Acerto de contas e redenção para Daniel Ricciardo em Mônaco

15:43:00
Foto: Getty Images

Foi um final de semana perfeito para Daniel Ricciardo, mas não sem drama e complicações. O australiano da RBR venceu, aliás foi o mais rápido em todas as sessões no principado de Mônaco, mas a vitória não veio fácil. Por mais de 50 voltas ele teve que lidar com uma perda de potência do motor e ainda segurar Sebastian Vettel, que o pressionou quase até o fim da corrida, mas terminou setes segundos atrás de Ricciardo. Para Daniel foi a vitória que deveria ter vindo em 2016, não fosse um erro de estratégia da equipe que o deixou em segundo lugar no pódio.

Em entrevista após a corrida, o piloto revelou que quando percebeu o problema e recebeu o relato do engenheiro que não haveria melhoras, quis fechar os olhos e chorar. A perda de potência fez com que o australiano trabalhasse somente com seis das oito marchas do carro. O problema ainda afetou os freios do carro, que esquentaram muito acima do normal, levando a equipe a pensar em pedir para Daniel parar o carro. Ao final, o chefão Christian Horner foi só elogios, comparando o feito do comandado ao de Schumacher em 1995, quando o alemão venceu o GP de Barcelona usando apenas cinco das sete marchas disponíveis na época.

Ainda falando da RBR, Max Verstappen perdeu qualquer chance de vitória ainda no terceiro treino livre, quando bateu o carro, de maneira muito similar a batida de 2016. Os estragos foram extensos e o holandês ficou de fora do classificatório e largou no último lugar do grid. Com ultrapassagens bem executadas, terminou em nono lugar, assegurando dois carros na zona de pontuação para a equipe austríaca.

Já na Ferrari, Sebastian Vettel tentou ultrapassar Ricciardo ainda na largada, mas não conseguiu. Colocou pressão quando foi avisado de que o rival australiano estava perdendo potência, chegou a ficar 0,4s atrás, mas a pista de Mônaco tem poucos pontos de ultrapassagem, e nas zonas de DRS o alemão nunca esteve perto o suficiente para abrir a asa e tentar a ultrapassagem. No final da corrida o alemão teve que controlar os danos aos pneus e terminou em segundo. Kimi Raikkonen pouco apareceu, não teve um grande desempenho e terminou em quarto.

O mesmo vale para Valteri Bottas, que terminou num tímido quinto lugar, apesar de ter sido mais rápido que os rivais a frente durante boa parte da corrida. Lewis Hamilton fez o que pode com seu W09, que sofreu com as temperaturas dos pneus, o britânico chegou inclusive a pedir para a equipe para parar uma segunda vez, mas a Mercedes o manteve na pista.

A corrida, classificada por muitos como entediante pela falta de ultrapassagens, ainda teve o abandono de Alonso na 52ª volta com problemas de câmbio, e a batida de Charles Leclerc, que perdeu o freio da Sauber na saída do túnel e acertou a traseira da Toro Rosso de Brendon Hartley.

Com a vitória, Daniel Ricciardo pula para a terceira colocação no mundial, com 72 pontos. Lewis Hamilton se manteve em primeiro com 110 pontos, Sebastian Vettel segue em segundo com 96 pontos. Valteri Bottas é quarto com 68 pontos e Kimi Raikkonen é quinto com 60 pontos.


A Fórmula 1 volta no dia oito de Junho com os primeiros treinos livres do GP do Canadá.


Foto: Lat Images

Compartilhe isto

Posts Relacionados