Com BORJA-Trick em Prass mito: Palmeiras vence o Junior e garante 1° lugar da Liberta.

17:36:00

Com um time contendo apenas dois titulares (Dudu e Borja), o Palmeiras recebeu sob protestos de uma torcida organizada e desconfiança da massa alviverde, um aflito Junior Barranquilla. A equipe colombiana necessitava vencer, para conseguir vaga à próxima fase da Libertadores.

Os visitantes buscaram o gol desde o primeiro minuto. Tiveram três chances de gol, sendo que em duas delas, Fernando Prass evitou de forma exuberante o gol do adversário, em chances de Teo Gutierrez e Murillo. Duas defesas mano a mano e de reflexo. Nada mal para um reserva de luxo, que aos 39 anos jogou ol fino para a posição. Tendo o Palmeiras também teve três chances de gol. Mas Dudu perdeu a chance mais clara, perdendo um gol cara a cara com o rival, no final do 1° tempo.

Na etapa final, o jogo seguiu franco. Mediante a vitória do Boca Juniors que eliminava já naquela altura, o Junior foi ainda mais agressivo ao ataque, e deu brechas ao Verdão. Pagou o preço por isso aos 6', quando após uma falha bizonha do goleiro Viera, que não sabia se espalmaria ou encaixaria a bola, deixou a jogada seguir, e Borja cabeceou para o gol. A bola desviou, saiu do alcance do goleirão e entrou mansamente no gol.

Dois minutos após, a arbitragem assinalou uma penalidade inexistente de Luan sobre Gutierrez. Não ouve o tranco faltoso que a arbitragem alegou ter visto, e prejudicou o Palmeiras. Porém,  Fernando Prass - que homem! -, defendeu/encaixou a cobrança de Barrera.

Cinco minutos mais tarde, Prass terminaria sua consagração atuação de gala, ao desarmar como um líbero um ataque promissor do Barranquilla, transformou a jogada adversa em um contra- ataque forte. Willian dominou a pelota e deu passe para Borja. O centroavante palmeirense não perdoou e com uma cavadinha (quem diria?!), superou o goleiro Viera para aumentar o placar.


Sete minutos após, novo erro clamoroso da arbitragem. Teo Gutierrez marcou o gol de honra dos colombianos, cerca de UM METRO E MEIO em posição de impedimento. Foi bizarro e validado. O que não impediu de no lance seguinte em cobrança de falta, Guerra cruzar, a bola ser desviada pelo zagueiro rival e sobrar para Borja, que livre de marcação na pequena área, empurrou a bola pro fundo da meta do goleiro uruguaio da equipe colombiana. Hat-Trick? Não! Borja-Trick! Vitória contundente, para uma equipe retomar mesmo que aos poucos, a confiança e o respaldo. Sem pensar em eliminar rival x ou y. O que vale e sempre valerá, é fazer sua parte. Fez bem feito, e com grandes atuações de Prass e Borjão da Massa.

Que isso se mantenha e se repita na temporada. Dia 04/06 haverá o sorteio do rival das oitavas de final, em Assunção, Paraguai. Única coisa certa, é que o Palmeiras no mata-mata da Liberta, sempre jogará a partida de volta como mandante, porque foi a equipe que melhor pontuou na fase de grupos do torneio.






FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 1 JUNIOR BARRANQUILLA

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)

Data-Hora: 16/5/2018 - 21h45

Árbitro: Enrique Caceres (PAR)
Auxiliares: Eduardo Cardozo (PAR) e Juan Zorrilla (PAR)
Público/renda: 25.787 pagantes/R$ 1.621.350,28

Cartões amarelos: Emerson Santos (PAL), Piedrahita (BAR)

Cartões vermelhos:

Gols: Borja (6'/2ºT) (1-0), Borja (14'/2ºT) (2-0), Téo Gutiérrez (21'/2ºT) (2-1), Borja (23'/2ºT) (3-1),

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Luan, Emerson Santos e Victor Luis; Thiago Santos, Tchê Tchê (Bruno Henrique, aos 26'/2ºT) e Guerra (Deyverson, aos 34'/2ºT) Willian, Dudu e Borja (Hyoran, aos 26'/2ºT). Técnico: Roger Machado.

JUNIOR BARRANQUILLA:
Sebastián Viera; Piedrahita, Jonathan Ávila, Jorge Arias e David Murillo (Rafael Pérez, aos 19'/2ºT); Cantillo, Pico, Chará (Luiz Ruiz, aos 33'/2ºT) e Barrera; Yony González (Luis Díaz, aos 9'/2ºT) e Téo Gutiérrez. Técnico: Julio Comesaña










Foto: Reprodução/Twitter Conmebol Libertadores










por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados