Pós Jogo: Atlético Mineiro x Palmeiras

18:58:00
Sabíamos que seria uma partida com alta tensão, com ares de Libertadores na Arena Independência, a qual nos garantimos ontem matematicamente na fase de grupos, e que tivemos uma amostra do que o futuro nos apresentará. Não no aspecto entre torcidas e clima hostil, até porque as torcidas de Palmeiras e Atlético-MG são 'co-irmãs', e há respeito e cordialidade entre ambas as partes, aspecto que o mundo no geral, e nas nossas vidas requerem: RESPEITO E AMIZADE.
Foto de Thomas Santos
Isto posto, vou direto e reto ao jogo em si. Que além do clima sal de fruta, pois foi efervescente a mil por hora, foi um bom jogo de futebol. Independente de quem estivesse torcendo ou não pelos envolvidos, mas foi agrável de se ver. Os mandantes imporam uma pressão forte com velocidade e intensidade. Mas o Palestra soube aguentar a pressão, e não abaixou a guarda diante de Robinho e aspônes, que tentavam no grito se impor diante do Verdão.

Soubemos sofrer e lidar com as adversidades. E mostramos o por quê somos líderes desta porr* toda, até aqui. Com a frieza e maturidade de equipe que quer ser campeã, conseguimos aos 25 minutos de jogo, após contra ataque entre Gabriel Jesus e Dudu, o pequeno gigante da camisa 7 deu uma assistência pornográfica, e Jesus contando com desvio na zaga adversária abriu o placar, e encerrou um jejum de 11 jogos sem marcar pelo Palmeiras.

O panorama seguiu, entre o final do primeiro tempo, e início da etapa final. Com o Galo em cima do Verdão, e o Palmeiras mantendo frieza para evitar maiores avanços do adversário. Mas eis que aos 13 minutos da etapa complementar, Lucas Pratto que havia entrado a poucos momentos, marcou o gol de empate, em um cochilo defensivo da defensiva alviverde, e empatou a peleja.

Daí em diante, virou um 'bang bang'. Ataque de ambas as partes, chances de gol e velocidade absurda. Intensidade que poderia ter dado a vitória para qualquer uma das partes. Mas o empate acabou sendo justo, muito embora o Palmeiras foi prejudicado pela arbitragem, que não marcou um escandaloso pênalti do zagueiro Gabriel, que trocou futebol por vôlei, e conzudiu por 2 metros a bola com o braço. Não é choro, é uma constatação na qual só não viu quem não quis. Eu que estou há milhas e milhas de Belo Horizonte vi, e o árbitro Braulio não. Mas enfim, ponto sagrado, Galo sem aspirar mais nada no campeonato, e dependemos exclusivamente de nós, para sermos Eneacampeões. Enquanto chegamos aos 71 pontos, os mineiros somam 61. Nós somos líderes, e eles estão no quarto posto da tabela.

Reafirmo que, foi ponto sagrado. Com Gabriel Jesus desencantando e mostrando que dará a vida pelo Palmeiras, antes de seu até logo, nos enchemos de confiança para o título. Falta pouco torcedor. E amanhã explicarei o quanto falta para o caneco ser nosso.

Forza Palestra!!!
Equipe Palmeiras: Twitter
por Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados