Peço licença, preciso falar com vocês sobre meu time.

21:42:00
Peço licença aos rivais e desculpa por frustrar vocês, mas hoje eu preciso falar do meu time, preciso declarar aqui o que fizemos hoje. Nem me lembro a última vez que ganhamos fora de casa, nem me lembro a última vez que eu olhei nos olhos dos jogadores e vi, TODOS, sem exceção, com sede de vitória, crendo, lutando, correndo... Todos os gerúndios cabíveis. O resultado foi consequência da melhor partida do ano do São Paulo, o resultado foi consequência da nossa alcunha de clube da fé. Será que agora vocês acreditam o porquê que com a gente a moeda cai de pé? Dá pirueta e dois mortais para trás? Será que agora o vermelho das 3 estrelas que carregamos no peito te lembram alguma coisa?

Vamos ver o contexto da partida, ou melhor, do São Paulo: pressionado pelo Z-4, estreia de um dos maiores ídolos da nação tricolor juntamente com a estreia de Marcos Guilherme que veio do Atlético PR, Botafogo embalado pela vitória contra o Galo pela Copa do Brasil eliminando os mineiros... Era tudo contra nós, as expectativas, as possibilidades, os números, só não contavam que tínhamos aquela coisa essencial que muda qualquer partida: a fé. Mais do que tiveram raça, amor e respeito pela camisa hoje, tiveram fé.
Imagem: Ygor Correia, integrante da equipe do SPFC-VQTTV
A partida
Uma partida de 7 gols, um jogo de tirar o fôlego e não por deméritos dos Botafoguenses, mas por méritos nossos, fomos coroados com aquilo que nós de fato merecíamos. Pela parte do Botafogo um jogo fora do padrão ofensivo que o alvinegro costuma utilizar. Os cariocas se fecharam atrás e tomaram o primeiro gol da partida aos 17 minutos pelos pés de Cueva que viu a reação carioca aos 19 minutos com Marcos Guilherme, que também coroou a virada aos 25 minutos. No segundo tempo um pênalti marcado a favor do tricolor paulista reanimou a torcida que viu Cueva bater muito mal a penalidade e desperdiçar a chance de empatar o placar. Logo em seguida, o Botafogo fez o 3° com Guilherme para o desespero da nação São Paulina. Calma, não perca as contas, aqui estava 3x1. Aos 38 do segundo tempo, Marcos Guilherme diminuiu e em seguida foi a vez do outro estreante Hernanes. O gol da vitória saiu novamente pelos pés do Marcos Guilherme que fez um golaço com passe de Cueva. 3x4, apita o juiz. Que tarde meu povo!

Imagem: Globo Esporte.
Obrigada a todos que vieram secando o São Paulo, ajudaram muito e principalmente hoje na invasão São Paulina no Nilton, a nossa torcida tem feito algo extraordinário, inexplicável, inalcançável por muitas torcidas que já lidaram com seus times na mesma situação que o São Paulo está. Sempre senti orgulho de ter nascido São Paulina, mas hoje o que transborda em mim (além da presença de Deus) é a vontade de gritar pro mundo o quanto eu te amo, meu São Paulo, jamais desistirei das suas três cores, da sua história, do seu brilhantismo e até o meu último suspiro eu defenderei sua bandeira com todas minhas forças.
Imagem: Ygor Correia, integrante da equipe do SPFC-VQTTV
Aos guerreiros que vêm honrando nosso time, obrigada. Hoje no estádio, Sidão e Militão cantaram junto com a torcida e fizeram o punho fechado junto com a Independente; o elenco finalmente entendeu que: JOGUEM POR NÓS E CANTAREMOS POR VOCÊS ATÉ A VOZ ACABAR.
Imagem: Reprodução Twitter.
Siga-nos no Twitter: SPFC_VQTTV

Compartilhe isto

Posts Relacionados