São Paulo "joga para o gasto", vence Madureira e se classifica na Copa do Brasil - Brenner fez o gol da classificação -.

08:22:00

Dorival Júnior na partida contra o Madureira (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)
Dorival Júnior na partida contra o Madureira (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Em Londrina, o São Paulo enfrentou o Madureira na estreia da Copa do Brasil-18: o time carioca vendeu o mando não só por uma renda a mais (que não teve por conta do baixo público), mas também por conta do estádio do clube não possuir refletores, indispensáveis para jogos noturnos, algo que por si só já beira a incoerência para um time que está há anos na primeira divisão do Carioca e com o 6º lugar no estadual do ano passado, conseguiu vaga para a disputa da Copa do Brasil desse ano e a maioria dos jogos são disputados à noite. 

Nem precisa falar que o favoritismo todo era do São Paulo, não só pelo nome que possui, obviamente, mas porque o time carioca demitiu o técnico PC Gusmão após perder para o Fluminense por 2x1 pelo Carioca no domingo - perdeu todos os 4 jogos do estadual -. O Madureira foi comandado contra o São Paulo pelo interino Acácio - que foi goleiro do Vasco e disputou a Copa-90 -.

Pontas abertos dão amplitude ao São Paulo e tentam abrir defesa do Madureira (Foto: Reprodução)
Pontas abertos dão amplitude ao São Paulo e tentam abrir defesa do Madureira (Foto: Reprodução)

Cercado de desconfiança principalmente da torcida por causa da má campanha no Paulista - 1 vitória, 1 empate e 2 derrotas até aqui, sendo uma delas contra o rival Corinthians -, o São Paulo foi a Londrina sabendo que poderia empatar para conseguir a classificação e também que uma derrota - e a consequente eliminação na primeira fase - tornaria o clima insustentável a ponto de se o time perdesse no Paulista contra o Botafogo no sábado, já cogitarem a demissão do técnico Dorival Júnior -. 

Mesmo sem fazer um grande jogo, contou com o destaque do atacante tricolor Marcos Guilherme, que foi literalmente o nome do jogo, infernizando a defesa adversária, com velocidade, passe rápido e teve inclusive pênalti claríssimo ignorado pelo árbitro Rafael Traci, quando ao tentar passar a bola para um companheiro na área em condições de fazer o gol, o rival cortou a bola com o braço e na sequência, a bola foi pela linha de fundo, com o árbitro dando escanteio em vez do pênalti. 

Marcos Guilherme aos 17 minutos do primeiro tempo, deu drible da vaca no jogador do Madureira e cruzou certinho para Brenner, atacante de 18 anos, completar para as redes: 1x0 São Paulo. Ainda no primeiro tempo, o Madureira "cresceu" um pouco e começou a buscar o gol e encontrava Sidão ou a defesa do São Paulo bem posicionados, mas muitas vezes chutavam sem direção ou força. Um desses lances do primeiro tempo foi proporcionado por Edimar, que não jogou bem e viu a torcida gritar o nome de Reinaldo - seu reserva, que antes de ir pra Ponte Preta e Chapecoense, quando era titular, também era constantemente vaiado -.

Segundo tempo e novamente o São Paulo criou muitas chances, algumas "por capricho" não entraram, como os chutes de Brenner que passou rente à trave, do atacante Bissoli, que chutou certinho cruzado, mas a bola bateu na trave e voltou para o goleiro, Diego Souza em atuação fraca, também teve chance e não aproveitou a dele. O São Paulo começou a "querer que acabasse logo" e vivia de recuar a bola para Sidão quando o meio-campo estava livre em vez de avançar e tocar para os atacantes ou meias melhores posicionados e o Madureira começou a ter seguidas chances cara a cara na área são-paulina e isolou várias, para sorte da sofrida torcida e dos jogadores, os rivais eram ruins de pontaria... Com certeza, se tivessem atacantes melhores, teriam empatado e poderiam até ganhar o jogo.

No fim, Paulinho Boia e Lucas Fernandes - que também vieram da base, o primeiro revelado esse ano e o último em 2016 -, tiveram chances de fazer o segundo gol perto dos acréscimos, mas em vez de passar a bola para companheiros melhores posicionados, quiseram resolver sozinhos e o jogo terminou 1x0 mesmo, com o time classificado à segunda fase da Copa do Brasil e já afasta um princípio de crise tricolor. 

Vale ressaltar que embora contratados e apresentados, Nenê e Tréllez não viajaram porque a documentação deles ainda não está pronta.

Rumo à vitória, São Paulo!
Equipe São Paulo: Twitter | Facebook


Compartilhe isto

Bacharel em Direito, acompanha futebol desde sempre e dá seus pitacos quando é e quando não é chamado. Ama o S.P.F.C. incondicionalmente e despreza os rivais, a menos que estejam em boa fase, nesse caso, os odeia.

Posts Relacionados