Da Matta Campeão - parte final

19:52:00

Dando continuidade a nossa singela homenagem à Cristiano Da Matta, vamos com a parte final da reprise vitoriosa de 'Kiki' nq temporada em que sagrou-se campeão. Com maior regularidade na potuação, bastaram apenas mais duas vitórias para Cristiano Da Matta comemorar seu título na CART/INDY. Título que completa exatos 15 anos no dia de hoje.


O brasileiro Cristiano da Matta conquistou em Elkhart Lake, a sua sexta vitória na temporada 2002 da CART. O resultado na então décima segunda etapa do campeonato, garantiu mais 21 pontos ao piloto da Newman Haas que chgava então, aos 143 na classificação geral.

Da Matta voltou a vencer na categoria depois de ter ficado três corridas sem ter marcado pontos.

O segundo colocado foi o canadense Alex Tagliani, da equipe Player's Forsythe. Bruno junqueira completou o pódio, a bordo de sua Target Ganassi #4
Tony Kanaan, que havia batido nos treinos e largou em último, e caiu para a terceira colocação, já que foi ultrapassado por Paul Tracy - que mais tarde abandonaria a prova, graças a uma barberagem que ele fez ao tentardefender posição sobre Kenny Brack, e Bruno Junqueira.

Da Matta se recuperou após a terceirarodada de pit stops, e recuperou a liderança, de onde não mais saiu. Liderou 24 das 60 voltas, e soube segurar com maestria a pressão final de Alex Tagliani e Bruno Junqueira, qur fungaram em seu cangote nos giros finais. Mas o ataque incessante de Junqueira sobre Tagliani, foi decisivo para a sexta vitória de Cristiano, já que Tag não pôde o atacar da forma que deveria.

Tony Kanaan foi o quarto colocado - após largar em último - e
Christian Fittipaldi, completando a etapa no circuito de Elkhart Lake na sexta colocação. Tendo pela primeira e única vez no ano, tendo todos os pilotos brasileiros envolvidos com aquela temporada completando uma etapa no top-6.

1º Cristiano da Matta 6 BRA Newman-Haas Lola Toyota 1h56 min

2º Alexandre Tagliani 33 CAN - Player's Forsythe/Cosworth +0,805s

3º Bruno Junqueira #4 BRA - Chip Ganassi Lola Toyota +1,530s

4º Tony Kanaan #10 BRA - Mo Nunn/Honda +7,147s

5º Jimmy Vasser #8 EUA - Team Rahal/Cosworth +11,489s

6º Christian Fittipaldi #11 BRA - Newman-Haas/Toyota +12,391s

7º Patrick Carpentier #32 CAN - Player's Forsythe/Cosworth +13,112s

8º Mario Dominguez #16 MEX - Herdez/Cosworth +23,548s

9º Michel Jourdain Jr. #9 MEX - Team Rahal/Cosworth +24.138s

10º Michael Andretti #39 EUA - Team Green Motorola/Honda - ABANDONOU

11º Shinji Nakano #52 JAP - Fernandez Racing/Honda - ABANDONOU

12º Dario Franchitti #27 ESC - Kool Green/Honda - ABANDONOU

13º Paul Tracy 26 CAN Kool Green Reynard Honda - ABANDONOU

14º Kenny Brack #12 SUE Chip Ganassi/Toyota - ABANDONOU

15º Tora Takagi #5 JAP - Walker Racing/Toyota ABANDONOU

16º Oriol Servia #20 ESP - Patrick Racing/Toyota

17º Scott Dixon #44 NZE - Chip Ganassi/Toyota - ABANDONOU

18º Adrian Fernandez #51 - MEX  Fernandez Racing/Honda




Já pela 16a etapa, 'Kiki' teve paciência e frieza para superar o GP de Miami/Americas, para sacramentar o título com três etapas de antecedência. Da Matta partiu da sexta colocação, foi escapando de confusões, e após idas e vindas na liderança contando variantes em estratégias em pit stops, o piloto icônico do carro #6 consolidou seu título a partir da volta 88. Reassumiu a P1 e partiu para a glória da vitória na corrida e no campeonato.

Cristiano venceu, com Christian Fittipaldi - se aposentou dos monopostos ao final da temporada 2002 -, chegando em segundo lugar, e Jimmy Vasser chegou em terceiro. Bruno Junqueira foi o quinto, e Tony Kanaan abandonou a prova, na última volta. Ele se entreverou com Michael Andretti na curva 5, e ambos ficaram sem commpletar a etapa.

OBS: Apenas SETE carros completaram a etapa, sendo cinco na mesma volta do líder. Tamanhas tretas ocorreram nas ruas estreitas do Bayfront Park, que a corrida de demolição foi um desafio a mais para o campeão, que tirou de letra as adversidades e pôde receber o troféu da categoria, o então chamado Vanderbilt Cup, no dia 6 de outubro de 2002. Exatos 15 anos atrás.

Superadas adversidades, superados fracasso, superadas frustrações, aquele ano foi especial para o sempre especial e diferenciado Cristiano Da Matta.








Fotos: Getty Imagens/ Michael Kim-Motorsport








por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados