Dudu, de 'chapéu' a ídolo

23:10:00
Com 35 gols marcados desde quando chegou - em 2015 -, o atacante, de 25 anos, Dudu, já acumula 2 títulos (Copa do Brasil 2015 e Campeonato Brasileiro 2016) pelo Alviverde Imponente. E neste sábado, 30, contra o Santos, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro, fará o seu 150º jogo vestindo a camisa do Palmeiras. Para comemorar, o núcleo do Palmeiras no 'Vai Que Tô Te Vendo' listou, em ordem cronológica, os maiores momentos envolvendo Dudu e Palmeiras. Alguns momentos que o transformaram de 'chapéu' a ídolo.


Belíssimo Chapéu!

Ninguém iria imaginar que aquele 11 de janeiro de 2015 (domingo) seria um dia surpreendente no meio futebolístico. O início de ano já é conhecido por ser uma época que os times de futebol no Brasil se movimentam para montar um elenco forte para a temporada.
Resultado de imagem para valdivia belissimo chapeu
Ex-jogador do Palmeiras, Valdívia não perdeu a chance de alfinetar


Corinthians e São Paulo brigavam pelo atacante do Dínamo de Kiev, que estava emprestado ao Grêmio na temporada anterior. Dudu chegou a ser anunciado como novo reforço do Corinthians, por Bruno Laurence, apresentador do Globo Esporte.


Resultado de imagem para chora gremio dudu e do
Corinthianos chegaram a comemorar

Porém, Alexandre Mattos trabalhou nos bastidores e “chapelou” os rivais. Contratou, por 4 temporadas, o atacante mais disputado, até então, pelos clubes brasileiros.

"Ninguém ganha antes da p... da bola rolar. Cadê eles?"



O ano de 2015 não começou muito legal para o camisa 7. Além de desperdiçar um pênalti no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista - contra o Santos, em pleno Allianz Parque -, ele foi punido por conta de um empurrão no árbitro Guilherme Ceretta de Lima, no segundo jogo da final do Paulistão. A principio, o atacante pegaria 180 dias de suspensão, mas o Palmeiras conseguiu reverter a punição - imposta pelo STJD - para 6 jogos.

Apesar do ano não ter iniciado bem a temporada, o final foi glorioso. Dudu foi o artilheiro da equipe – 16 gol em 56 jogos – e faturou o tão comemorado título da Copa do Brasil daquele ano, com dois gols na final.

Foto: Cesar Greco/fotoarena


O jogador não escondeu a emoção ao desabafar após a partida, já que muitos jornalistas afirmavam que o Palmeiras tomaria um verdadeiro baile nas duas partidas da decisão.



ÍDOLOS


Filmes, séries, novelas podem ser emocionantes, mas nunca serão tão emocionantes – e imprevisíveis - quanto alguns jogos de futebol. Aquele 3 de abril (domingo) sempre ficará marcado na mente dos palmeirenses. Não só por mais uma vitória do alviverde imponente sobre Corinthians, mas do jeito como foi essa vitória. Nem o roteirista mais palmeirense poderia desenvolver uma trama tão emocionante para aquele jogo.
Daniel Vorley/Estadão

Aos 28 minutos do segundo tempo, o árbitro Raphael Claus assinalou um pênalti para o time de Itaquera, na disputa de bola entre o zagueiro palmeirense Thiago Martins e Giovane Augusto. O atacante Lucca foi pra bola e bateu forte; Fernando Prass voou e fez uma defesa espetacular. Se não bastasse esse lance, 2 minutos depois, em um cruzamento na área, Dudu - 1,66m de altura - venceu o grandalhão Cássio (1,96m) e abriu o placar de cabeça. Na comemoração, o atacante pegou o boné do repórter Wanderley Nogueira (Rádio Jovem Pan) para cumprir a promessa feita na apresentação, quando chegou ao clube: "Deixo essa euforia para os torcedores. Se for para deixar a torcida feliz, espero fazer um gol contra o São Paulo e Corinthians para fazer essa comemoração (dando chapéu)".


Capitão campeão


Além de passar por um momento instável no final do primeiro turno do Camponato Brasileiro em 2016, o Palmeiras ficou sem o seu principal líder dentro de campo: Fernando Prass. O goleiro foi convocado para defender a seleção brasileira nas olimpíadas, porém, fraturou o cotovelo nos treinamentos, antes dos jogos começarem. Isso fez com que Cuca buscasse outro líder dentro de campo. O escolhido foi Dudu, que chegou a amargar alguns jogos no banco de reservas naquela temporada.

"Muito feliz por isso, por todo o trabalho do ano passado. Acho que fui muito bem de capitão. Agradeço a confiança do treinador, do Alexandre (Mattos) e do presidente. Começar o ano como capitão foi muito importante para mim. Espero que este ano possa ser bom como foi o ano passado", disse o camisa 7 em atrevista ao site Globo Esporte.



Foi a primeira vez que o jogador assumiu a tarja de capitão, e isso fez muito bem, não só ao jogador, mas, também ao clube. Naquela temporada, o Palmeiras não oscilou mais no Brasileirão e foi campeão. 

Gol de cobertura


Em Março deste ano, no Campeonato Paulista, Dudu marcou o gol - que segundo o próprio jogador, foi o mais bonito de sua carreira. O jogo foi no dia 11 (sábado), no Allianz Parque, e, até então, o camisa 7 nunca havia marcado um gol de fora da área. Na vitória por 3 a 0, Dudu abriu o placar com um golaço de cobertura. O arqueiro dessa vez não era o Rogério Ceni, mas o ex-goleiro estava no banco e reservas - como então treinador do São Paulo - para presenciar mais um gol de cobertura. Dessa vez a vítima foi Dênis.

"Vi uma coisa no Instagram, que os gols foram da mesma distância. O meu (gol) estava mais para a lateral. O Rogério (Ceni) escolheu o meu como o mais bonito, então vou apoiá-lo na escolha dele", disse Dudu em entrevista coletiva na Academia de Futebol.

Palmeiras 3 x 0 São Paulo - Paulistão 2017 - Um gol de Dudu
Cesar Greco/Palmeiras
Antes de Dudu, o meio-campista, Robinho, que defendeu o Palmeiras entre 2015 e 2016, marcou 2 gols de cobertura contra o São Paulo - um no Allianz Parque e outro no Morumbi. "O Robinho passou por aqui, e viramos muito amigos; ele ia na minha casa direto, e eu na dele. A gente conversou por Whatsapp, e ele até brincou que aprendi certinho com ele", disse Dudu.



Fala, Dudu!

A 2 anos de Palmeiras, Dudu se adaptou muito bem ao time e hoje já é peça indispensável na equipe. Além do mais, ele se mostrou um verdadeiro 'guerreiro' ao longo desse tempo. Com isso, ele já declarou, em entrevistas, todo o seu carinho pelo alviverde imponente. Leia algumas:

"Cheguei aqui e não era palmeirense, agora eu sou palmeirense, meus filhos são palmeirenses. Vou carregar esse clube para o resto da minha vida", disse em entrevista ao GloboEsporte.com.

"É uma experiência nova ser capitão em um clube como este. Poder jogar bem, ajudar o Palmeiras, ter a confiança do Cuca e dos meus companheiros é muito importante. Só é capitão quem tem a confiança do treinador e do time", disse Dudu após ser escolhido como capitão em 2016.

"Normal, fazer o quê? Eles ganharam, a gente tem que aguentar. É igual quando eles vêm aqui, eles tomam quatro, três, gol de cobertura, e têm que aguentar também. Ainda tem o jogo de volta, eles sabem que jogar aqui é muito difícil, mas temos que esperar", disse o camisa 7 em entrevista coletiva um dia após o Palmeiras perder por 2 a 0 para o São Paulo, no Morumbi. No segundo turno, o Palmeiras venceu o Tricolor por 4 a 2, no Allianz Parque.

"Só saio daqui quando conquistar a Libertadores. Tenho muito tempo de contrato com o Palmeiras, espero cumprir bastante, conquistar as coisas aqui", disse atacante em uma conversa com estudantes numa palestra na faculdade que patrocina o clube.

Falem, palestrinos!  

- "Chapéu: Melhor coisa para Palmeiras e para a carreira dele; Decisivo em jogos gigantes, após amadurecimento técnico e temperamental, tendo consequência, a tarja de capitão e sendo um dos pilares para o título" - Leonardo Pinheiro.

- "Chapéu: Uma das melhores contratações do Palmeiras
Copa do br 2015: Foi decisivo no momento em que mais precisamos dele, teve raça, determinação e força de vontade (assim como faz até hoje)
Gol contra os gambás: Um dos meus gols favoritos no mundo, principalmente pela comemoração. Mais uma vez foi decisivo, mais uma vez vestiu o manto sagrado e honrou até o último segundo, uma emoção surreal depois do Prass ter defendido o pênalti.
 Brasileiro 2016: Foi absurdamente essencial pro título, desde sua posição como jogador até sua posição como capitão, levantando o time sempre que necessário.
Golaço contra os bambis: Espetacular, uma das coisas mais lindas que eu já vi, teve segurança e confiança pra bater na bola e comemorou como que fazia aquilo sempre. Mais um clássico e mais uma vez ele mostrou o quão decisivo é importante é pra nós" - Sabrina Neri.

- "Bem, pra mim quando vejo o Dudu em campo, seu espírito guerreiro e ainda mais vestindo a camisa sete, enxergo como se fosse a reencarnação do nosso Animal. Quando ele veio nós precisávamos dele e ele precisa de nós, Dudu e Palmeiras é o casamento perfeito" - Willian Batista

- "É um dos atuais ídolos da torcida, a principal peça do elenco atual e o autor dos gols do nosso tri da Copa do Brasil, não tem como não amar esse homem!" - Vitany Xavier.

- "O Dudu é a chave da mudança de era da SEP. A saída dos tempos ruins para a volta dos tempos de glórias. A começar pela sua contratação, chapelando os rivais e nos escolhendo, e nós o acolhendo de maneira que só nós sabemos fazer. Adotamos como nosso representante em campo, aquele que dá o sangue, que dá o "algo a mais" que pedimos de todos. Que sofre como a gente. Que vibra como a gente. Sabe o que sentimos e se joga de cabeça pra mudar qualquer partida.
O destaque do jogo do título mais emocionante que vivenciei, a CB-15. Pra mim, o melhor jogador do campeonato que tanto esperamos em 2016. O que pegou a faixa de capitão para si no momento mais oportuno e nos representou erguendo a nona taça brasileira.
Sinônimo de raça, de entrega, de vontade. Sinônimo de PALMEIRAS.
É o que o Dudu é, puramente palmeirense, parece que nasceu para jogar aqui, com essa alma, com essa vontade de honrar o manto e os milhões de torcedores que acreditam nele. Com essa gigantesca vontade de vencer, que não cabe nele!" - Laisa Carvalho.

- "Dudu maior ídolo da era pós Parmalat por tudo que ele representou ao verdão desde da sua chegada, além da qualidade técnica!" - Anna Flávia.

-"O Dudu representa a raça,  a determinação,  a vontade de vencer. Dudu é a verdadeira representação do torcedor em campo. Dudu é o respeito é o amor do torcedor pelo clube. Dudu é 100 % Palmeiras" - Cláudio Ricci

- "Um dos poucos jogadores que honram a camisa, foi decisivo em jogos importantes, em alguns somente ele jogou, fora os golaços principalmente em clássicos. Particularmente, admiro muito ele, acho que o bracelete de capitão o caiu super bem. Ficarei triste se ele sair um dia - haha!" - Nathalia Oliveira.

- "Pequeno grande homem, dono da faixa de capitão, líder do maior campeão nacional, mostrou que pelo comprometimento pela camisa pode mudar até seu jeito, torcedor em campo, discípulo de Edmundo e o novo animal da camisa 7" - Pablo Noveli.

- "Dudu significa a raça que todo torcedor palmeirense tem, só que dentro de Campo." - Bruno Massa

- "Em poucas palavras!? Dudu é a cara do Palmeiras, torcedor em campo, além do futebol, isso é o que o faz ser incrível." - Giovanna da Silva.

- "O Dudu representa o torcedor palmeirense em campo, que grita, que chora que tem raça, que tem amor pela camisa e que está sempre presente no Palmeiras, mesmo quando não pode estar dentro de campo. E quando está, nao deixa de fazer sua parte, sendo decisivo, fazendo gols, enfim fazendo o que o capitão do time tem que fazer." - Natália

- "Bom, O dudu representa o renascimento do Palmeiras. Ele representa o momento de glória dos ultimos dois anos. É aquele jogador que sente orgulho de vestir a camisa do Palmeiras e de dizer isso publicamente. Ele como o Palmeiras, soube se superar, no momento em que a fase (dele) não era boa." - Daiara Souza

Por: Paulo Junior.
                               

Compartilhe isto

Sou Paulo Junior. Palestrino, 23 anos, amante do futebol taliano e viciado em esporte.

Posts Relacionados