Ousadura emocionante!

13:48:00

Eu até comentei em tom de brincadeira, no grupo do vqttv no whatsapp, que se caso houvesse uma nova vitória com o padrão 'Jorge Wilstermann' de emoção e sofrimento, eu infartaria. No mínimo pararia em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), sob infarto. Meu temor ocorreu, e isso é uma mescla de tezão, paixão, tensão e desespero. Devido a tudo o que ocorreu e da forma em que ocorreu, mas com maiores requintes de crueldade.

Ver o árbitro ser bunda mole, diante da catimba uruguaia, me afligia mais que grávida com a bolsa de sangue estourada, prestes a dar  luz a um(a) filho(a). Não que eu um dia tenha de parir uma criança, mas a sensação que tive na noite do dia 12 e início do dia 13 de abril de 2017, foi tâo acelerada e emotiva quanto isso. Já falei que o árbitro Roddy Zambrano é um bundão? Enfim, deixo meu repúdio ao cara que conseguiu a expulsão mais desastrosa da Copa Libertadores, nos últimos anos. Dudu estava questionando o por quê o jogador do Peñarol não ficava na distância regulamentar da bola,  e ficava amarrando o jogo. Foi expulso por isso. Foi expulso por questionar o anti jogo tão condenado no futebol. Mas se  analizar bem a peleja, se conclui que o Peñarol foi para um jogo ríspido, malandro, e que lhe convinha. Sei que faz parte do futebol, mas não é justo. Por mais que na maioria dos casos, não exista justiça no futebol e muitas vezes falte o respeito para com o ser humano, no caso de Felipe Melo - vulgo macaco para Gastón Hernandéz -, a justiça deveria ser feita por linhas tortas, ou não. Mas se deveria haver algum vencedor, ele deveria ser o Palmeiras.

E de fato o Verdão venceu. Não convenceu o tempo todo, diante de seus nervos aflorados, e ante uma equipe taticamente bem estruturada, e programada para se defender. Porém, mesmo sofrendo um gol de bola aérea na etapa inicial, o Palestra em seis minutos do segundo período, jogou com a tal intensidade que os comentaristas tanto falam. Foi uma equipe ágil, envolvente, e que sufocou o rival. Manteve uma pegada muito forte por cerca de dezoito minutos, até a perca do penal de Borja.

Não, não irei condenar Miguel Borja por seu gol perdido na marca da cal, ou pelas chances em que não concluiu a gol. Não crucificarei Tchê Tchê, Michel Bastos, Willian e etc, por chances não concluídas em gol, até porque eles participaram ativamente da vitória heroica. Dudu fez gol, Borja deu assistência, Michel Bastos também, enfim, não pode se crucificar uma equipe que teve uma gana do tamanho do planeta terra, para superar todas as adversidades.

Sofreu empate o Parmera? Sim, e daí? Buscou remontar na liderança do marcador, teve maior volume de jogo, e por mais que nâo quisessem sua vitória, os alviverdes a alcançaram. Vitória que poderia ter vindo antes, se o goleiro uruguaio Gastón (sei lá o que), não tivesse evitado o gol de cabeça do lateral Fabiano. Fabiano? O contestado, que já javia entrado para a história, com o gol que ratificou o fim do jejum de 22 anos, e nos deu o Eneacampeonato Brasileiro? Ah, que homão!
Fez o gol salvador, no minuto 99.
Ano da nossa primeira
Libertadores.
Fabianão nos fez esperar mais dez segundos, para explodir o mar verde explodir de emoção. O mundo não cabia dentro dos mais de 38 mil palestrinos na Arena, e nos quase 17 milhôes mundo afora. Aquele gol representa a perseverança de quem trabalha, de quem luta dignamente por seus objetivos, e é uma 'OUSADURA' contra os antis. Secadores, quanto mais criticarem, mais serão menosprezados.

Mas espera aí, 'OUSADURA'? Sim, Uma grande ousadia, na forma expressada por Felipe Melo. Felipinho o ousado palestrino, que dá a vida dentro das quatro linhas e além delas. Ele é falastrão? Não deixa de ser. Mas se ele fala muito, é na medida em que seu futebol é exercido. Portanto a OUSADURA está aprovada, e que se dane o cara que chama um colega de profissão de macado. Sentimento desse trouxa, é de trauma pós relacionamento, com uma pessoa de tom de pele pardo ou mulato. Felipe disse algo sobre negão, e FM tá certo em falar a real sobre isso. 

Mas o meu sentimento diante de uma vitória de transcedental importância ao Porco, está representado na foto abaixo. Alegria emotiva de Fernando Prass, que se prostra mim quadro de um time aguerrido, com uma torcida que corneta muito e que lutará e apoiará seus atletas até no inferno, para ser o décimo segundo jogador, para derrotar os seus oponentes. Não importando a distância que existir entre clube/torcida. Dia 26/04 reencontraremos os carboneros, mas tenham certeza de que os palestrinos estarâo sedentos para vencerem, e verem o seu fracasso Peñarol. Pronto, falei!

#ForzaPalestra

#ForzaOusadura

#BravoPalestra




Foto: Fernando Dantas/Futura Press








Por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados