Se na técnica não dá, vai na raça! Palmeiras 1x0 J.Wilstermann

14:19:00

Não foi uma partida qualquer. Foi uma partida 'Padrão Libertadores' de qualidade. Muito truncada, cheia de manhas e de muita catimba, MAS MUITA CATIMBA MESMO. Agregue-se também o árbitro central da partida, o SR. Eduardo Gamboa - CHI, que teve uma atuação sem qualquer pulso firme. Deixou a equipe peruana fazer todo tipo de 'cera' possível e imaginável. A primeira chance de gol no Allianz Parque, foi aos 2 minutos. Após inversão de Dudu, Michel Bastos deu um passe de peito, e Jean finalizou firme, mas a bola passou a direita da meta peruana. O Jorge Wilstermann ameaçou pouco tempo depois. Em cobrança de falta cometida por Felipe Melo, o brasileiro Thomaz Santos levantou na área, e Yerry Mina cabeceou contra o próprio gol, obrigando Fernando Prass a fazer uma defesa sensacional.

Escalado como titular, Alejandro Guerra teve bom desempenho na etapa inicial, e o Palestra manteve posse de bola durante a maioria do primeiro tempo. Porém, não conseguiu articular boas jogadas de ataque, e por várias vezes, a equipe palestrina esteve em posição de impedimento.

Na melhor oportunidade palmeirense durante a etapa inicial, Michel Bastos recebeu de Guerra e cruzou para cabeçada perigosa de Miguel Borja. Nos minutos finais do primeiro tempo, após outro passe de Michel Bastos, o camisa #12 cabeceou para defesa do goleiro Olivares. Borja que anteriormente, havia tentado finalização após clarear duas vezes o lance, ao cortar defensor rival, porém o chute foi na direção do arqueiro.

No segundo tempo, o Palmeiras desperdiçou uma grande oportunidade de abrir o placar. Após passe de Felipe Melo, Guerra ficou livre na cara de Olivares, mas ao tentar aplicar um chapéu no goleiro, perdeu o tempo de bola e foi desarmadp pelo goleiro. Mina chegou a mandar a bola para as redes, mas o camisa 26 estava em  impedimento, que foi bem marcado. Por sinal, foram 12 os impedimentos por toda a partida.Pouco tempo depois, Mina se estranhou com Alex Silva, e antes de uma cobrança de escanteio, ambos se estranharam na área do time boliviano, e ambos foram advertidos com o cartão amarelo. Depois voltarei nesse lance, pois é preciso fazer uma ressalva.

Com o Jorge Wilstermann todo retrancado, Eduardo Baptista trocou Michel Bastos, Guerra e Tchê Tchê, por Keno, Róger Guedes e Willian. Aos 50 minutos do segundo tempo, o Verdão que tanto pressionou, abafou, e lutou contra as adversidades, teve sua última chance de gol. Dudu cobrou falta, o goleiro afastou parcialmente, Dudu recebeu o rebote de Keno e rumou para a linha de fundo. Nosso camisa 7 cruzou rasteiro, cerca de 208.198.774 pernas do J. Wilstermann afastaram a bola, Keno 'errô' o rebote, Borja se embolou com zagueiro adversário, Felipe Melo tocou para Keno/deu passe para Róger Guedes e cruzou rasteiro para Mina garantir a vitória. Isso mesmo, todo esse sufoco para sair o gol no apagar das luzes. O Allianz Parque veio abaixo. Há relatos de que Mauro Beting necessitou de 14 desfibriladores, para reanimar-se pós-gol.

Os peruanos reclamaram de impedimento QUE NÃO OCORREU, no lance do gol de YERRYome Mina Boateng. O zagueiro colombiano estava atrás da linha da bola, no momento do passe de RG23. Sem mimimi antis. Até um zé boneco foi expulso, apó o final da partida, que se encerrou com policiamento protegendo a arbitragem, dos nervosinhos do Jorge Wilstermann. Com 4 pontos, o Palmeiras passará pelo menos um mês, na liderança do grupo 5 da Liberta. Pois a próxima partida ocorrerá dia 12/04, contra o Peñarol, no Allianz Parque, e Mesmo que haja vencedor entre Peñarol x Atlético Tucumán, nenhum deles ultrapassará o Verdão na tabela.

Antes da ficha técnica, uma ressalva a catimba peruana. O jogo teve com acréscimos, 98 minutos. Sendo que em 48% do tempo, a bola esteve parada, miito em função de uma arbitragem conivente a malandragem da terra da lhama. Os caras pintaram e bordaram na cara da arbittagem. Chegaram a ludibriar o árbitro, na figura de Alex Silva. O zagueiro ex-Flamengo e São Paulo, teve a cara de pau de rasgar a camisa, para forçar cartão amarelo sobre Mina, após um dos 476 agarra-agarras dentro da área. Mina forjou uma cabeçada, tentando cavar expulsão do zagueiro brasilleiro, o que não justifica o teatro. Porém, o que Alex fez, beira o cúmulo da palhaçada. O pior é vermos a arbitragem deixar os jogadores do Jorge, gastarem durante todo jogo, só em reposições favoráveis de bola, cerca de 10 minutos. Tamanha cera que fizeram.

Porém, contra a catimba peruana, marcação modo retrancol e secadores dos antis ligados, o Palmeiras conseguiu a vitória. E diferente da imprensa marrom, e de uma boa maioria de torcedores das redes sociais, parabenizamos a equipe pelo resultado positivo, e EDUARDO BAPTISTA. EB alterou de forma correta a equipe. Fez o melhor que poderia fazer, e ainda fez a melhor ressalva de todas: PARABENIZOU OS 38 419 PRESENTES no Allianz Parque. Esses sim são verdadeiros torcedores, pois apoiaram o tempo todo. Não se viu uma vaia para ninguém, e somente apoiou a equipe/homemageou a mãe dos meliantes da arbitragem de ontem.

Palmeirenses de verdade, nós amaremos vocês, e com time e torcida em sintonia, teremos sucesso em 2017.
Obrigado por seu apoio, e contra tudo e todos, a vitória na última quarta-feira, provou que se na técnica não dá, na raça e na garra se resolve!

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 0 JORGE WILSTERMANN

Local: Allianz Parque

Data: quarta-feira, 15 de março de 2017

Horário: 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Eduardo Gamboa (Chile)
Assistentes: Claudio Rios e

Edson Cisternas (ambos do Chile)

Público: 38.419

Renda: R$ 2.565.095,57

Cartões amarelos: Yerry Mina (PAL); Marcelo Bergese, Thomaz, Alex Silva, Aponte e Cabezas (JOR)

Cartão vermelho: Olego (JOR)
Gol:

PALMEIRAS: Yerry Mina, aos 50 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo; Michel Bastos (Keno), Tchê Tchê (Willian), Guerra (Róger Guedes) e Dudu; Borja
Técnico: Eduardo Baptista

JORGE WILSTERMANN: Olivares; Aponte, Zenteno (Enrique Diaz), Jorge Ortiz, Alex Silva e Omar Morales; Cristhian Machado, Saucedo e Thomaz; ; Bergese (Rudy Cardozo) e Cabezas (Olego)
Técnico: Roberto Mosquera

#ForzaPalestra

Foto: Cesar Greco



Por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados