PALMEIRAS TÁTICO

10:24:00
A 'Era Maurício Galiotte' no Palmeiras, iniciou de forma animada. Em tempos de crise financeira, e clubes procurando enxugar suas folhas salariais,  Palmeiras partiu na contramão disso, e manteve o alto nível salarial, e ainda acrescentou 8 temperos ao bolo verde que deu liga em 2016, com o Mestre Cuca.

Agora sob a batuta de Eduardo Baptista, o Verdão terá, ao menos no papel, o MELHOR ELENCO DO BRASIL. Mas é uma enorme arrogância. afirmar isso? Se for, comentem uma ou mais equipes, que possum as peças de reposição, melhores e em maiores quantidade,  que as do o atual campeão brasileiro. E visando isso, resolvi brincar de ser treinador do Porcão Querido, e montar possíveis variantes, dentro do esquema 4-1-4-1 sem a posse de bola, e o esquema 3-4-3 com a posse. Tais esquemas foram muito utilizados na Ponte Preta, em 2016. No 4-1-4-1, foram 12 escalações dessa forma, e 14 no 4-3-3. Mas diante de tantas peças, Eduardo pode se dar o luxo de variar o 4-3-3 de Cuca, e aplicar o 3-4-3. Três zagueiros? Não é bem assim. Há qualificação e não retranca. 

Como assim? 4-1-4-1? 3-4-3? 54-68--5557? Calma, vou simplificar tudo isso, para compreendermos como e onde, nossos reforços poderão contribuir. Tudo bem, que o futebol moderno exige marcação  e criação de jogadas, com todos os jogadores em bloco. Nas chamadas linhas compactas. E tais características como: Compactação, triangulação, e a famosa intensidade, fazem parte de Eduardo Baptista. Veja a seguir o por quê de tudo isso:


4-1-4-1 (Sem a posse de bola)

O Palmeiras de Cuca/Segundo semestre de 2016, foi marcado pelo termo 'Cucabol'. O qual nós adoramos até hoje, e temos orgulho dele. Se tentaram menosprezar um estilo de jogo campeão, caíram do cavalo. E em cima desse Cucabolzão, Eduardo Baptista fará adaptações ao seu esquema 4-1-4-1. ( Linha de 4 defensores, sendo 2 laterais e 2 zagueiros; 1 volante à frente dos 4 defensores citados; uma linha de 4 meias, com 2 meias centralizados e 2 meias mais abertos, sendo um pelo lado direito e outro pelo lado 
esquerdo; e 1 atacante, que pode ser um centroavante mais fixo na área, ou pode ser um centroavante que não fique muito preso dentro da área).

Com o esquema exposto, na era Cuca, ao perder a posse de bola, o Palmeiras se posicionava no 4-1-4-1, e sempre com os jogadores próximos, e  mais próximos possíveis do jogador com a posse de bola. Uma equipe sedenta por recuperar a pelota. Com Eduardo, a expectativa é manter algo próximo a essa sede de ter a posse de bola, de forma imediata, após ter perdido ela.

E com quais jogadores esse sistema existirá?

Há algumas maneiras, que em imagens abaixo, simplificarei, mas por enquanto vamos pela 'teoria da teoria'.

Primeira Maneira: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; FELIPE MELO; Tchê Tchê, Moisés, ALEJANDRO GUERRA, Dudu;
Alecsandro.

Segunda formação: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; FELIPE MELO; Tchê Tchê, Moisés, ALEJANDRO GUERRA, Dudu; WILLIAN BIGODE.

Terceira formação: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; FELIPE MELO; Tchê Tchê, Moisés, ALEJANDRO GUERRA, Michel Bastos, Dudu.

Quarta formação: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; FELIPE MELO; Tchê Tchê, RAPHAEL VEIGA, ALEJANDRO GUERRA, Dudu;

Quinta formação: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; FELIPE MELO; Tchê Tchê, , Dudu, ALEJANDRO GUERRA, Róger Guedes; Erik.

Sexta formação: Fernando Prass; Fabiano, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Jean; Tchê Tchê,Dudu, ALEJANDRO GUERRA, Róger Guedes; Erik


E em formações alternativas? 
Separei-as em três, pois se eu colocar as variações táticas, o texto será cansativo demais. Vamos lá:

Alternativo 1- Jaílson; FABIANO, Edu Dracena, Thiago Martins e Egídio; Arouca; HYORAN, Raphael Veiga, Rafael Marques e Keno; Lucas Barrios.

Alternativo 2: Jaílson; FABIANO, Edu Dracena, Antônio Carlos e Egídio; ; HYORAN, Raphael Veiga,  e Keno; Lucas Barrios.

Alternativo 3: Jaílson; FABIANO, Thiago Martins, Antônio Carlos e Egídio/Zé; HYORAN, Raphael Veiga, Vitinho e Keno; Rafael Marques.


Evidente que podem haver variaçôes de posicionamento, como Michel Bastos, que pode ser volante, meia aberto pelas laterais, como um ponta, e até mesmo lateral esquerdo. Ou com Tchê Tchê , Moisés e Guerra fazendo todas as funções do meio campo (Volante, Meia pelo centro ou pontas), e até Guerra podendo ser um centroavante móvel. Mas dentro de uma filosofia de grupo e de sistema de jogo, será mais ou menos por aí, o sistema de jogo, no 4-1-4-1




3-4-3 (Com a posse de bola)


Lembram que citei sobre esse esquema, com algo de qualidade, e não de retranca? Pois bem, esse sistema de jogo, é treinado por Eduardo Baptista, para iniciar as jogadas. Consiste em uma linha de 3 defensores, 4 meias (sendo 2 alas avançados ao meio campo, e dois meias centralizados, e 3 atacantes ( dois pontas e um jogador mais avançado. Ele pode ser móvel, para achar espaços para os companheiros, ou um centroavante fixo na grande área).


E com as variações do 4-1-4-1, entra o papel dos reforços.

Felipe Melo têm uma qualidade no passe muito boa, além de senso de posicionamento excelente, e se deixar, ele apoiará o ataque. Mas pelo menos na teoria, o nosso novo Pitbull será fundamental nos aspectos: Bola aérea defensiva e ofensiva, Saída de bola com qualidade, Marcação cerrada. 

Voltando ao esquema tático, Felipe seria um dos três defensores na primeira linha de três, do 3-4-3, para iniciar as jogadas com qualidade. 


Para você entender como funciona, a escalação que escolhi foi a seguinte:

Fernando Prass, Mina, FELIPE MELO, Vitor Hugo; Jean (ala direito, Tchê Tchê, Moisés, Dudu, Guerra, como centroavante móvel.

Peguei como exemplo a escalaçãoo acima. Existem muitas variações, como no 4-1-4-1. Apenas outros colocarei dois exemplos.


Fernando Prass, Edu Dracena, Arouca, Vitor Hugo; Fabiano (ala direito), Tchê Tchê, Dudu, Zé Roberto (ala esquerdo) , Willian como centroavante móvel.

Jaílson, Mina, Jean, Vitor Hugo; Tchê Tchê (ala direito, Moisés, Raphael Veiga, Keno, Michel Bastos (ala esquerda) Alecsandro como centroavante fixo.

Resumindo: Posse de bola, proximidade entre os jogadores, e obcessão pela posse de bola, deverão ser os objetivos de Eduardo Baptista, com suas variações táticas. 


Imagens abaixo mostrarão um exemplo do esquema 4-1-4-1 e um exemplo do esquema 3-4-3.


Boa sorte Eduardo Baptista, e que seu Eduardobol ou Baptistabol, funcione no maior campeão nacional

.




Por: Leonardo Bueno.

Compartilhe isto

Sou Paulo Junior, paulistano, ex-estagiário da Band FM São Paulo e jogador profissional de futebol amador.

Posts Relacionados