Graças a Deus acabou o ano para o Palmeiras!

10:17:00

A atuação do Palmeiras contra o Atlético-PR, foi o retrato da equipe na temporada. Uma equipe palpérrima que ao jogar muitas vezes na maldita linha alta em exagero, sofria gols piores que na várzea. E mesmo que Fernando Prass tenha afirmado, e com razão, de que a equipe não aprendia com os erros em determinadas situações, caso tivesse de fato se ajeitado em questões crônicas de criação de jogadas e marcação, sofreria bastante.

Moisés desde que retornou de sua grave lesão no joelho, não foi mais o mesmo. Pelo menos pra mim, fica claro que ele não suportava mais do que 45 minutos em campo. Por muitos momentos - assim como todo elenco -, andava em campo. Era de doer o coração. Muitos o acharam acima do peso, outros o acharam por muitas vezes displicente, mas o que de fato pode se afirmar é, que o nosso profeta nem de longe lembrou aquele meio campista box to box (de área a área). Foi o símbolo de um meio campo sem alma de marcação e criação. Tchê Tchê, Bruno Henrique e companhia, renderam bem menos do que o esperado.

Nosso ataque por mais que tenha sido o melhor do Campeonato Brasileiro, e umdos melhores do Brasil em 2017, no quesito gols marcados, oscilou demais. Borja infelizmente oscilou mais que montanha russa. Dudu por muitas vezes era exageradamente individualista, e nem sempre Keno comseguia resolver as partidas na sua correria aliada a qualidade. Willian 'Bigode' foi o mais efetivo e regular, mesmo não sendo brilhante. Os demais, nem podemos contar com eles. Até torcemos pelo sucesso deles no clube, mas não dá.

Sobre o sistema defensivo, exceto Jaílson que pouco jogou na temporada, TODOS foram abaixo das expectativas. Muito em função dos sistemas de jogo implantados pelos treinadores que passaram. Nenhum deu certo. E se um sistema têm falhas, os erros individuais e de posicionamento aparecem também, principalmente com Juninho, Fabiano, e Egídio (que nem mais no clube está).

O time de ontem, também representou a diretoria da Sociedade Esportiva Palmeiras. Com omissão, marasmo, decepção e falhas em determinadas escolhas.

E mesmo com o retrato do escárnio alviverde em Curitiba, o Palmeiras terminou como vice campeão brasileiro, mesmo o torcedor sabendo que a equipe não foi merecedora o suficiente para tal. Torcedor o qual não é trouxa, vai apoiar quem chega. Mas o clube e todos os seus funcionários sabem, que na medida em que houver o apoio, haverá cobrança. Ainda mais que o sarrafo de capacidade e qualidade aumentou. Torcedor quer ver na prática, jogadores com tezão em jogar futebol e representar o manto alviverde. Esperamos mudanças e recuperação o quanto antes.

Graças a Deus acabou 2017. Que venha 2018!








Foto: Cesar Greco/ Agência Palmeiras






por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados