Quem sabe, sabe... Grêmio 1x3 Palmeiras

12:37:00

Não querendo parafrasear o treinador gremista, mas Renato Portaluppi deveria aplaudir Alberto Valentim. O Palmeiras se viu encaixotado no primeiro tempo, pouco criou e mesmo com consistência defensiva, se via num duelo acirrado contra o Grêmio. Os gaúchos equilibraram as ações na etapa inicial, mas não ao ponto de merecerem ir ao intervalo vencendo o jogo.

Veio o segundo tempo, e Alberto Valentim cobrou mais intensidade ofensiva da equipe, e manutenção do bom posicionamento defensivo. Com Dudu marcando o primeiro tento antes dos três minutos. A ordem era chutar mais ao gol e arriscar mais fimalizações. Geralmente quem não chuta, não ganha uma partida de futebol. O camisa 7 chutou e a bola na rede entrou.

Com 1x0 em seu favor, o Palestra passou a mandar da partida. A improvisação de Marcelo Oliveira na zaga, entrada de Jaílson no meio campo e a queda vertiginosa na qualidade de passes da equipe gremista, foram decisivas para o massacre palmeirense no segundo tempo. Nem vou computar nele, o pênalti não marcado sobre Tchê Tchê - que o árbitro não marcou porque não quis -. Mas a chamada 'forma vertical' de jogar, aliada a uma marcação ajustada e triangulações com velocidade, fizeram com que o Palmeiras fosse o dono do jogo. Independente da equipe adversária estar poupando jogadores visando às semi finais da Copa Libertadores. (Isso poderá ser um erro, vide o que o próprio Palmeiras fez/ não fez ao poupar atletas)

O segundo gol veio em uma arrancada de Borja, que ao tentar finalizar em gol, obrigou o goleiro rival a espalmar a bola. Como Moisés se posicionou bem e viu que poderia sentar a bota para marcar o gol, arriscou certo e marcou mais um gol ao Verdão. Era o 2x0 com menos de 10 minutos

Os mandantes estavam atordoados, parecendo lutador de boxe nas cordas aceitando os golpes. Golpe fatal que veio antes dos 20 minutos da etapa complementar. Mayke recebeu bom passe e deu uma assistência primorosa à Dudu. 'IL CAPITANO' marcou novamente, se tornou o maior artilheiro palmeirense na era dos pontos corridos (22 gols) e deixou claro que a teoria da 'Lei do ex' existe e é muito forte.

Michel ainda descontou para os gaúchos, após um bate-rebate na área e uma falha de Raphael Veiga - que reapareceu após um longo e tenebroso inverno -, mas que não inteferiu na contundente vitória alviverde em Porto Alegre.

Alberto Valentim ganha cada vez mais força para ser eferivado como treinador do Palmeiras. Tenta ganhar o grupo cada vez mais e parece estar conseguindo. Deyverson e Raphael Veiga reapareceram, e o rodízio para mostrar que todo o elenco pode e deve ter oportunidades - desde que haja trabalho -, é cada vez mais real.

Se isso continuará dando certo, eu não sei. Só o futuro para responder. Mas se for fazer uma análise pelos três jogos da nova era interina de Alberto Valentim, sobretudo pela partida de ontem, Renato Gaúcho deve ter a consciência de que: "Quem sabe, sabe. Quem não sabe, bate palmas"

FICHA TÉCNICA DE GRÊMIO 1X3 PALMEIRAS

Data/Horário: 22/10/2017, às 17h
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro - MG (FIFA)

Assistentes: Guilherme Dias Camilo - MG (FIFA) e Sidmar dos Santos Meurer - MG (CBF)

Cartões amarelos: Michel e Luan (GRE); Bruno Henrique (PAL)

Cartões vermelhos: -

Gols: Dudu, aos 2'/2ºT (0-1); Moisés, aos 6'/2ºT (0-2); Dudu, aos 17'/2ºT (0-3); Michel, aos 33'/2ºT (1-3)

GRÊMIO: Paulo Victor, Leo Moura, Rafael Thyere, Bruno Rodrigo (Jailson - Intervalo) e Marcelo Oliveira; Michel e Kaio; Luan (Dionathã, 35'/2ºT), Everton e Miky Arroyo (Beto da Silva, 20'/2ºT); Jael.
Técnico:
Renato Portaluppi.

PALMEIRAS: Fernando Prass, Mayke, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Bruno Henrique (Thiago Santos, 22'/2ºT), Tchê Tchê e Moisés (Raphael Veiga, 28'/2ºT); Keno, Dudu e Borja (Deyverson, 32'/2ºT).
Técnico: Alberto Valentim.













Foto: Cesar Greco












por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados