É hora de repensar algumas individualidades

19:55:00


Após a partida realizada ontem à tarde, fica a principal pergunta: O que mudou e o que não mudou da última temporada?

Visto que seria a volta de Andrés D’alessandro ao beira rio, após incorporação de alguns reforços, Charles e Diego que começam a temporada pedindo passagem no grupo, esperávamos que a ideia de jogo já tivesse sido assimilada, e os jogadores possuíssem um espírito de competição desde agora, e nos mostrassem ao que estão dispostos na temporada. Já que, óbviamente , o principal objetivo é a volta à primeira divisão.


Contudo, todos estavam ansiosos pelas partidas, esperando que o segundo jogo do campeonato gaúcho e terceiro jogo da temporada pudessem demonstrar indícios do que seria a equipe e, fizesse com que a torcida encontrasse a motivação necessária para empurrar o gigante aos triunfos durante o ano.

Mas com o início do jogo, tudo parecia mais um vale a pena ver de novo; time lento, apático, Fernando Bob errando tudo e fazendo falta até na “mãe”, além de alguns jogadores que já mostraram ser insuficientes para a equipe, como Roberson e Andrigo.

Infelizmente vimos mais do mesmo, ou seja, passes para o lado, Bob em campo, time lento e derrota novamente. Assim, começamos 2017 tendo o pior inicio de campeonato gaúcho dos últimos dez anos.

Qual a dificuldade em ter convicção que Fernando Bob é péssimo marcador? O jogador não sabe lançar, não sabe fazer gol, adora dar um passe lateral ou voltar à jogada. A torcida não aguenta mais ele e, nem a maldição Andrigo que entrou no segundo tempo para tirar toda e qualquer esperança da torcida. 

Alguns reforços que já nos mostram que não podem ostentar a titularidade na equipe, dou como exemplo, Roberson, que fez companhia a Ceará, ambos completamente fora de foco durante o jogo, mais uma vez tivemos pena de Rodrigo Dourado que ocupava sozinho o meio campo, até a entrada de Charles, uma grata surpresa, o jovem que veio da base a pedido de Falcão no ano passado, vem pedindo passagem com mais uma boa apresentação, mesmo com 2a0 para o Novo Hamburgo no placar mostrou bom futebol e personalidade. 

D’alessandro figurava muito bem ao lado de Nico, que aliás mostra porque é tão aclamado pela torcida: procurou jogo, apareceu bem no ataque e quando a bola chegou com qualidade colocou-a no fundo da rede. Já no fim do jogo, quase temos a partida perfeita, mas com uma boa saída do goleiro, Nico acabou perdendo a chance de empatar, mas definitivamente garantiu seu lugar no ataque colorado e agora aguarda pela decisão de seu companheiro, o qual deverá passar por muitas avaliações de Antônio Carlos. 

Zago, aliás, teve grande parcela de culpa na derrota, começou o jogo mal e em tentativa de arrumar a casa acertou na entrada de Charles no lugar de Bob, mas errou em colocar Andrigo no lugar de Diego, e, o pior, teve que queimar a última ficha trocando Ceará por Junio, a famosa seis por meia dúzia, o garoto entrou muito bem, provando que o erro do técnico na escalação foi gigante e comprometeu o jogo! 

Deficiência técnica gritante em cinquenta por cento da equipe, e ela estava lá na nossa cara, a maldita derrota, 2a1 para o Novo Hamburgo. Isso graças a uma boa jogada de Dourado que culminou em assistência de Uendel e, gol de Nico, segundo dele na temporada, mas apenas somamos um ponto em dois jogos, e a total incerteza do futuro colorado.

Alertamos quanto às alterações de Zago no intervalo, esperamos o barramento total de Fernando Bob, de Ceará, e esperamos uma melhor avaliação de alguns jogadores. Queremos Seijas, queremos intensidade, chega de jogar com medo da derrota, chega de toquinho para o lado, aqui é inter! Não é difícil, mas também esperamos da direção alguns reforços obrigatórios no Beira Rio.

                                                       Claiton Bandarz

Compartilhe isto

Posts Relacionados