Fernando Alonso e Jenson Button podem competir no endurance dos EUA

10:57:00

Segunda a revista Auto Hebdo, Fernando Alonso tomou uma decisão importante para 2018: PARTICIPAR DAS 24 HORAS DE DAYTONA. A prova será realizada entre os dias 27 e 28 de janeiro de 2018, que além da possível presença de Alonso, contará com as estreias de dois carros dos atuais campeões da Prototype e Overall da IMSA/Weatertech Sports Car Series, na classe GTD -através da Wayne Taylor Racing, e de dois carros da Team Penske na classe Prototype, sendo que em um dos carros, a Penske contará com o tri campeão das 500 Milhas De Indianápolis, Helio Castroneves. Diferentemente do que planeja Alonso ('apenas' competir em Daytona), às equipes citadas farão toda a temporada do campeonato norte americano de endurance.

E não é só isso. Já que Jenson Button também mostra interesse em participar da IMSA, e de forma integral.

Segundo o jornal britânico The Sun, o campeão mundial de Fórmula 1 em 2009, tem como opções para sua carreira, o mundial de RallyCross, a IMSA, e a Super GT, a qual Button participou dos 1000 km de Suzuka.

Mesmo que tenha vínculo com a Mclaren até o final de 2018, uma eventual saída para outra categoria não seria
empecilio para Jenson. Até porque, Zak Brown, umdos poderosos chefões da Mclaren, podria facilitar sua saída da equipe de F1. 1- Porque Button é piloto reserva da equipe, e 2- Porque é seu 'parça'. E Brown o qual ajudou a colocar Alonso na Indy 500 em 2017, numa parceria com a Andretti/Honda, e que possívelmente ajudará Alonso a estar na Daytona 24h, além do fato de  ser um dos donos da equipe United Autosport, que compete de forma integram na IMSA. Interessante não?!

Em quais equipes eles estarão, caso de fato se concretizem suas idas para a categoria norte americana, ainda não se sabe. Algumas especulações rolam, dentre elas, ou guiando um Ligier JS P217 da United Autorsport - que terá em Daytona, um piloto de futuro altamente promissor: Lando Norris -.

As especulações também valem para Alonso, que vê em Daytona, um enorme potencial para desenvolver seus potencial, visando a tríplice coroa do automobilismo mundial (Indy 500, 24h de Le Mans e GP de Mônaco de F1). Mônaco ele conquistou, restam a Indy 500 e Le Mans. Mas se depender de Fernandón, ele fará de tudo para ter em seu currículo, a trinca de vitórias mais importante para um piloto. Em Indianâpolis, enquanto o motor aguentou, Alonso sempre foi top-10, e possívelmente teria conquistado algo entre os oito primeiros. Chegou a liderar a prova, e provou ser altamente competitivo, e prometeu retornar à Brickyard.

Mas, elaborar planos em Le Mans com uma prova em Daytona? Sim! Alonso não é bobo, e sabendo da instabilidade que o WEC vive, principalmente na classe LMP1 que perdeu Porsche, Audi e pode perder a Toyota, e ter apenas equipes privadas na classe maior do Mundial De Endurance. Não seria uma boa entrar no WEC, e para Le Mans, pelo menos no momento. Portanto, Daytona seria um laboratório perfeito para o piloto espanhol pegar as manhas das corridas de endurance.

Se se fato Alonso e Button concretizarem suas idas e aparições na IMSA, será um baita negócio para todos os envolvidos, e o automobilismo terá uma nova págima sendo escrita.










Fotos:


Edição - 
Paulo
Jr.

IndyCar/Reprodução/ Reprodução - Motorsport.com









por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados