Inesquecível vitória de André Ribeiro na Rio 400

20:51:00
André Ribeiro foi o penúltimo brasileiro a vencer uma etapa de fórmula internacional (CART/IndyCar), em terras tupinquins - o último foi Felipe Massa em 2008 na Fórmula 1 -, ao triunfar na Rio 400.

A Rio 400 (km) foi realizada por cinco anos, no saudoso autódromo de Jacarepaguá/Nelson Piquet - Circuito Oval Emerson Fittipaldi, tendo sua primeira edição, a vitória de André, na corrida realizada em em 17 de março de 1996. Mas 17/03/1996? O que isso tem a ver com o dia 31/12? Qual a lógica? O carro de numeral #31. Que para mim, é icônico, e sempre será um prazer relembrar o carro/conjunto Tazman - Lola T96/00 -- Honda -- Firestone, que alcançava na época em um SuperSpeedway, 407 km/h. 

Aquela não foi uma corrida qualquer, ou uma mera vitória. Em um grid com muitos nomes gabaritados, e uma pista traiçoeira com mescla de oval e circuito misto com ondulaçôes nas retas, André se tornou, o primeiro piloto brasileiro a vencer uma grande corrida em solo verde e amarelo, desde a morte de Ayrton Senna, que havia vencido o GP do Brasil de F1 de 1993.

Largando em terceiro, o paulistano teve duas escapadas fortes de trazeira na curva 4, que quase o fizeram se chocar ao muro. Mas ele soube ser forte, frio e competente para superá-las. Assim como contou com sorte e problemas dos principais oponentes na luta pela vitória, como carros de Alex Zanardi e Jimmy Vasser que tinham dois canhões em suas Ganassi's, Gil De Ferran, [azar de erro na estratégia de combustível Greg Moore com problemas em seu motor Mercedes-Benz, de sua Forsythe, e Robby Gordon que acabara batendo seu lendário #5, ao final da curva 1, há menos de 10 voltas para o final. 

Tendo a sorte sorrindo ao seu lado, Ribeiro fez valer de seu bom equipamento durante a prova, e no stint final de prova, fez voltas voadoras, mesmo tendo que controlar seus nervos, e mostrar muito sangue para segurar o lendário papa títulos da Indy, Al Unser Jr. numa Penske. Ribeiro venceu, para a festa do público brasileiro, e foi para mim, um dos momentos mais especiais do automobilismo mundial. Pois o humanismo da torcida pode ser visto e mesmo com o passar dos anos, se sente e nota o quão incrível foi aquele triunfo de André. Torcida invadindo a pista, boxes tomados, comemoração familiar logo ao final da prova, e uma sensação maravilhosa de uma época inesquecível para o automobilismo num todo. Além do que, deu gosto de acompanhar aquele carro LCI #31 vencendo, mesmo não tendo compreendido num primeiro momento aquilo, por ser um pirralho. Mas pelo youtube, a carrera pode ser vista e revista. E revê-la, sempre me enche de alegria e afaga meu coração. 

Alegria que ao ver tal carro #31, desejo a você para a celebração do dia 31/12. Que seja com uma energia forte, pulsante, com paz, harmonia, esporte a motor nas veias, e vitórias marcantes - como a de André Ribeiro no Rio De Janeiro -.


por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados