Em jogo histórico, Cruzeiro treme e Londrina está na final da Primeira Liga

20:09:00
Saaaalve Nação Alviceleste!
Precisei respirar muuuuuito antes de escrever esse texto, ou tentar escrever né?! Que jogo amigos, que jogo! O Londrina recebeu o Cruzeiro pela Semifinal da Primeira Liga e após estar perdendo por 2x0 até os 36 da etapa final, empatou e eliminou a equipe mineira da competição. Com gols de Safira e Germano, esse aos 51 minutos do 2º tempo, o Alviceleste se classificou e encara agora o Atlético/MG na decisão, marcada inicialmente para o dia 8 de outubro.
Londrina empata aos 51 minutos da etapa final e está na final da Primeira Liga. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube

O jogo

Hoje não tem como fazer a opinião do jogo separado dos lances mais importantes, portanto vamos lá. Os primeiros minutos foram de muito estudo por parte das duas equipes, que também se poupavam por causa do enorme calor feito no norte do Paraná, jogos às 11h são sempre muito desgastantes, mas quem chegou com perigo foi o Cruzeiro, aos 19 minutos Bryan arriscou de longe para grande defesa de César, que jogou para escanteio.

Na cobrança o capitão da Raposa, Lucas Silva, cabeceou e abriu o placar, contudo o gol não abalou o Tubarão, que dominou a primeira etapa e teve várias chances de empatar antes do intervalo, com Carlos Henrique aos 26 minutos, acertando uma bomba no travessão, aos 39 minutos o início de uma blitz alviceleste, Rômulo chutou de fora da área e Rafael espalmou, aos 40 minutos Edson Silva cabeceou perto do gol da Raposa e aos 43 minutos Artur passou por três marcadores, invadiu a área mas parou em Rafael. Intervalo Cruzeiro 1x0 Londrina.

A segunda etapa começou como a primeira, com o Cruzeiro aproveitando a única oportunidade que teve, aos 8 minutos Élber recebeu na ponta direita e chutou forte na trave, a bola sobrou limpa para Sassá só empurrar e ampliar o placar para a Raposa. O gol não mudou em nada a postura alviceleste, que contou com um aliado importantíssimo para buscar o milagre, a torcida. Os mais de 17 mil torcedores que enfrentaram sol forte foram o 12º jogador e empurraram a cada minuto o Tubarão em busca da classificação.
César brilhou na decisão por pênaltis e pegou 3 cobranças. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube

O Londrina seguiu pressionando e a entrada de Alisson Safira aos 15 minutos mudaria completamente o jogo, aos 27 minutos ele ajeitou para Carlos Henrique chutar travado e quase diminuir o prejuízo, aos 30 minutos o mesmo Carlos Henrique soltou a bomba para grande defesa de Rafael, que pelo lado do Cruzeiro foi o nome do jogo, aos 34 minutos novamente Carlos Henrique acertou um chutaço na trave. Era nítido o desespero cruzeirense que se encolheu e jogou como time pequeno, muita cera e cai cai em praticamente todos os lances, porém o clube mineiro tremeu e foi castigado.

E o castigo começou aos 36 minutos com Alisson Safira, que recebeu belo cruzamento de Marcinho e testou firme para diminuir o placar, a partir daí a blitz londrinense se intensificou, aos 38 minutos Germano chutou e a bola pegou na trave. Os contra-ataques eram o único perigo da equipe mineira, com o Londrina todo no ataque o Cruzeiro teve duas oportunidades de matar a partida, primeiro com Alex que chutou para um milagre de César e depois aos 47 minutos novamente com Alex que livre na pequena área isolou, ótimo para o Londrina que não desperdiçou a chance que teve, aos 50 minutos Alisson Safira recebeu, fez grande jogada e invadiu a área, sendo derrubado, pênalti que Germano converteu no último lance de jogo.

O café fervia nesse momento, o torcedor parecia não acreditar que estava presenciando e principalmente ajudando o Londrina a buscar algo histórico na Primeira Liga, a partir disso amigos, estava escrito que a final era nossa. E um herói apareceu, César. O goleiro londrinense defendeu as cobranças de Lucas Silva, Bryan e Arthur e coube a Dirceu converter sua cobrança e comemorar a classificação alviceleste para a decisão. Festa nas arquibancadas, gritos de eliminado (que também chegaram a ser ouvidos quando o Cruzeiro abriu 2x0, mas não foi dessa vez) e sentimento de dever cumprido, o Londrina está na final da Primeira Liga.
Torcedor alviceleste deu show nas arquibancadas e empurrou o Londrina para a classificação histórica. Foto: Rodrigo Saviani/Globoesporte.com

Torcida
Espetacular, incrível, sensacional, maravilhosa, extraordinária... Poderia ficar horas adjetivando o que o torcedor proporcionou hoje no Estádio do Café, tenho plena convicção de que torcedores, elenco, comissão técnica, gestores e demais pessoas pelo Brasil e pelo mundo vivenciaram hoje algo indescritível, está mais do que provado que as partes cedendo um pouco, com o gestor baixando o ingresso (tempos de crise, não é?!) e o torcedor esquecendo qualquer mágoa com o time e incentivando até o fim, havendo essa união não há como nos vencer, hoje cada grito, cada incentivo... empurrou o Londrina, deu forças a aqueles que pareciam não as ter mais e o resultado vocês sabem.

Ouvi histórias espetaculares na arquibancada e na internet, de pessoas que estavam a muito tempo afastadas do estádio de futebol, de pessoas que nunca tinham ido ao estádio, de pessoas que não tinham o Londrina como seu time do coração, mas que depois de hoje voltarão mais e mais e mais vezes ao Estádio pelo simples orgulho de poder vestir essa camisa azul e branca, de poder gritar VAMO PRA CIMA TUBARÃO, de poder comemorar um gol, uma classificação e isso amigo, aaah isso não tem como descrever em palavras nesse texto, o sentimento proporcionado pelo futebol é algo que ninguém ainda conseguiu narrar, é possível apenas sentir. O que posso dizer é que eu amo viver esse mundo, amo poder gritar, cantar, extravasar na hora de um gol, amo incondicionalmente o futebol e principalmente amo o Londrina Esporte Clube.


 por Diego Rocha
Siga no twitter a página oficial do Londrina EC
Curta no Facebook a página oficial do Londrina EC

Compartilhe isto

Paranaense, cartoleiro, apaixonado por futebol e principalmente pelo Londrina Esporte Clube!

Posts Relacionados

1 comentários:

Write comentários