Automobilismo Brasil entrevista Luciano Zangirolami (Fórmula Inter) - Parte 2

14:48:00
29/01/2018

Voltamos agora com a segunda parte da entrevista com o piloto olimpiense, Luciano Zangirolami; contando sobre sua carreira aqui no Brasil a partir de 1998.


Stock Light
Imagem: Acervo do piloto


Mesmo após todos esses ótimos resultados em sua carreira até então, o obstáculo da renda necessária para essas competições fora do Brasil voltou a incomodar Luciano, e com isso viu seu sonho de um dia chegar na tão desejada Fórmula 1 indo por água abaixo.
Com isso, acabou retornando ao Brasil em 1998 e logo de cara conquistando mais um vice-campeonato, novamente pela Fórmula Fiat. No ano seguinte (1999), conseguiu conquistar a vitória da etapa de Curitiba do Campeonato Brasileiro de Stock Car na Divisão B, sendo o quarto na classificação geral.

Luciano na Fórmula Fiat (Palio) - 1999
Imagem: Acervo do piloto

Luciano Zangirolami e André Duek (Carlos Alves) - 1999
Imagem: Acervo do piloto

Dai pra frente sua carreira se fixou em terreno brasileiro por alguns anos, correndo na categoria de acesso a Stock Car, a Stock Light. Por lá, atingiu bons resultados em todos os anos que esteve presente no grid.
Dando continuidade a sua trajetória, foi o terceiro colocado ao fim do ano 2000 (1 vitória), ficando empatado com o piloto David Muffato, ambos com 87 pontos.

Luciano Zangirolami (Carlos Alves) - 2000
Imagem: Acervo do piloto

Luciano liderando o grid em Curitiba - 2000
Imagem: Acervo do piloto

2001 chegou e Luciano não participou daquela temporada, porém isso não fez com que ele perdesse o ritmo, mostrando então no ano seguinte do que ele era capaz. Em 2002 teve um desempenho espetacular ainda na Light, chegando até a última etapa com chances de título. Infelizmente, acabou ficando com o vice-campeonato, devido ao regulamento que a categoria possuía. Seu principal rival, Matheus Greipel, acabou por conquistar o título.
Nesse ano do vice, o Cigano Voador conquistou 4 vitórias, respectivamente nas etapas de Jacarepaguá, Curitiba, Brasília e São Paulo. Ainda fez um segundo lugar em Interlagos no começo da temporada, e mais dois terceiros lugares em Londrina, e no fim do ano novamente em Curitiba; foi também premiado com o capacete de bronze pela revista Racing na categoria turismo.

Action Power - 2002
Imagem: Acervo do piloto

Matheus Greipel e Luciano Zangirolami - Interlagos (2002)
Imagem: Acervo do piloto

2002 - 2006: Morou nos Estados Unidos alguns anos após esse tempo na Stock Light. Lá, participou de algumas provas em campeonatos regionais, como a atual FARA USA (10 vitórias). De volta ao Brasil, teve dois segundos lugares no Troféu Maserati.

Imagem: Divulgação

Em 2012, quando retornou de vez a São Paulo, começou a voltar a ativa no cenário do automobilismo. Neste mesmo ano, participou de uma etapa em Interlagos da recém criada, Sprint Race, a convite do amigo Thiago Marques; chegando em quarto lugar em sua primeira experiência na nova categoria.

Imagem: Redes sociais do piloto

Carregando uma vasta experiência e um currículo de cair o queixo, o piloto de Olímpia conheceu Marcos Galassi, este que viria a ser o grande idealizador da Fórmula Inter. Luciano se apaixonou pela ideia que a categoria trazia, se tornando o primeiro a guiar o MG15 (carro da F-Inter) no traçado de Interlagos. 

Estréia do MG15 em Interlagos
Imagem: Divulgação

Seguiu então como coach ao lado do veterano Artur Bragantini, dando suporte aos jovens estreantes através de aulas de telemetria e treinos coletivos.
No segundo semestre acabou por assumir o carro #31, com o apoio de seus novos patrocinadores: Nyfan Energy e WEG; daquele momento em diante iniciou-se uma nova fase em sua carreira.

Imagem: Julio D'Paula (Kairel Motorsport Photography)


Imagem: Julio D'Paula (Kairel Motorsport Photography)

Sua primeira prova oficial ocorreu no Autódromo de Interlagos pelo 8o Round da categoria no dia 2 de Julho de 2017, onde terminou a prova na quarta posição.

Após esse final de semana, participou de todas as provas restantes do primeiro ciclo, conquistando um P2 (9o Round); vinha largando do segundo posto no 10o Round, porém devido a chuva a etapa teve de ser cancelada. Na sequência, confirmou presença no ECPA 100, prova realizada no traçado oval do Circuito de Piracicaba; era o líder até um pneu furar, fechando na oitava colocação. Na corrida final do calendário 2017 (11o Round), travou uma batalha intensa com o novato Alex Seid na última volta, ficando em quarto lugar ao receber a bandeira quadriculada.
Neste último fim de semana (28/01/2018), Luciano largou da segunda posição e fez de tudo para ultrapassar o mineiro Marcelo Henriques. Chegou a liderar a prova por pouco tempo, até enxergar o Silver Jet #18 na sua traseira novamente, terminando assim a prova na segunda colocação.


Fórmula Inter - 12o Round (28/01/2018)
Imagem: Automobilismo Brasil

12o Round (28/01/2018) - Segundo lugar
Imagem: Automobilismo Brasil


Automobilismo Brasil: Como foi seu retorno ao Brasil (Stock Car e Stock Light) depois de deixar de lado o sonho de chegar na Fórmula 1?

Luciano: Vi que o buraco lá era mais embaixo em relação a grana, então fui tentar a Stock, que tava crescendo naquela época. Fiz alguns testes na principal com o "Meinha" (Chefe de equipe da atual equipe RC) quando ele ainda não tinha a Eurofarma como patrocínio. Acabei sendo o mais rápido no dia de testes, tinha acabado de ser vice-campeão na Light. Então chegou o Beto George com grana e acabou pegando a vaga, mesmo eu tendo sido mais rápido; veio o Losacco em seguida e pegou a outra vaga, então acabei ficando de fora.

Automobilismo Brasil: O que faltou pra você conquistar o título da Stock Light em 2002?

Luciano: Faltou as regras do campeonato serem diferentes. Ganhei mais corridas, fiz mais pontos, mas tive que descartar 10 pontos e acabei um ponto atrás do meu principal concorrente que era o Matheus Greipel, faltou a regra do campeonato ser diferente, só isso, porque o campeonato tava na mão.

Luciano liderando em Curitiba - 2002
Imagem: Acervo do piloto

Automobilismo Brasil: Você fez uma prova pela Sprint Race ainda no começo da categoria. O que você achou desse projeto? Pretende voltar a guiar por lá algum dia?

Luciano: Fiz uma corrida na Sprint, acho o projeto muito bacana. Ir correr lá só o futuro pode dizer. Tenho um relacionamento muito forte com o Thiago Marques por ter andado com eles da Action Power na Stock Light.


Imagem: Automobilismo Brasil


Automobilismo Brasil: Qual é a sensação de fazer parte de uma categoria em ascensão como a Fórmula Inter está no cenário de hoje?

Luciano: Eu acho muito legal. Pegar uma categoria desde o começo, você consegue moldar ela com as características de quem está fazendo o trabalho por trás. A gente tem um pouco do Marcos Galassi, um pouco de cada um dos pilotos, um pouco dos coach's, então a gente vai moldando do jeito que a gente quer. Consegue trazer pilotos que tem muito caráter, que sabe que não vão se arrebentar na pista, que respeitam um ao outro, mas que ao mesmo tempo são competitivos, isso é muito legal, e consegue ter o respeito de todo mundo.


 
Artur Bragantini, Marcos Galassi e Luciano Zangirolami
Imagem: Redes sociais do piloto

Automobilismo Brasil: Agora que você está 100% de volta às pistas, tem alguma pretensão de competir em uma outra categoria a parte da Fórmula Inter?

Luciano: Tô já dando uma pesquisada no mercado, vou continuar na Fórmula Inter. Se fizer alguma coisa em outra categoria será separadamente da Fórmula Inter. Por enquanto não posso falar nada, mas que eu tô procurando eu tô.


Imagem: Automobilismo Brasil

Automobilismo Brasil: O que você espera pra 2018 e também do seu futuro dentro do automobilismo em geral?

Luciano: Espero um 2018 melhor que 2017, que também já foi maravilhoso, porque eu acabei retornando com a Fórmula Inter pras pistas oficialmente. Vou continuar trabalhando como coach. Como eu já disse, tô procurando outra categoria pra fazer simultaneamente, mas isso não posso falar por enquanto.


Pódio 12o Round (28/01/2018)
Imagem: Automobilismo Brasil

A carreira de Luciano é sem dúvida, cheia de grandes conquistas e muitas emoções. Agradecemos desde já pelo carinho e amizade de todos esses anos. Nós do Automobilismo Brasil estaremos sempre ao seu lado, tanto na vitória como na derrota. 
E pra encerrar esse bate papo, entramos em contato com o irmão de Luciano, Ivo Zangirolami, e ele gostaria de deixar registradas algumas palavras de incentivo e parabenização. 

- Falar do meu irmão é viajar no tempo , é ser grato, é ver o meu pai e minha mãe dando todo o apoio moral e até um ponto financeiro, é ver o Mauro Dias do Kart ensinando muita coisa para o Luciano! É ver um cara que luta até hoje e que ama esse esporte!
Apesar desse esporte ser um tanto ingrato, somos gratos por tudo que o Luciano pode provar e ainda prova! Eu digo provar porque fazemos com que pessoas que amam esse esporte sejam felizes!
Como piloto eu digo que o Lu é o melhor piloto do mundo da ultima semana (risos), por sempre se reinventar!
Só tenho orgulho desse cara que só trouxe alegria para a nossa pequena grande Olimpia! Thanks Lu!

Ivo e Luciano, Stock Light
Imagem: Acervo do piloto

Por Vinicius de Oliveira dos Santos (Automobilismo Brasil), Luciano Zangirolami (Fórmula Inter) e Ivo Zangirolami


Compartilhe isto

Posts Relacionados