O fim melancólico da 'Era Cuca' no Palmeiras

18:34:00

Terminou de forma melancólica, a passagem de Cuca no comando do Palmeiras. Cuca deixou o comando do Palmeiras com apenas 55% de aproveitamento. Ao todo em sua segunda passagem pelo clube, o comandante esteve à frente em 16 vitórias, sete empates e 11 derrotas, num total de 55% de aproveitamento. longe dos 63% de aproveitamento de sua primeira passagem. Números piores até que os de Eduardo Baptista, que teve 66% de aproveitamento - muito embora jogou com equipes de menor nível na maioria das partidas que comandou a equipe, em relação à Cuca -.

O agora ex-treinador palmeirense, desde que retornou, se sentiu incomodado com a base da equipe deixada por E. Batista, e isso ficou plublicamente evidenciado. Tanto que o Palmeiras contratou por exemplo: Deyverson. O camisa 16 era tido por Cuca, como um '9 móvel'  que faria funções parecidas com as que Gabriel Jesus fazia em 2016. Não deu liga. Sendo apenas dois gols marcados até aqui, muitas caneladas em campo e críticas gerais de quem torce e core o dia-a-dia alviverde.

Desde que retornou, o desempenho da equipe montada por Cuca, oscilava muito. Era uma partida consistente, e outra deprimente. Diferentemente do ano passado, a equipe sofreu muitos gols, perdej sua força nas jogadas ensaiadas e na bola aérea ofensiva/defensiva. A equipe marcada um gol, e sofria outro(s). Não tinha a pegada e consistência de 2016, a qual marcava um gol, amarrava o jogo e não deixava o adversário jogar. Ou seja, o trabalho acabou sendo um fracasso em 2017.

'Abdicou' dos primeiros jogos do Brasileirão, visando Libertadores e Copa Do Brasil. Se os titulares não rendiam, que diriam os reservas?! Escolha tão equivocada tanto quanto, a de ter insistido com muitas peças que não rendiam, como o agora afastado por indisciplina, Róger Guedes, próprio Deyverson, Jean, entre outros.

Cuca arranhou um pouco a sua passagem no Palmeiras. Tee de engolir guela abaixo o Felipe Melo, e não conseguiu encontrar um sistema de jogo que fizesse com que os atletas retomassem seu verdadeiro e bom potencial, e não emcontrando formas variadas de jogo, que emglobassem Borja e Guerra por exemplo. Muito embora, vários atletas demonstrem terem dado tudo o que poderiam em desempenho. Atletas também te sua parte de culpa, e deverão srr cobrados mais firmemente por isso, dentro de uma linha respeitosa.

Cuca abre mão da multa rescisória, e não foi uma questão de comum acordo que fez Cuca sair do Palmeiras. Foi incompetência em resultados, culminada com um empate horrendo diante do Bahia, ontem (12) no Pacaembu. Ali ficou claro que Cuca não tinha mais o que extrair do elenco de jogadores, dentro de seus ideais. Após abrir 2x0, a equipe inexplicavelmente jogou de forma displicente, cansou e viu a equipe Baiana ser amplamente superior. Se o resultado justo aparecesse, seria uma derrota palmeirense por 3x2 ou 4x2, tamanho caos que a equipe esteve, após os 35 minutos da etapa inicial. Pressão se tornou insustentável e Maurício Galiotte fimalmente teve pulso firme para tomar uma decisão.

Galiotte inclusive, concederá entrevista neste sábado (14), às 11:30 da manhã. A sala de entrevistas da Academia De Futebol ferverá, e deveremos ter mais alguns esclarecimentos sobre o fim melancólico de uma era Cuca, na Sociedade Esportiva Palmeiras.

Alberto Valentim comandará o Palmeiras ao que tudo indica, até o final da temporada. E o nome em maior evidência para assumir o comando técnico palestrino, é Mano Menezes, que pode sair do Cruzeiro ao final de 2017.

Confira abaixo, o comunicado feito por Cuca, na tarde desta sexta-feira (13), na Academia De Futebol.

"Nesse tempo que passei, nessa segunda vez eu tentei ao máximo ajudar o clube de todas as formas, me doando ao máximo, infelizmente o máximo não foi capaz de fazer o Palmeiras ter êxito na Copa Do Brasil e Libertadores. Ficou assim. Apesar de estarmos classificados direto a uma Libertadores hoje, eu acho que o Palmeiras pode mais e tenho certeza que os jogadores vão classificar. O topo ainda é possível, se trata de um time bom. Agradeço o empenho comigo e em nenhum jogo podemos dizer que teve má vontade ou deixou de lutar. Meu agradecimento ao presidente, Alexandre (Mattos), jogadores. Infelizmente não fui bem como ano passado. Eu vim abortando projetos da minha vida para ajudar ao Palmeiras e todos, os torcedores que gosto muito. Ontem conversamos e entendemos que era melhor encerrar o ciclo. Meu agradecimento a todos e principalmente ao torcedor. Meu muito obrigado. Perdoem alguma coisa que pode ter nos fugido um dia ou outro. A gente se vê no futuro. Quem sabe um dia eu possa voltar e fazer um trabalho tão bom como ano passado e montar uma equipe como é o que eu gosto. Boa sorte ao Palmeiras e a todos. Obrigado"








Foto: ALE FRATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO







por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados