Lesões no São Paulo: sinal de alerta ligado

17:14:00
Buffarini corre no gramado pela primeira vez após lesão (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Muito mais que os reforços contratados ou dispensados para a temporada ou mesmo a campanha do clube propriamente dita, outra questão deve ser considerada: o número de atletas no departamento médico seja antes ou depois dos jogos. Se de um lado o calendário do primeiro semestre foi terrível - mas os dirigentes têm chance de vetar a realização de tantos jogos seguidos e não o fazem -, vê-se também problema na preparação física quando os jogadores em condição de aguentar os 90 minutos, praticamente "morrem" no segundo tempo e aí vale ressaltar que se os treinamentos de Rogério Ceni são intensos, eles têm o aval da equipe de fisiologia do clube - médicos, preparadores físicos, fisioterapeutas e analistas de desempenho - na elaboração desses cronogramas. 

Nota-se em clubes como Atlético-MG, Botafogo, Cruzeiro, Corinthians, Flamengo e Palmeiras, entre outros, que mesmo em jogos mais intensos, os jogadores conseguem disputar boa parte do segundo tempo praticamente em nível de igualdade física com os rivais.

Não é incomum - e isso não é de agora - ver o São Paulo com pouquíssimos reservas em um jogo, pela grande quantidade de machucados e tendo que improvisar com jogadores da base e vários outros que não estavam jogando, sem nenhum entrosamento porque o time precisava estar em campo. 

A verdade é que desde que os principais fundadores do REFFIS - centro de reabilitação física do clube - deixaram o São Paulo, o clube vem capengando tanto na prevenção quanto na recuperação de jogadores: Turíbio Leite de Barros e Luiz Alberto Rosan, fisiologista e fisioterapeuta, respectivamente, além de Carlinhos Neves, preparador físico, há muitos anos, não prestam mais serviços ao clube, sendo que Neves há quase 5 anos trabalha no Atlético-MG - vale ressaltar que os 3 foram demitidos do São Paulo pelo então presidente Juvenal Juvêncio -.  



Wesley  (colete azul) pode enfrentar o Defensa y Justicia no dia 11 deste mês (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)
Wesley (colete azul) pode enfrentar o Defensa y Justicia no dia 11 deste mês (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

No REFFIS, há ainda o atacante Wellington Nem, que sofreu cirurgia no joelho, Sidão também continua se recuperando de lombalgia, enquanto Araruna e Buffarini estão em fase final de recuperação de lesão muscular e os laterais Bruno e Edimar já voltaram aos treinamentos.

Leco, presidente reeleito, quando foi chefe da delegação da seleção brasileira ouviu que o São Paulo poderia trocar a preparação física do clube pela da seleção, trazendo o preparador físico Fábio Mahseredjian e o fisioterapeuta Bruno Mazziotti, mas o problema é que os salários de ambos são incompatíveis e Mazziotti trabalha no futebol chinês.

Para o São Paulo querer títulos, precisa reduzir ou eliminar a quantidade de jogadores no departamento médico por tanto tempo e claro, manter elenco e técnico por mais que um ano: hora de acordar São Paulo!


Rumo à vitória, São Paulo!




Compartilhe isto

Bacharel em Direito, acompanha futebol desde sempre e dá seus pitacos quando é e quando não é chamado. Ama o S.P.F.C. incondicionalmente e despreza os rivais, a menos que estejam em boa fase, nesse caso, os odeia.

Posts Relacionados