Galo Tático #1: Uma análise da pré-temporada atleticana

22:30:00



FAAAAAAAAAALA, CAMbada !  

Saudades dessa pessoa chata que vos fala? kkkk  É um prazer estar inaugurando esta mais nova coluna do Galo VQTTV, o "Galo tático". Sim, faltou um pouco de criatividade pro nome, mas o que importa, vocês sabem, é a intenção.

Mais um início de temporada. Mais 365 dias de expectativas e esperanças para o torcedor atleticano. Apesar do elenco recheado de grandes jogadores, o 2016 atleticano, nos gramados, em termos de qualidade de futebol e organização tática, foi decepcionante. Dois treinadores assumiram a responsabilidade na temporada passada: Diego Aguirre no 1º semestre e Marcelo Oliveira no 2º. Nenhum dos dois treinadores conseguiram extrair desse elenco muito qualificado do Galo todo o potencial que possui. O Galo se viu às amarras de uma filosofia de futebol atrasada, engessada durante toda a temporada, pois nenhum dos dois treinadores, apesar de terem méritos em suas curtas passagens, tiveram a capacidade de fazer esse time do Atlético , que precisava urgentemente respirar o FUTEBOL MODERNO, render o esperado. 

Eis que o desafio se apresenta a um dos grandes treinadores da nova geração de técnicos no Brasil, estudiosa, aplicada, intensa, ávida por conquistas: Roger Machado. Roger Machado assumiu o Atlético com um objetivo primário: dar organização, intensidade, movimentação, padrão tático, vibração e alma a esse time combalido de 2016. Em suas mãos, estão um dos 5 melhores elencos do futebol brasileiro, com jogadores de imensa qualidade e renome no certame nacional, como Robinho, Fred, Lucas Pratto, Rafael Carioca, Felipe Santana, entre outros. Um elenco que ficou desequilibrado com a saída de dois importantes jogadores: Junior Urso e Leandro Donizete, mas que promete se reforçar em alto nível e cumprir a meta estabelecida por Roger Machado em sua primeira entrevista, uma equipe EQUILIBRADA nas suas ações ofensivas e defensivas.



Então vamos aqui relacionar os jogadores disponíveis pra essa Pré-Temporada:

Goleiros: Victor, Giovanni, Uilson, Cleiton

Zagueiros: Rodrigão, Felipe Santana, Gabriel, Leonardo Silva, Erazo, Jesiel

Laterais: Leonan, Danilo Barcelos, Fábio Santos, Marcos Rocha, Carlos Cesar, Patric, Eron

Meio Campistas: Rafael Carioca, Yago, Maicosuel, Lucas Cândido, Ralph, Carlos Eduardo, Cazares, Otero, Thalis

Atacantes: Fred, Lucas Pratto, Robinho, Luan, Rafael Moura, Clayton, Carlos, Hyuri



O Atual panorama do Galo para 2017


O Galo dispõe de um elenco recheado de opções ofensivas de imensa qualidade, com pelo menos 3 opções de qualidade para cada setor a partir da linha de meio campo. Na linha de meio campo, está também, a maior deficiência da equipe, especificamente de volantes. O Galo perdeu 2 jogadores nesta janela de transferências e ainda não anunciou o reforço de qualidade prometido para o setor, portanto deve contar, pelo menos neste início de trabalhos, visando os jogos do Campeonato Mineiro e da Primeira Liga, com Rafael Carioca como titular absoluto, atuando como 1º homem dessa linha de meio campo, responsável por ditar a dinâmica da equipe, organizando a saída de bola e a transição do meio campo. Lucas Cândido e Ralph, recém promovido da base após uma boa Florida Cup, são os postulantes á vaga de 2º homem de meio campo, responsável pela articulação do meio campo - ataque. Restando ainda uma vaga, Luan, Maicosuel e Otero ainda podem "quebrar um galho" como uma espécie de 3º volante, ou até mesmo, atuarem nas suas posições originais, como meia-atacantes, trabalhando na articulação e na criação atleticana. Lembrando que o Galo conta com a imensa qualidade criativa do quarteto Luan - Maicosuel - Cazares - Otero para dar qualidade á esse setor de meio campo atleticano.

Intocável mesmo é a linha defensiva, o maior problema a ser resolvido pelo professor Roger Machado nesse início de temporada. O Galo conta com 2 contratações para o setor: Felipe Santana, jogador de muita experiência e qualidade, ex-Schalke 04 e Borussia Dortmund, que deve assumir a titularidade nesse início de trabalho, e Danilo Barcelos, lateral esquerdo que se destacou no América MG, que também pode compor o meio campo em caso de necessidade. De início, Gabriel e Felipe Santana formam a dupla de zaga titular, sendo acompanhados, por talvez, os dois titulares incontestáveis da equipe: Marcos Rocha e Fábio Santos, um dos 5 melhores laterais direitos do futebol brasileiro e o melhor lateral esquerdo do Campeonato Brasileiro do ano passado, respectivamente. Os dois possuem duas boas sombras: Carlos César e Leonan, que podem dar conta do recado em caso de necessidade. O Galo também conta com boas opções para a zaga, como Rodrigão e Jesiel, a dupla que mais se destacou na Flórida Cup e Erazo, experiente, selecionável da seleção equatoriana.

Para o setor ofensivo, a demanda é muito menor ou inexiste, pela qualidade das peças e pelo bom momento que elas atravessam. Eu falo de Fred, Lucas Pratto, Robinho e Rafael Moura, que tiveram uma temporada de destaque em 2016. Robinho foi para muitos, o melhor jogador do futebol brasileiro em 2016; Fred foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro, junto com Rafael Moura, que se destacou no sofrível time do rebaixado Figueirense, além de Lucas Pratto, o jogador mais valioso do elenco atleticano, que SEMPRE entra em pauta nas mesas de discussão, brilhando com a camisa do Galo e com a camisa da seleção Argentina. O Galo também conta com ótimos coadjuvantes, como Clayton, Hyuri, Carlos Eduardo e afins

Em suma, o Galo conta com um elenco muito qualificado, mas precisa se reforçar mais pontualmente. Com esses reforços, o Galo reúne totais condições de brigar por títulos nessa temporada.



O início dos trabalhos de Roger Machado e o que esperar do Galo


Roger Machado é um dos grandes valores da nova geração de técnicos que trouxeram ao futebol brasileiro uma oxigenação. Roger traz como sua "impressão digital", sua filosofia a valorização da posse de bola, o trabalho sem a posse, movimentação, compactação, aproximação, preenchimento de espaços, entrosamento, o que conseguiu com sucesso imprimir no Pentacampeão Grêmio. Nas 2 semanas de pré-temporada, vimos todas essas características serem colocadas em prática. Os jogadores do Atlético teceram muitos elogios á intensidade e a qualidade do trabalho de Roger nessa pré-temporada, inclusive, dizendo-se surpresos, pois nunca haviam feito um trabalho tão bom nessa fase do ano. Roger priorizou o equilíbrio das ações ofensivas e defensivas, procurando exigir mais dos jogadores a parte tática, que foi considerado o maior problema do conjunto atleticano em 2016. Diariamente o Galo trabalha com Roger a modernização do seu futebol, e isso vem deixado feliz a torcida e satisfeitos os dirigentes do clube, que concentram todos os seus esforços em fechar esse elenco com 2 ou 3 contratações de nível para dar a Roger mais opções para reforçar essa equipe. 


 


Gravações retiradas da @TVGalo


Muitas formações táticas foram testadas ao longo desse período. Luan e Maicosuel foram testados como volantes, uma formação com a trinca Robinho-Pratto-Fred também foi testada, algumas variações de formações foram feitas ao longo dos treinamentos táticos, e se chegou a esse provável time que poderá atuar amanhã, no jogo treino contra o Guarani de Divinópolis, as 17:00:






Como se observa no exemplo de plano tático acima, o Galo poderia iniciar no 4-2-3-1, esquema bastante utilizado no futebol moderno, com variações para o 4-2-1-3 ou 4-4-2, constituindo duas linhas de 4 jogadores após a intermediária, no seu campo defensivo, para diminuir os espaços do adversário, ou fazer uma linha de 5 homens na intermediária, para marcar por zonas de campo, o que o Roger costumeiramente fazia enquanto treinava o Grêmio, com 3 "médios-apoiadores", um homem de criação e um falso 9, que fazia a recomposição dessa linha. Ofensivamente, o Galo poderia se utilizar da qualidade na troca de passes, valorizando a posse de bola e imprimindo movimentação e intensidade nas partidas, procurando criar tão eficientemente quanto conclui. Apesar do fator ofensivo não ter sido necessariamente o problema da equipe, o setor ofensivo também careceu de organização e nisso, a equipe precisa melhorar. O que se espera do Galo, além dessa aplicação tática, é uma recomposição de mais velocidade, mas isso depende exclusivamente da melhora do entrosamento dos jogadores. O fator positivo para isso é que houve uma manutenção do elenco do ano passado, saindo poucas peças, o que poderia ajudar o Galo a obter um rendimento satisfatório da maneira mais breve possível.

Para o jogo treino do dia 21/01, espera-se uma equipe que consiga demonstrar uma evolução desses ótimos treinamentos empregados pelo professor Roger, mais vibrante, mais organizada, mais aplicada taticamente, mais bem distribuída, mais consciente em suas ações ofensivas e defensivas. O Galo produziu de forma excelente no ataque, foi o melhor ataque do futebol brasileiro, superando a marca de 110 gols, mas precisa de EQUILÍBRIO. Isso é o que podemos esperar do Galo versão 2017.




Considerações


Para os dois primeiros oficiais da temporada, contra o América TO, dia 28/01 e o super clássico contra o Cruzeiro, dia 01/02, espera-se que Roger possa preferir jogadores que estejam em melhor momento físico, ou fazer o rodízio, tão temido pelo torcedor brasileiro, para ciclar e dar ritmo aos jogadores nesse início de temporada. Mais do que nunca, o Atlético vai necessitar do equilíbrio físico e técnico dos seus jogadores, pois serão disputadas 5 competições, sendo a principal delas, a Copa COMMEBOL Libertadores Bridgestone, totalmente reformulada, sendo disputada durante toda a temporada. A Libertadores tem início nesta segunda feira, com a 1ª fase, tendo 3 fases em sequência e apenas em Março, tendo o início da fase de grupos, que durará até julho; Haverão duas pausas entre as fases da Copa, assim, terminando apenas em novembro. Os clubes que irão disputar a Libertadores terão um grande desafio, pois chegarão a disputar 3 competições de forma simultâneas, sendo, além da Libertadores, a Copa Continental do Brasil e o Campeonato Chevrolet Brasileiro.

A expectativa da torcida, apesar do 2016 decepcionante, é alta, pois o elenco é forte, conta com um treinador considerado moderno, uma das referências dessa nova geração de técnicos e também conta com um grande reforço no extra campo: O retorno de Eduardo Maluf, o diretor de futebol atleticano que foi um dos grandes responsáveis por talvez, o melhor momento da história do Clube Atlético Mineiro, que conquistou em sua gestão de futebol, 7 títulos, sendo eles: 1 Copa Libertadores, 1 Recopa Sul Americana, 1 Copa do Brasil, 4 Campeonatos Mineiros, além da Flórida Cup. Maluf recentemente venceu a batalha contra um câncer gástrico e voltou com toda a energia para levar o Galo á grandes conquistas. Já era hora, mestre Maluf, você fez MUITA FALTA á esse Galo.


Esse foi o primeiro quadro "Galo tático", lembrando que esse quadro sairá sempre ás SEGUNDAS FEIRAS, e quando houver jogos Quarta e Domingo, aqs SEGUNDAS E SEXTAS, analisando o desempenho de nossos heróis alvinegros. Conto com a satisfação de vocês e até a próxima!





#UNIDOSSOMOSFORTES #TODOSPORUMIDEAL #EUACREDITO #AQUIÉGALO #NÃOÉMILAGREÉATLETICOMINEIRO #VAIPRACIMADELESGALO 




Me sigam lá no Twitter, galera: @lsilveiralg 

Compartilhe isto

Posts Relacionados