Da Matta Campeão - parte 2

20:24:00

Dando sequência ao especial de 15 anos da conquista de Cristiano Da Matta na CART/Fórmula Indy, vamos relembrar o momento em que o nosso homenageado conquistou quatro vitórias consecutivas naquela temporada, e que foi fundamental para sua conquista.




Após vencer na abertura do campeonato em Monterrey, o piloto mineiro teve problemas entre a segunda e quarta etapas (Long Beach - mesmo largando na pole, mas envolvido em um entreveiro na saída dos boxes com o carro de Adrian Fernandez, em Motegi-JAP e Milwalkie). Tendo chego à Laguna Seca apenas na terceira posição na classificação de pilotos.

Na pista mundialmente conhecida pela Sacarolha, Da Matta, que largou na pole, liderou a prova praticamente de ponta-a-ponta, apenas não liderando quando teve que fazer seus pit-stops. Venceu e com sobras a etapa no Mazda Raceway.

Christian Fittipaldi completou a dobradinha brasileira no pódio, chegar na segunda colocação. O sueco Kenny Brack foi o terceiro, e Bruno Junqueira o quarto, ambos da Chip Ganassi. Outro brasileiro envolvido no certâme, Tony Kanaan foi o décimo segundo.



Em Portland, Cristiano largou novamente na pole. E após três largadas abortadas, teve na quarta tentativa, a bandeira erde validada - junto com o ímpeto de Kenny Brack, que assumiu a P1 no final da reta principal. Mergulhou na famosa chicane do Portland International Raceway, e assumiu de forma brilhante a liderança. O mineiro da Chevron/ Newman Haas comboiou Brack, e ainda fez parte de um 'sanduíche' com carros da Ganassi. Já qie Bruno Junqueira estava o seguindo de forma próxima, na terceira colocação. Mas na volta 61 houve o 'Momento Trapalhões'. Os pilotos foram aos boxes para realizarem sua segunda rodada de pit-stops. Na saída, o sueco teve sua roda trazeira esquerda solta, graças ao pífio trabalho do mecânico - da então Target/Chip Ganassi - que não encaixou de forma correta o pneu. Brack que havia liderado a maioria da corrida até o desastre (56 voltas), abandonou e entregou a liderança para o brazuca do carro #6, que não saiu mais da P1, mesmo sendo atacado em alguns momentos por Junqueira, que no final das contas, teve de se contentar com o segundo lugar, a 0.625 segundos de Da Matta. O escocês Dario Franchitti da Kool/Green comlletou o pódio da etapa no estado do Oregon.



Já em Chicago, Da Matta largou na terceira posição e após comboiar o líder Dario Franchitti junto à Bruno Junqueira que o seguia na P3 até a volta 204, quando após pit-stops realizados ao mesmo tempo, o duo brasileiro saiu à frente de Franchitti. Coube então ao dono do carro #6 novamente segurar o ímpeto de Bruno Junqueira - assim como foi em Portland -, mas que no final das contas foi ainda melhor controlado por Cristiano, que venceu a etapa no hoje extinto Chicago Motor Speedway, por 0.660 segundos. Novamente Franchitti completou o pódio, naquele 30 de junho de 2002 - mesmo dia em que o Brasil conquistou o pentacampeonato mundial de futebol, rendendo até antes celebração antes da prova, com direito a cortes de cabelo dos pilotos brasileiros à lá Ronaldo 'cascão'.

E finalizando a histórica sequência de quatro vitórias na categoria e na mesma temporada, 'Kiki' como era conhecido pelos norte americanos, 'passeou' nas ruas de Toronto, mesmo tendo batido o carro no finalda reta oposta do traçado. Venceu com propriedade no Parque De Exposições local, tendo Kenny Brack chegando 4.318 segundos atrás, além do compatriota e companheiro de equipe, Christian Fittipaldi, que completou o pódio da etapa canadense.



Foi sua sétima vitória nas últimas dez corridas, a quinta em 2002 e a quarta seguida. Apenas dois pilotos conseguiram vencer quatro provas consecutivas na Cart, até 2002:  o americano multicampeão Al Unser Jr., em 1990, e o italiano bicampeão Alessandro Zanardi, em 1998.







Fotos: Reprodução


















por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados