Vitória com gol legal

13:48:00
Joanderson e Pottker resolveram a partida. Foto: Internacional/Divulgação


Um jogo bem louco, eu diria. O time do Internacional outra vez pecou na hora de finalizar, chances desperdiçadas durante a partida. Foi um jogo mais feio que fazer n° 2 na privada de jaqueta. Que horror, meu senhor. Quando eu pensar em deixar meu futuro filho de castigo, farei ele assistir Inter x Luverdense, daí ele só vai ficar livre do castigo na hora do gol. É uma boa, né? A série B é campeonato onde o Inter por obrigação e vergonha na cara, deveria aprender de uma vez por todas, enfrentar times de expressões inferiores ao clube gaúcho. Infelizmente, não é desse jeito que a banda toca. O primeiro tempo foi um filme de terror, cada bola alçada na área não tinha o aproveitamento merecido, e quando havia, o último toque estragava tudo ou era impedimento. Vai entender. (Arbitragem foi bem insegura).

Não sei o que se passa com o Beira-Rio, não sei mesmo, parece não impor mais medo e nem respeito. A culpa não é da torcida, não mesmo. Nadinha. Vou traduzir: A frase citada pelo Magno Alves faz sentido. A camisa do Inter para os adversários não pesa enquanto a peleia rola diante do colorado, os oponentes sabem jogar contra o clube do povo SEM INTIMIDAR-SE COM O GIGANTE. 

Muitos julgaram a ausência do D’Alessandro no primeiro tempo, achei justa, pois “poupado” o camisa 10 teve uma noção melhor em ler a partida, no entanto quem fez diferença foi outro jogador, oriundo da base, Joanderson. Frio, de personalidade. Ao contrário de Carlos, que parece uma dondoquinha com medo de quebrar a unha, cheio de frescura e ruindade para finalizar (Não desmerecendo Diogo Silva que foi muito bem).

O que é pior: Futebol de Carlos ou a voz dele? Só o tempo dirá.


Tradução do "impedimento"

O gol colorado foi motivo de pauta nos debates, desde redes sociais até programas esportivos, mas a regra é clara. Foi gol legal, quem se atrapalhou foi o bandeira, o Internacional não teve culpa. O jogo foi feio, e ainda bem que vencemos. The cry is free.  Guto na entrevista estava pistola, disse algumas besteiras relacionada às mulheres e logo após reconheceu que falou asneira e pediu desculpas (o futebol feminino do Inter está jogando tudo que o masculino sequer joga).

INTER FINALIZOU 26 VEZES, 12 NO GOL. E quantos foram feitos? UM SÓ.

POTTKER, mostrou bravura, revolta, compreensão com a torcida e se emocionou depois do gol. Nico López demonstrou sua revolta ao sair do jogo, JUSTO. Não é máscara, pensa comigo: Tu sabendo que mesmo perdendo alguns gols, tu é melhor que um pereba de voz irritante… Ficar no banco e verdade aquela catinga jogar chega a soar irônico. Não é?! Bom..

O próximo desafio colorado é no sábado (22), às 16h30, contra o Vila Nova-GO, no Serra Dourada.

Hugo Severo

Compartilhe isto

Posts Relacionados