhecimento técnico sobre o assunto, achar que é normal ou apenas ocasionalidade o numero alto de lesões. Pelo contrário, também gostaria de saber. Mas não serei irresponsável á ponto de criticar A ou B sem saber exatamente o que acontece. É a mesma coisa de eu receitar algo ou recomendar algo á uma pessoa ou um conhecido, mesmo dotado de conhecimento e PERMISSÃO do Conselho Regional de Biomedicina (CRBM), a qual faço parte, mesmo sendo graduando e do Conselho Regional de Farmácia, a qual eu faço parte, já graduado, para fazer isso. Eu posso ser PRESO por isso, eu posso ser IMPEDIDO de realizar minha profissão por isso.

Aonde eu quero chegar, é que, mesmo tendo noção, eu só posso especular sobre o assunto, pois não estou examinando e nem posso dar laudos ou pareceres sobre jogadores, porque não acompanho nenhum deles. Assim como seria desonesto eu criticar um profissional que eu não acompanho o trabalho. Assim como é fácil acusar qualquer um de qualquer coisa. 

Portanto, vamos permitir que o DM e o DF trabalhem, não vamos alimentar críticas destrutivas infundadas sobre algo que não podemos ver, é desonesto fazer isso. Eu já fiz isso. Portanto, sejam mais RACIONAIS.



UM ADENDO RAPIDINHO:


Eu falei essa penca de coisas, pra chamar a atenção de você, atleticano, a deixar CRITICAS e acusações para o momento correto, para o final da temporada. DENOVO, PAPEL DO TORCEDOR É TORCER. PAPEL DO TORCEDOR É IR AO ESTÁDIO APOIAR O GALO. 

Eu ja vi o Galo cair pra Série B, já vi o Galo sofrer derrotas vexatórias, de passar por crises que não tinham fim. Eu vivi, torci, esperei e confiei, acreditei que dias melhores viriam, que profissionais responsáveis chegariam ao Atlético Mineiro. Eu chorei quando o time caiu e chorei denovo quando conquistamos o título da Libertadores. Eu vibrei quando ganhamos a Copa do Brasil e a Recopa. Eu estava lá, num fatídico 27/11/2005... Também estava lá na madrugada do dia 25/07/2013, libertado e com a honra lavada por todos os anos de sofrimento. Também estive NO ESTÁDIO nas outras grandes conquistas. Já vivi fases de Bilú á Ronaldinho Gaúcho. Qual é galera, o maior jogador dos últimos 20 anos de futebol vestiu a 10 do Galo, nos libertou!! Porque CARALHOS eu não apoiaria Hyuri, Patric e CIA LTDA em campo? Porque não me permitiria acreditar, mesmo que a matemática seja cruel á ponto de nos desacreditar? 

Dois pontos:

1- MENOS CRITICA INCONSEQUENTE, MENOS "ESTOU CANSADO DE SER ENGANADO PELO GALO", MAIS TORCEDOR, MAIS ATLETICANOS

2- A torcida está morrendo. A torcida está "MARIANDO", está deixando pra trás suas raízes, está desfazendo de todas as lições aprendidas e desmerecendo todo o caminho sofrido que atravessamos até chegar aos dias de hoje, e se comportando como torcedores de sofá, modinhas que torcem pra quem está ganhando. Nós não somos modinhas, somos CLUBE ATLÉTICO MINEIRO. É por isso que as outras torcidas nos odeiam, ou nos temem, é porque nós tratamos nosso clube como religião, não como um contrato ou um negócio.

A matemática é simples:

Faltam 27 pontos a serem disputados, temos 5% de chance, temos que vencer 8 dos 9 confrontos que restam. 5 deles serão em casa, sendo um contra o Líder e um contra o Vice-Líder. Primeiro, a nossa parte, no estádio, e a dos jogadores, em campo. Depois, o tropeço dos outros. Se um 2x0 do Olímpia no Defensores Del Chaco virou o maior título que conquistamos, porque 7 pontos de diferença não podem virar uma quebra de um tabu de 45 anos sem brasileiro. 

Tá na hora do torcedor ser menos inconsequente com críticas e ser mais presente em campo. As vendas de ingressos estão baixas, precisam aumentar. O torcedor precisa ir a campo. 


No mais, é isso. O texto já tá longo demais. Espero que vocês tenham aprendido algo da mini explicação que dei sobre algumas coisas que quem acompanha o futebol moderno tem duvidas, e que tenham entendido a mensagem que deixei aqui. O importante é sempre informar e debater sobre coisas, isso que nos faz crescer como indivíduos. 

Vejo vocês EM CAMPO. Caso eu não esteja lá, pois minha vida é muito corrida, vou estar apoiando o Galo até o final. Espero que todos nós façamos isso.



#UNIDOSSOMOSFORTES #TODOSPORUMIDEAL #EUACREDITO #AQUIÉGALO #NÃOÉMILAGREÉATLETICOMINEIRO #VAIPRACIMADELESGALO 



Me sigam lá no Twitter, galera: @lsilveiralg 

Equipe Atlético-MG: Twitter | Facebook

Compartilhe isto

Posts Relacionados