Pós-Jogo: No final da partida, Fabiano marca e faz a torcida comemorar como se fosse um título

01:05:00

Assim como no jogo contra o Jorge Wilstermann, pela Libertadores, Palmeiras deixa para o final e marca o gol da vitória no último minuto dos acréscimos.


O principal problema enfrentado pelo Palmeiras nos últimos jogos em casa quando se tratou de Libertadores foi  a retranca e forte marcação dos times sul-americanos. Foi assim contra o Nacional, em 2016, e Jorge Wistermann, este ano. Com o Peñarol não foi diferente. O jogo começou truncado, com o time uruguaio marcando forte.

Apesar de se verem sem opções para tentar um passe que pudesse deixar um companheiro pronto para marcar o gol, os jogadores do Verdão tocavam bem a bola. O que fazia com que Dudu, pelo lado esquerdo do campo, recebesse com liberdade para tentar uma jogada individual.

Durante todo o primeiro tempo, o time da casa teve duas chances reais de marcar gol. Primeiro, com Tchê Tchê, que recebeu na entrada da área, mas bateu no meio do gol, o que facilitou a defesa do goleiro Gaston Guruceaga. Já a segunda foi foi na cobrança de falta de Dudu, que a bola passou perto do travessão.

Aos 33 minutos da primeira etapa, após Ramon cobrar escanteio, a situação ficou complicada para o Palmeiras, já que Junior Arias aproveitou o cruzamento para testar forte, no ângulo de Fernando Prass e marcar o primeiro gol do jogo.

SEM EMOÇÃO! SÓ QUE NÃO! 


O Palmeiras voltou para o segundo tempo focado em não deixar emoções para o final, como aconteceu no último jogo pela Libertadores, contra o Jorge Wilstermann, que o Palmeiras marcou o gol da vitória no último minuto dos acréscimos do segundo tempo. Então, logo no primeiro minuto, após tentativa atrapalhada de finalização de Borja, a bola sobrou para Willian "bigode" empurrar para as redes e empatar a partida.

Com o gol de empate, o Verdão ganhou confiança e aproveitou a desatenção da zaga do time uruguaio, que deixou Guerra livre para invadir a área e tocar para Dudu marcar o segundo gol palestrino. O jogo poderia ter ficado melhor para o Palmeiras se Borja não tivesse desperdiçado um pênalti, que foi sofrido por Dudu.

Por conta do vacilo do atacante colombiano, o Peñarol se lançou mais ao ataque. Mas sem muitos perigos ao gol do arqueiro palmeirense. Aos 25 minutos, o técnico Eduardo Baptista resolveu mudar o time para evitar problemas. Então, colocou Michel Bastos no lugar de Borja, e Thiago Santos na vaga de Felipe Melo, que estava pendurado com um cartão amarelo.


GRITO DE GOL PRESO NA GARGANGA E DECEPÇÃO DO TORCEDOR PALESTRINO


Aos 29 minutos, Michel Bastos recebeu livre de Dudu, invadiu a área e chutou para o arqueiro do Peñarol salvar. No rebote, Tchê Tchê chutou e Hernandez, de carrinho, salvou o time visitante. Após o lance, alguns jogadores do Palmeiras reclamaram que a bola havia ultrapassado a linha. Mas, um minuto depois, Gaston Rodriguez aproveitou rebote de Fernando Prass para empurrar para as redes e empatar o jogo.

Em mais um momento o torcedor que estava no Allianz Parque ficou com o grito de gol entalado na garganta, quando o autor do primeiro gol palestrino, Willian, perdeu uma grande chance. Ao driblar o goleiro, o atacante palmeirense pegou muito embaixo da bola e acertou o travessão do time uruguaio.

CÊRA DO ÁRBITRO


Nos minutos finais, o árbitro equatoriano, Randy Zabrano, resolveu "fazer cêra". Quando o jogo já estava nos acréscimos, Dudu se preparava para cobrar uma falta no lado direito do campo e um jogador do Peñarol não saía da frente da bola. O atacante palmeirense resolveu reclamar com  árbitro, que não gostou e advertiu o jogador com um cartão amarelo e, em seguida, o expulsou, após se irritar com um gesto de descontentamento do Palmeirense.

A partir daí, os jogadores dos dois times iniciaram uma grande confusão por conta do atrapalhado árbitro. Por conta disso, ele foi obrigado a aumentar o tempo dos acréscimos. Minutos após a confusão, Zé Roberto cobrou lateral, Mina desviou e o lateral Fabiano tocou de cabeça para Guruceaga mandar para escanteio. Na sequência, Michel Bastos levantou na área e Fabiano subiu mais que todo mundo para, dessa vez, marcar para o fundo do gol e dar a vitória ao time da casa.




Foto -
Nelson
Almeida/
Getty
Images










Por-
Paulo
Jr


Compartilhe isto

Sou Paulo Junior, paulistano, ex-estagiário da Band FM São Paulo e jogador profissional de futebol amador.

Posts Relacionados